Família Borba Coelho


Por Elis de Sisti Bernardes


A família Borba Coelho descende de um casal que imigrou dos Açores para o Brasil na segunda metade do século XVIII, entre 1748 a 1763, e estabeleceram-se em Santa Catarina, onde tiveram seus filhos e deixaram uma grande descendência por todo o litoral catarinense. 

Muitos desses descendentes mudaram-se para a Freguesia de Barra Velha e alguns deles moraram em São João do Itaperiú. Temos aqui o resgate da história dessa família, sua vida no Brasil e por onde passaram seus descendentes.

Os descendentes dos Borba Coelho, em sua grande maioria, hoje assinam somente Borba, porém, há famílias que continuam com o sobrenome composto Borba Coelho.



1. DOS AÇORES AO BRASIL: Antonio de Borba Cabral e Monica Marianna Rosa 

Antonio de Borba Cabral nasceu na Freguesia da Ribeirinha, em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, nos Açores, em Portugal. Monica Marianna Rosa era natural da Freguesia de São Pedro, também em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, nos Açores.

O casal imigrou para o Brasil entre 1748 a 1763 e se estabeleceram na Freguesia de São José da Terra Firme, atual cidade de São José, em Santa Catarina.

Na Freguesia de São José nasceram os filhos: Miguel de Borba Coelho por volta de 1763; Silvestre de Borba Coelho por volta de 1765; Anna Maurícia da Assunção por volta de 1770; e Floriana Rosa, por volta de 1775.


Filhos de Antonio de Borba Cabral e Monica Marianna Rosa: 

1.1 Miguel de Borba Coelho 
1.2 Silvestre de Borba Coelho 
1.3 Anna Maurícia da Assunção 
1.4 Floriana Rosa 



1.1 MIGUEL DE BORBA COELHO

Miguel de Borba Coelho nasceu por volta de 1763, na Freguesia de São José da Terra Firme, em Santa Catarina. 

Em São José conheceu Úrsula Rosa de Jesus, natural de São José, filha de Manoel de Souza de Amaral, da Freguesia de São Matheus da Ilha do Pico e de Maria de Jesus, da Freguesia de Nossa Senhora do Rosário da Ilha de São Jorge, com quem se casou por volta de 1783. 

O casal morou em São José, onde nasceram seis filhos: Floriana Ignacia, Maria Ignacia, Perpétua, Joaquina, Manoel e Rita. 

No dia 04 de outubro de 1802, em Armação de Itapocoroy, Miguel e Úrsula Rosa foram padrinhos da sobrinha Maria, filha de Manoel Lourenço da Luz e da irmã de Miguel, Anna Mauricia da Assunção. 

1.1.1 Floriana Ignacia nasceu por volta de 1784, em São José da Terra Firme. Casou com Joaquim José de Abreu, natural de São José, filho de Antonio de Avila de Abreu e Rosa de Jesus.
Filhos:
1.1.1.1 Thomas (*11/11/1801, São José)
1.1.1.2 Maria (*23/09/1804, São José) 

1.1.2 Maria Ignacia nasceu por volta de 1788, em São José da Terra Firme. Casou com João Soares da Silva, filho de Manoel Soares de Oliveira e Clemencia Roza, natural de São José, onde foi batizado no dia 01/07/1787. 

1.1.3 Perpétua nasceu no dia 02/12/1791, em São José da Terra Firme, onde foi batizada no dia 11 do mesmo mês, pelo Padre Vicente Luís Corrêa. Foram seus padrinhos, José Coelho Vieira e sua irmã Anna Maria de Jesus, filhos de Francisco Coelho Vieira, solteiros. 

1.1.4 Joaquina nasceu no dia 12/05/1796, em São José da Terra Firme, onde foi batizada no dia 16 do mesmo mês, pelo Padre Miguel Gomes Torres. Os padrinhos foram o Alferes Domingos Francisco e sua filha Joaquina Ignacia de Jesus. 

1.1.5 Manoel nasceu no dia 11/03/1799, em São José da Terra Firme, recebendo o mesmo nome do avô materno. Foi batizado no dia 19 do mesmo mês, pelo Padre Manoel de Souza Menezes, na Freguesia de São José da Terra Firme. Foram padrinhos, o Alferes Francisco José Ramos e sua filha Mariana Rosa, moradores em São José. 

1.1.6 Rita nasceu no dia 22/05/1803, em São José da Terra Firme, onde foi batizada no dia 29 do mesmo mês, pelo Padre Manoel de Souza Menezes. Foram padrinhos, José Ferreira da Cunha e Maria Ignacia, casados.



1.2 SILVESTRE DE BORBA COELHO

Silvestre de Borba Coelho nasceu por volta do ano 1765, na Freguesia de São José da Terra Firme, onde casou por volta do ano 1786 com Ignacia Marianna de Jesus.

Os pais de Ignacia, José Rodrigues da Costa, natural da Ilha do Pico e Maria de Jesus, natural da Ilha de São Jorge, moravam na Ilha do Pico e também imigraram para o Brasil entre 1748 a 1763 e estabeleceram-se na Freguesia de São José da Terra Firme, onde ela nasceu. Manoel Soares da Silva, nascido na Ilha do Pico, que foi Capitão e também teve descendentes que viveram em São João do Itaperiú era seu irmão.

Nos primeiros anos de casados, Silvestre e Ignacia moraram na Freguesia de São Miguel da Terra Firme, atual município de Biguaçu, onde nasceram os filhos: João de Borba Coelho por volta de 1787, Antonio de Borba Coelho por volta de 1789 e Joanna Antonia da Trindade, por volta de 1791.

Silvestre decide então se mudar com a família para a região da localidade de Armação de Itapocoroy, a atual cidade de Penha, que prosperava com a pesca baleeira, estabelecendo-se na Praia Brava, entre a atual cidade de Itajaí e de Balneário Camboriú, em terras adquiridas de seu cunhado, Manoel Lourenço da Luz, casado com sua irmã Anna, que também se mudaram para a mesma região.

Na Praia Brava nasceram os filhos: Felicio de Borba Coelho por volta de 1792, Manoel de Borba Coelho por volta de 1793, José de Borba Coelho em 1795, Miguel de Borba Coelho em 1797, Silvano de Borba Coelho em 1799, Luiz de Borba Coelho em 1800, Maria Ignacia de Jesus em 1802, Joaquina Ignacia em 1805, Luiza Mariana em 1808 e a caçula Anna Ignacia da Paixão em 1812, totalizando treze filhos.

De origens açorianas, com intensa religiosidade católica, a família frequentava a Capela de São João Batista de Armação do Itapocoroy, onde os filhos nascidos na Praia Brava foram batizados.

Na Igreja de Armação do Itapocoroy, Silvestre e sua mulher Ignacia foram padrinhos de batismo de Silvestre, que recebeu o mesmo nome do padrinho, filho dos negros Manoel José e Maria Joaquina, escravos do Capitão Governador Alexandre José de Azevedo, batizado no dia 12 de novembro de 1797.

O casal também foi padrinho da sobrinha Rita, filha da irmã de Silvestre, Anna Mauricia, que foi batizada no dia 31 de março de 1798, na Capela São João Batista, em Armação de Itapocoroy. Já no dia 22 de maio de 1812, também em Itapocoroy, batizaram uma criança que levou o nome da madrinha, Ignacia, filha de Malaquias José Gonçalves e Felizarda Thereza de Jesus.

No dia 13 de agosto de 1808, o primogênito do casal, João, se casou com Angélica Rosa de Jesus, também na Capela de Itapocoroy, em cerimônia celebrada pelo padre José Antonio Martins. Da união de João, nasceu o primeiro neto de Silvestre e Ignacia, Francisco João de Borba, dando início a uma nova geração da família de Silvestre.

O segundo filho do casal, Antonio, casou com Rosa Ignacia, no dia 10 de novembro de 1811, na Capela de São João Batista em Armação de Itapocoroy.

No dia 15 de janeiro de 1814, na Igreja de Armação de Itapocoroy, Silvestre e Ignacia foram padrinhos da neta Maria Joaquina de Jesus, filha de sua filha Joanna Antonia da Trindade. A filha Joanna Antonia casou com José Maria Cordeiro, no dia 21 de setembro de 1814, na Capela de Itapocoroy.

Em 1814, no dia 11 de julho, Silvestre requereu sesmaria na Praia Brava, ao lado das terras que já possuía, que eram terras devolutas, alegando que tinha onze filhos para sustentar e as terras que possuía já não produzia o suficiente para o sustento de sua família.

Dois dias depois, no dia 13 de julho, Silvestre requereu sesmaria no Rio Pequeno, afluente do Itajaí-açú, no atual município de Ilhota, onde haviam terras devolutas que estremavam, ao norte com as da viúva Mariana Dias e pelos outros lados com o rio Pequeno.

O filho Felicio casou com Thomazia Rosa de Jesus, no dia 01 de outubro de 1817, na Capela de Armação de Itapocoroy.

Silvestre faleceu no dia 02 de março de 1819, com 53 anos, na Praia Brava. Foi sepultado na Capela de São João Batista, em Armação de Itapocoroy, com as bênçãos do padre Bernardino José do Espírito Santo Ferreira.

Quando Silvestre faleceu, alguns filhos ainda eram solteiros, Manoel tinha 25 anos, José, 23 anos, Silvano, 19, Luiz, 18 anos, Maria Ignacia de Jesus, 16 anos, Joaquina Ignacia, 13 anos, Luiza Mariana, 10 anos, e a caçula Anna Ignacia da Paixão, apenas seis anos. O filho Miguel provavelmente faleceu ainda jovem, mas se ainda fosse vivo teria 21 anos.

Ainda em 1819, o filho Luiz casou com Maria Thomazia de Jesus, no dia 10 de outubro, na Capela de Armação de Itapocoroy, onde no ano de 1822 também casaram outros dois filhos, Maria Ignacia de Jesus com José Antonio de Oliveira, no dia 15 de outubro, e o filho José com Sebastianna Rosa de Jesus, no dia 28 de dezembro. Antes de 1923, o filho Silvano também se casou, com Anna Francisca Rosa.

Após a morte de Silvestre, em 1824, seus filhos, representados por Felicio de Borba Coelho, continuaram a pleitear as terras no Rio Pequeno, medindo 500 braças de frente, com 900 de fundo, que depois de longos anos de burocracia, ainda não havia sido concedida pelo Governo. A petição foi registrada pelo escrivão Manoel Antonio de Souza Medeiros.

Por volta de 1827 a filha Joaquina casou com Joaquim José Pereira. Por volta de 1930, também se casou a filha Luiza Mariana, com Manoel Luís Pereira. Já por volta de 1831, a caçula Anna Ignacia casou com Julião José Machado de Espindola.

Há o registro de uma escrava da viúva Ignacia Marianna, de nome Luiza, que teve um filho de nome Jeremias que nasceu no dia 08 de março de 1830, de pai incógnito, e foi batizado no dia 21 de março de 1830, em Itajaí. Foram seus padrinhos, Julião Machado e Sabina Pereira, solteiros.

Deferido o requerimento das terras no Rio Pequeno, Felicio e seus irmãos mudaram-se para o local, onde deram início à cultura de cana de açúcar, mandioca e arroz, porém ao aprofundar a exploração das terras, invadiram a região dominada pelos índios, denominados pelos colonos de “bugres”.

Nesse contato com os índios, destacaram-se José de Borba Coelho e seu cunhado Joaquim José Pereira, marido de Joaquina, que fizeram amizade com o cacique da tribo, aprendendo inclusive sua língua e seus costumes, proporcionando assim uma convivência pacífica com os índios.

Porém nem tudo era calmaria, haviam os bugres chamados de renegados, que não aceitavam a convivência pacífica com os brancos e moviam constantes ataques aos colonos da região. Esses ataques acarretaram em alguns confrontos entre renegados e colonos na região. Para combater esses renegados foram incumbidos José de Borba Coelho e Joaquim José, auxiliados por seus filhos.

Pacificada a região de Rio Pequeno, surgiu a notícia da descoberta de ouro em terras pertencentes aos Borba Coelho nas margens do rio Camboriú, ou Cambriú, como era chamado. Porém essas terras eram dominadas pelos bugres.

José de Borba Coelho e outros irmãos deslocaram-se para o local e começaram a exploração da mina, facilitada pela pratica que José tinha em tratar com os bugres. Esgotada a pequena reserva de ouro, os irmãos de José retornaram ao Rio Pequeno, porém José e seus filhos permaneceram em Camboriú, convivendo pacificamente com os bugres locais.

Ignacia Marianna faleceu após 1841.

Em 1842, quando ocorreu o inventário dos bens do Tenente Francisco Lourenço da Costa, comerciante do Rio Itajaí, sendo inventariante sua viúva Justina Rosa, surgem, como devedores do espólio, os nomes de: Silvestre de Borba, da Praia Brava, Luís de Borba, de Cambriú, José de Borba, da Praia Brava, Manoel de Borba, da Praia Brava, José Joaquim, da Praia Brava, José de Borba do Rio Itajaí, Marcelino de Cambriú, morador na Praia Brava, e José Borba, da Praia Brava. Seriam então, filhos e netos de Silvestre.

Em 1845 a região de Barra Velha foi vítima de ataques violentos dos bugres que oprimidos pela fome, por conta da falta de farinha de mandioca, invadiram os engenhos de farinha e casas particulares em busca de alimentos. Essas invasões originaram uma luta sangrenta entre colonos e índios. Os bugres tinham vantagem, pois atacavam a noite, sempre em lugares diferentes.

Diante desta situação de insegurança, a população de Barra Velha resolveu enviar uma comissão de moradores até Camboriú para buscar José de Borba Coelho, que era famoso bugreiro e pacificador, conhecedor da língua e dos costumes dos índios.

Ao chegar em Camboriú, a comissão foi surpreendida com a notícia do falecimento de José de Borba Coelho e para substituí-lo trouxeram então seus filhos Francisco José de Borba e Silvano de Borba Coelho, que como seu pai eram famosos como bugreiros.

Já em Barra Velha, Francisco José ficou residindo na Vila de Barra Velha, onde hoje fica o Centro da cidade, enquanto Silvano foi residir na localidade da Figueira, no Jaraguá, atual município de Jaraguá do Sul, local que era passagem obrigatória dos índios que desciam da serra do mar para o litoral.

Com o apoio da população de Barra Velha, os Borba Coelho começaram uma campanha de pacificação dos índios, facilitado pelo conhecimento de seus costumes e língua. Em contato com os índios, ficaram sabendo o motivo da revolta dos mesmos contra os colonos. Os colonos invadiram a região dos “tabuleiros”, onde os índios costumavam plantar a mandioca, o que os impossibilitou que os mesmos pudessem produzir a farinha que era a base de sua alimentação.

Reunidos os colonos, ficou decidido que a noite todos colocariam um prato de farinha na porta das casas e que os donos de engenho destinassem pequena parte de sua produção de farinha para os índios. Assim, iniciou-se a pacificação dos índios que começaram a conviver novamente em paz com os colonos, permanecendo somente alguns bandos de índios “renegados” que não aceitavam mais conviver com os brancos e que por isso passaram a ser caçados até que fossem exterminados ou deixassem a região.

Além dos filhos de José, por volta de 1860, também se mudaram para a Freguesia de Barra Velha a família de Joaquina e Joaquim José Pereira com os filhos do casal, assim como os filhos de Felicio de Borba Coelho. As famílias se estabeleceram na localidade do Itapocú, na margem direita do rio de mesmo nome.

A convivência pacifica entre colonos e índios prosseguiu, chegando ao ponto dos colonos cederem parte dos tabuleiros para que os índios voltassem a plantar mandioca, a fornecerem ferramentas para os índios fazerem novas coivaras e alguns donos de engenho cederam suas instalações para que os índios fabricassem suas farinhas e derivados.

Tudo corria bem, até que certo dia, a população tomou conhecimento de que na localidade de Morretes, nos arredores de Barra Velha, teriam chegado centenas de bugres desconhecidos. Temendo novos ataques e estando Francisco ausente de Barra Velha, pois tinha se dirigido até a região da serra para contato com os caciques que estavam em reunião, alguns moradores encarregaram um tal “Negro Francisco” para resolver o problema com os bugres.

Negro Francisco reuniu diversos homens e a noite invadiram o acampamento dos bugres no Morretes, que dormiam ao redor de fogueiras e num ataque sanguinário cortaram a cabeça de todos. Ao amanhecer o dia, os colonos foram até o acampamento e para surpresa geral, estavam todos mortos, com os pescoços cortados e eram somente umas dezenas de velhos, mulheres e crianças.

Esse massacre foi tão sanguinário e horripilante que revoltou toda a população de Barra Velha, que pediram auxílio às autoridades. De São Francisco do Sul, vieram as autoridades para prender os assassinos que já haviam fugido e foram perseguidos por colonos e índios pacificados.

Após esse incidente, os colonos que ainda não tinham aderido à convivência pacífica com os índios, passaram a aceitar o convívio e desta data em diante muitos índios começaram a trabalhar com os brancos, os homens pescando e as mulheres suprindo os brancos com tucum e grasuata, fibras necessárias à confecção de redes para pesca.

Os descendentes de Silvestre e Ignacia Marianna se espalharam pelas cidades de Penha, Itajaí, Camboriú, Porto Belo, Navegantes, Balneário Piçarras, Ilhota, Gaspar, Blumenau, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Araquari, Barra Velha, São João do Itaperiú e região.


Descendência de Silvestre de Borba Coelho e Ignacia Marianna:



1.2.1 JOÃO DE BORBA COELHO

João de Borba Coelho, o primogênito, nasceu por volta de 1787, na Freguesia de São Miguel da Terra Firme, onde foi batizado.

Por volta de 1792, com apenas cinco anos, sua família se mudou para a Freguesia de Armação de Itapocoroy, estabelecendo-se na Praia Brava, em Itajaí, onde ele aprendeu a ler e a escrever.

Casou aos 21 anos com Angélica Rosa de Jesus, no dia 13 de agosto de 1808, na Capela São João Batista, em Armação de Itapocoroy, na Penha, em cerimônia celebrada pelo padre José Antonio Martins. Foram testemunhas, Manoel Airoso e José Ignacio Borges.

Angélica nasceu por volta de 1792, era natural da Freguesia de São Miguel da Terra Firme, onde foi batizada, e era filha de Antonio José Santos Forte e de Francisca Leonarda.

João e Angélica tiveram um filho: Francisco Antonio de Borba, nascido por volta de 1805.

João de Borba Coelho e Angélica Rosa batizaram no dia 11 de março de 1812, Enrique, nascido no dia 13 de fevereiro de 1812, filho da escrava de Alexandre José de Azevedo, Catharina, que por sua vez era filha dos escravos da Costa da Guiné, Manoel João e Maria Joaquina.

O casal também foi padrinho de Serafim Antonio de Borba, filho do irmão de João, Antonio, nascido no dia 03 de agosto de 1814, que foi batizado no dia 06 de agosto de 1814, em Armação de Itapocoroy. Além de Maria Thomásia de Borba, filha de seu irmão Felicio de Borba Coelho, que foi batizada, no dia 03 de junho de 1822, também em Armação de Itapocoroy.

Angélica Rosa também foi madrinha, ao lado do cunhado, Felicio de Borba Coelho, de Silvestre de Borba Cordeiro, filho de sua cunhada Joanna Antonia, irmã de João, que foi batizado no dia 28 de março de 1816, em Armação de Itapocoroy.

No dia 16 de abril de 1821, em Armação de Itapocoroy, João de Borba Coelho foi padrinho do batismo de seu sobrinho José de Borba Pereira. Anna Thomasia foi a madrinha.

Angélica Rosa faleceu depois de 1822. João de Borba Coelho faleceu entre 1822 e 1840.


1.2.1.1 Francisco Antonio de Borba nasceu por volta de 1805.

Casou com Rosa Maria de Jesus, nascida por volta de 1805, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha de Antonio José Machado e Damiana Rosa de Jesus.

Francisco e Rosa tiveram dez filhos: Maria Rosa de Borba, João Francisco de Borba, Antonio, José Francisco de Borba, Francisca Rosa Maria, Joaquina Rosa de Jesus, Lucinda, Serafim, Maria da Conceição e Anna Francisca Rosa de Jesus.

Francisco Antonio de Borba residiu no lugar denominado Canhanduba, em Itajaí, onde morava já antes de 1859 e onde além de lavrador, foi Capitão, nomeado Major em 1867, além de no fim do mesmo ano ter sido nomeado Tenente Coronel do 5º Corpo de Cavalaria da Guarda Nacional.

Foi também Administrador da Mesa de Rendas da Cidade de Itajaí, nomeado em 1878. E em 1881 também foi presidente do Diretório do Partido Liberal em Itajaí.

Francisco teve uma escrava de nome Domingas, preta, que nasceu no dia 08/10/1839, batizada no dia 10 do mesmo mês, em Itajaí. Foram seus padrinhos, João José e Serafina. Domingas teve duas filhas, Maria e Custódia. Maria nasceu a 02/08/1869 e foi batizada em Itajaí no dia 22/09/1869, sendo seus padrinhos, Antonio Ferreira e Maria. Custódia, de cor preta, nascida sob a lei do ventre livre, que faleceu com apenas dez meses, no dia 07/01/1873, vítima de ataque de vermes e foi sepultada no cemitério da Matriz.

No dia 01/01/1862, seu escravo Lucas, de apenas 14 meses, faleceu, em Itajaí.

Na eleição para vereador da cidade de Itajaí de 1859, Francisco recebeu 15 votos na Freguesia de Penha e 5 votos em Itajaí. Entretanto, nas eleições de 1964 elegeu-se vereador de Itajaí, ocupando o cargo de 1865 a 1869.

No dia 04/03/1878 foi também nomeado 3º suplente do Juiz Municipal e de Órfãos do Termo de Itajaí, porém em maio do mesmo ano pediu exoneração do cargo.

Rosa faleceu com 77 anos, no dia 12/08/1882, em Canhanduba, Itajaí, vítima de hydropesia, deixando Francisco viúvo. Foi sepultada no dia seguinte, em Itajaí.

Viúvo, Francisco casou aos 76 anos com sua prima Maria Joaquina de Jesus, de 66 anos, viúva de Joaquim Pereira Braz, filha de José Maria Cordeiro e de sua tia paterna Joanna de Borba, moradora na Freguesia de Gaspar, no dia 24/11/1883, na Capela de São Pedro Apostolo, Freguesia do Gaspar. Foram testemunhas: Luiz Bremer e Carlos P. Hoeschl, este morador da freguesia de Gaspar, aquele morador do Itajaí.

Maria faleceu com 66 anos, no dia 29/09/1884, na Freguesia de Gaspar, de moléstia desconhecida. Foi sepultada no cemitério de Gaspar.

Francisco faleceu aos 83 anos, no dia 23/09/1888, às sete horas da manhã, em Canhanduba, Itajaí, vítima de câncer, sendo sepultado no dia seguinte, em Itajaí.

1.2.1.1.1 Maria Francisca Rosa de Borba nasceu por volta de 1826, em Armação de Itapocoroy, Penha.
Casou com Manoel Vicente dos Santos, nascido dia 28/05/1798, em Armação de Itapocoroy, filho de José Vicente dos Santos e de Lauriana Ignacia de Jesus.
Tiveram nove filhos, entre eles:
1. Rosa nasceu no dia 06/04/1847, em Itajaí, onde foi batizada no dia 25/04/1847. Padrinhos: João Francisco de Borba e Maria Antônia da Costa.
2. Maria José dos Santos. Casou com Rodrigo Jose de Sant'Anna, filho de João de Deus de Santa Ana e de Efigênia Gertrudes de Sousa, com quem teve três filhos: 1. Antonio, nascido dia 02/08/1882; 2. Pedro, nascido dia 27/04/1884; e 3. Sotero, nascido dia 22/04/1889.
3. Francisco Boaventura dos Santos (*Itajaí). Casou com Luisa Maria Praxedes (*Itajaí), filha de Antonio José Machado e Maria Bernardina de Jesus. Filhos: Brasilina (*18/12/1877, Gaspar Casou com Francisco Bento Borges, em segundas núpcias, dia 15/11/1923, em Itajaí); Ana Julia (*19/08/1879, Gaspar); Bernardina (*14/12/1880, Gaspar).
4. Infancia Maria de Jesus (*Itajaí). Casou com Manoel Silveira de Andrade (*São José), filho de Silverio Antonio de Andrade e Maria Caetana de Jesus. Moraram em Gaspar. Filho: João (*27/04/1879, Gaspar). 

1.2.1.1.2 João Francisco de Borba nasceu por volta de 1828, em Itajaí.
Casou com Sabina Maria (Anna) de Jesus Machado, com que teve dez filhos, todos nascidos em Itajaí. Sabina nasceu por volta de 1832, em Itajaí.
1. Maria Francisca da Glória nasceu por volta de 1849, em Itajaí. Casou com João do Carmo Evangelista (*Itajaí), filho de Antonio José Machado e Maria Bernarda de Jesus. Moraram na Freguesia de Gaspar. Filhos: José Marsen (*06/05/1876, Gaspar); Maria Madalena (*16/12/1879, Gaspar); Estacio (*20/09/1880, Gaspar).
2. Francisca Sabina de Borba nasceu por volta de 1851, em Itajaí.
3. João Francisco de Borba nasceu no dia 30/03/1854, em Itajaí. Casou com Maria Valentina de Souza, nascida em 14/02/1855, filha de João de Deus de Santa Ana e Efigênia Gertrudes de Sousa. Tiveram três filhos: 1. Maria, nascida dia 11/02/1876; 2. Sabina, nascida dia 25/09/1877; e 3. Eduarda, nascida por volta de 1879 e falecida dia 16/01/1881, em Penha.
4. Apollinario João de Borba nasceu no dia 22/07/1855, em Itajaí. Casou com Francisca Gertrudes de Santa Ana, nascida dia 16/03/1859, filha de João de Deus de Santa Ana e Efigênia Gertrudes de Sousa, irmã da esposa de seu irmão João Francisco, no dia 28/01/1888, na Matriz da Penha de Itapocoroy, às dez horas da manhã, sendo testemunhas Policarpo Gonçalves Ribeiro, Francisco de Borba, Izidro Caetano Vieira. Teve quatro filhos: 1. João Brandão de Borba, nascido no dia 15/12/1894, em Penha de Itapocoroy; 2. Horminda Francisca de Borba; 3. Ignacio Apolinário de Borba; e 4. Maria Madalena de Borba.
5. Francisco nasceu no dia 04/02/1858, em Itajaí.
6. Hermenegilda Rosa de Jesus nasceu no dia 13/04/1859, em Itajaí. Casou com João Ricardo Pereira, filho de Ricardo José Pereira e de Porfiria Rosa de Jesus. Tiveram o filho Polycarpo, nascido dia 06/10/1881, em Gaspar.
7. Deolinda Sabina de Borba nasceu por volta de 1860, em Itajaí.
8. Domingos João de Borba nasceu no dia 01/12/1861, em Itajaí.
Casou com Maria Idalina dos Santos, nascida dia 26/11/1866, com quem teve os filhos: 1. Jacyntho nascido dia 26/05/1890, em Barracão, Gaspar; 2. Domingos, nascido dia 20/02/1902, em Barracão, Gaspar, que casou com Matilde Búrigo dia 28/09/1957, em Itajaí. Domingos, o pai, faleceu com 73 anos, no dia 12/06/1935, em Itajaí. Maria Idalina faleceu dia 04/08/1955. Foram sepultados no Cemitério de Laranjeiras.
9. Maria nasceu no dia 06/02/1864, em Itajaí.
10. Marcellina Sabina de Jesus. Casou com Jacintho Antonio dos Santos, com quem teve o filho Vicente nascido dia 14/07/1882 e batizado em Brusque.
Sabina faleceu em 1864, em Itajaí, com cerca de 32 anos.
Após viuvar, João Francisco casou com Lucinda Maria de Souza no dia 17/09/1864, em Itajaí. Foram testemunhas, Antônio José Machado e Serafim Silveira da Costa e o padre foi João Domingues Alvares Veiga.
Lucinda nasceu por volta de 1833, em Penha de Itapocoroy, filha de Jacinto de Souza Soares e Gertrudes Rosa de Jesus, com quem teve mais quatro filhos:
1. Jacintho nasceu no dia 28/07/1865, em Itajaí.
2. José Lucindo de Borba nasceu no dia 06/08/1866, em Itajaí. Foi batizado no dia 02/11/1866, na Matriz de Itajaí. Foram padrinhos João de Sousa Soares e Genoveva Francisca de Jesus. Casou com Francisca Maria de Sousa no dia 12/01/1895 na igreja matriz de São Luiz em Brusque. Ambos eram moradores em Barracão, Brusque. Foram testemunhas Francisco Machado da Luz e Domingo João de Borba. Casou no civil no mesmo dia. Foram testemunhas Germano Krieger, Constante de Coninqui, Francisco Machado da Luz e Dorval Duarte Silva da Luz. Francisca nasceu no dia 06/01/1875, em Morretes, na Colônia Itajaí, Brusque. Viúvo, casou pela segunda vez com Maria Carolina da Rocha, no dia 09/07/1904, na Matriz de Brusque. Foram testemunhas José Pinto de Amaral e Luiz Gonzaga Custodio. Carolina era filha legítima de Albano Rocha e de Maria Carolina de Jesus, natural de Itajaí. Casaram no civil no mesmo dia, na Vila de Brusque. Foram testemunhas, José Pinto do Amaral e Luiz Gonzaga Custodio. Ambos residiam no lugar Limoeiro do município de Itajaí.
3. Maria José Lucinda de Borba nasceu no dia 20/09/1867, em Itajaí.
4. Jorgina Lucinda de Borba nasceu no dia 08/02/1869, em Itajaí. Foi batizada no dia 12/04/1869, na Matriz de Itajaí, pelo Padre Miguel Ruggiero. Foram padrinhos Silvino Antonio de São Cleto e Jesuína Maria de Conceição.
João Francisco faleceu antes de 1873, em Itajaí.

1.2.1.1.3 Antonio nasceu no dia 29/07/1831, em Itajaí, onde batizado no dia 29/09/1831, sendo seus padrinhos: Antonio J. de Oliveira e sua irmã Luiza.

1.2.1.1.4 José Francisco de Borba nasceu por volta de 1833, em Itajaí. Morou em Canhanduba, em Itajaí com sua família. 
Casou com Maria Angelica de Jesus, ou Maria Libania da Veiga, por volta de 1854. Maria era filha de Florencio Machado da Veiga e Angelica Roza, nasceu em setembro de 1834, na Praia Brava, em Itajaí e foi batizada no dia 15/11/1834, na Capela de São João Batista, em Armação de Itapocoroy, Penha, pelo Padre Gregório José Lopes Nunes. Foram seus padrinhos, Felicio Jose Borges e sua mulher Joaquina Pereira, todos naturais e moradores desta mesma Capela.
Do casamento com Maria, José Francisco teve nove filhos:
1. Francisco José de Borba nasceu por volta de 1855, em Itajaí, recebendo o nome do avô paterno. Casou com Maria Joaquina de Jesus, natural de Camboriú, filha de José Maria Correa e Joaquina Rosa de Jesus. Moraram em Gaspar, onde nasceu os filhos: Adelaide (*16/12/1883, Gaspar); [menino] (*+14/06/1885, nasceu já morto); Manoela (*+13/10/1886, faleceu duas horas após nascer); Magdalena (*~03/1888, Gaspar +03/12/1888, Gaspar, de moléstia desconhecida). Provavelmente morou em Luiz Alves, onde teve mais filhos.
2. Florencio José de Borba nasceu no dia 03/06/1857, em Itajaí, recebendo o nome do avô materno. Foi batizado no dia 26/07/1857, na Matriz do Santíssimo Sacramento, em Itajaí. Casou aos 21 anos, com Francisca Rosa de Jesus, ou Francisca Germana Potter, de 16 anos, nascida por volta de 1863, em Itajaí, filha de Germano Henrique Potter e Maria Lucia Rosa de Jesus, moradores em Canhanduba. Eram parentes em segundo grau. O casamento religioso ocorreu no dia 08/06/1878, na Matriz de Camboriú, com o Padre João Rodrigues de Almeida. Foram testemunhas Joaquim da Silva Santos e Silvino Antonio Leite. O casamento civil ocorreu no dia 25/06/1878, em Itajaí. Também se casaram na igreja de Brusque, no dia 24/07/1879, sendo testemunhas João da Silva Mafra e João Francisco da Rocha e o padre, Augusto Servanzi. O casal morou em Brusque, no Cedro Grande, onde tiveram dez flhos: 1. Manoel de Borba; 2. João Jose de Borba, nascido em 27/05/1879; 3. Jovêncio Florêncio de Borba (*24/11/1880), morador em Medeiros, Barra Velha, que casou com Cesaria Maria Caetana; 4. Maria da Conceição de Borba (*14/11/1883); 5. Rosalina Francisca Potter (*10/01/1886 +26/12/1890); 6. Liduvina Borba (*03/07/1887, Ribeirão Mafra Bat. Nova Trento), que casou com João Alexandre Silverio; 7. Serafina Francisca Borba (*04/01/1889); 8. Martinha Generiça (*18/04/1890, Barracão); 8. Francisco (*28/01/1892), que casou com Eleutheria Cesaria Ferreira; 10. Rosalina (*28/01/1898); 11. Germano Florêncio de Borba (*27/06/1899). Florencio também teve um filho com Luzia Cardoso Ferreira, filha de João Cardoso Ferreira e Francisca Luzia, moradora em Ribeirão Mafra, Brusque, chamado Igino Cardoso (*1886). Florencio José de Borba faleceu entre 1910 e 1928. Sua esposa Francisca faleceu aos 65 anos, em 22/07/1928, no lugar Canhanduva, em Itajaí, sendo enterrada no cemitério público daquela cidade.
3. Manoel José de Borba nasceu no dia 07/07/1858, em Itajaí. Foi batizado no dia 08/08/1858, em Itajaí. Foram padrinhos, seus tios paternos, Manoel Vicente dos Santos e Maria Francisca de Borba. Casou com Rosa Clementina de Jesus no dia 27/08/1881, em Itajaí. Rosa nasceu no dia 17/12/1866, em Gaspar, filha de Domingos de Souza Soares e Clementina Rosa de Jesus. Tiveram um filho: 1. Domingos, nascido dia 22/05/1900, em Itajaí.
4. Amândio José de Borba nasceu no dia 04/02/1860, em Itajaí. Casou com Umbelina Maria de Jesus, filha de Manoel Vicente dos Santos e de Maria Roza de Jesus. Moraram em Brusque, onde tiveram seus filhos. 1. Maria, nascida dia 16/01/1887, em Brusque.
5. Serafina Maria de Borba (*11/04/1861, Itajaí Bat. 31/10/1861, Matriz de Itajaí Padr: Francisco Luis de Andrade e Joaquina de Jesus). Casou com José Vicente dos Santos e viuvou. Casou pela segunda vez com João Mathias da Maia (*Gaspar), filho de João Bertolino da Maia e de Rita Maria Rosa, morador de Gaspar, no dia 12/05/1888, na Igreja de São Pedro Apostolo, de Gaspar.
6. Reinaldo nasceu no dia 22/02/1863, em Itajaí. Faleceu com apenas 18 meses, no dia 04/09/1864, em Itajaí.
7. João José de Borba nasceu no dia 30/08/1864, em Itajaí. Foi batizado no dia 08 do mês seguinte, na Matriz de Itajaí. Foram padrinhos, Manoel de Souza Leite e sua mulher Candida Rosa do Amor Divino.
8. Gabriel José de Borba nasceu no dia 15/10/1865, em Itajaí.
9. Rosa Maria de Borba nasceu no dia 17/08/1867, em Itajaí.
Maria faleceu em 1867.
Viúvo, José Francisco se casou com Idalina Rosa de Jesus, filha de João Vicente dos Santos e Anna Rosa de Jesus, com quem teve mais dez filhos.
1. Maria nasceu no dia 23/08/1868, em Itajaí. Foi batizada no dia 17/04/1869, na Matriz de Itajaí, pelo Padre Miguel Ruggiero. Foram padrinhos, Claudino José Pacheco e Júlia de Castro.
2. Lídia nasceu no dia 02/04/1870, em Itajaí.
3. Bernardino José de Borba nasceu no dia 25/07/1871, em Itajaí.
4. Idalino nasceu no dia 05/07/1873, em Itajaí. Foi batizado no dia 25/02/1874, na Matriz de Itajaí, pelo Padre João Maria Cybeo. Foram padrinhos, o avô materno e Maria Werner, solteira.
5. Maria nasceu no dia 19/07/1876, em Itajaí.
6. Geraldino nasceu no dia 25/04/1879, em Itajaí.
7. Lídia Idalina de Borba nasceu no dia 16/04/1881, em Itajaí.
8. Serafim nasceu no dia 28/03/1883, em Itajaí.
9. Arminda nasceu no dia 28/03/1883, em Itajaí.
10. Virgínio de Borba nasceu no dia 27/11/1885, em Itajaí.
José Francisco de Borba faleceu com cerca de 48 anos, em Canhanduba, vítima de febre perniciosa e foi sepultado no dia 11/10/1881.

1.2.1.1.5 Francisca Rosa Maria nasceu no dia 04/10/1835, em Itajaí, onde foi batizada na Matriz do Santíssimo Sacramento, no dia 24/01/1836. Foram padrinhos Antonio José da Costa e Infância Leopoldina.
Casou com Manoel Antonio de Borba, nascido por volta de 1826, em Armação de Itapocoroy, Penha, primo de seu pai, filho de Antonio de Borba Coelho e Rosa Ignacia e com ele teve 10 filhos.
1. [Ver filhos em 1.2.2.5 Manoel Antonio de Borba]

1.2.1.1.6 Joaquina Rosa de Jesus nasceu por volta de 1837, em Itajaí.
Casou com Antonio Sant'anna de Oliveira, nasceu por volta de 1826, em Itajaí, e com ele teve cinco filhos nascidos em Itajaí. Moraram em Canhanduba, Itajaí.
1. Serafim Antônio de Sant'anna nasceu por volta de 1855, em Itajaí.
2. Francisco nasceu no dia 09/12/1857, em Itajaí.
3. Rosa Joaquina de Sant'anna nasceu no dia 03/04/1859, em Itajaí.
4. Bernardino nasceu no dia 03/12/1862, em Itajaí.
5. Maria Joaquina de Sant'anna nasceu no dia 03/12/1862, em Itajaí.

1.2.1.1.7 Lucinda nasceu no dia 21/12/1839, em Itajaí, onde foi batizada no dia 26/01/1840. Foram padrinhos Serafim de Borba Coelho e Maria Francisca.

1.2.1.1.8 Serafim nasceu por volta/12/1840, em Itajaí e faleceu no dia 14/07/1843, em Itajaí, ainda menino, com 2 anos e 6 meses. Foi encomendado no dia 15/08/1843, na Matriz de Itapocoroy, pelo Padre Francisco Hernandez.

1.2.1.1.9 Maria Rosa da Conceição nasceu no dia 21/04/1844, em Itajaí, onde foi batizada na Matriz do Santíssimo Sacramento, no dia 12/05/1844. Seus padrinhos foram José Felicio de Borba e Nossa Senhora.
Casou com Manoel Jacintho dos Santos. Manoel nasceu no dia 28/11/1835, em Itajaí, filho de Jacinto Antônio dos Santos e Vicencia Maria de Jesus. Tiveram seis filhos:
1. Bernardina Maria da Conceição (*22/07/1861, Itajaí)
2. Maria (*29/06/1862, Itajaí)
3. Jacinto (*13/09/1863, Itajaí)
4. Maria (*16/07/1868, Camboriú)
5. Crescência (*14/09/1869, Camboriú)
6. Honorato (*22/12/1873, Várzea do Ranchinho, Itajaí Bat. 21/02/1874, Matriz de Itajaí Padr: Antonio Werner e sua mulher Cristina Reinert)

1.2.1.1.10 Anna Francisca Rosa de Jesus nasceu no dia 18/09/1845, em Itajaí, onde foi batizada em 28/09/1845. Foram seus padrinhos, Vicente ... e Anna Francisca.
Casou com Serafim Silveira da Costa, nasceu em 14/05/1836, em Armação de Itapocoroy e com ele teve 3 filhos. 



1.2.2 ANTONIO DE BORBA COELHO

Antonio de Borba Coelho nasceu por volta de 1789, na Freguesia de São Miguel da Terra Firme, onde foi batizado, recebendo o mesmo nome do avô paterno.

Casou com Rosa Maria, no dia 10 de novembro de 1811, na Capela de São João Batista de Itapocoroy, em Armação de Itapocoroy. Foram testemunhas da união celebrada pelo Padre José Antonio Martins, Manoel Antonio da Silva e José Antonio.

Rosa Maria, ou Rosa Ignacia, nasceu em 08 de setembro de 1793, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha do Alferes Antonio Francisco da Silva Coutinho e de Maria Santa de Jesus, naturais da freguesia de São José, moradores na Praia das Piçarras. Neta paterna de Antonio Silveira e Maria Santa, naturais da Ilha Terceira, e materna de Manoel José Silveira e Barbara de Jesus, naturais da Ilha de São Jorge. Foi batizada no dia 12 de setembro de 1793, na Capela de São João Batista de Itapocoroy, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos Manoel Marques Guimarães e Rosa Ignacia.

O casal morou em Armação de Itapocoroy, onde nasceram seus sete filhos: José Antonio de Borba Coelho, Serafim Antonio de Borba, Maria Rosa de Jesus, Alberto Antonio de Borba, Manoel Antonio de Borba, Floriano Antonio de Borba e Jacinto Antonio de Borba.

Antonio e sua mulher Rosa Maria foram padrinhos de batismo de Laurinda, filha de Marcelino José Cardoso e Mariana Francisca, batizada no dia 13 de outubro de 1822, em Itapocoroy. Além de Maria, filha de Silvano Luiz e Bárbara Tavares, batizada no dia 27 de junho de 1828, em Itapocoroy. Também foram padrinhos de Manoel, filho de Maria, mãe solteira, moradora nas Piçarras, batizado no dia 15 de novembro de 1834, em Itapocoroy.

Há registro de que Antonio teve uma escrava crioula de nome Francisca e a mesma deu a luz um filho de pai incógnito, chamado Sebastião, nasceu a 10 de janeiro de 1830, em Itapocoroy, sendo batizado no dia 17 do mesmo mês, pelo Frei Gregório das Dores. Seus padrinhos foram José e Maria, também escravos. A mesma escrava teve outro filho de pai incógnito, um crioulo de nome Fernando, que nasceu a 06 de dezembro de 1831, em Itapocoroy, sendo batizado no dia 18 de fevereiro de 1832, pelo Padre Bernardino José do Espírito Santo Ferreira. Seus padrinhos foram José Fortunato Duarte e Maria Joaquina de Jesus, solteiros.

Antonio de Borba Coelho e Rosa Ignacia faleceram depois de 17 de junho de 1856.


1.2.2.1 José Antonio de Borba Coelho nasceu dia 26/12/1812, em Armação de Itapocoroy. Foi batizado no dia 10/01/1813, pelo Padre José Antonio Martins, sendo que seus padrinhos foram os tios paternos, Joanna da Trindade e o irmão, Felicio de Borba Coelho. Recebeu o mesmo nome do padre que o batizou.

No dia 04/05/1831, em Itapocoroy, José Antônio e sua irmã Maria Rosa foram padrinhos de José, filho de Ignacio José e Joanna de Jesus

Casou com Lucinda Anna Rosa, ou Lucinda Anna Francisca, nascida por volta de 1824, em Itajaí, sua prima, filha de seu tio Silvano de Borba Coelho e Anna Francisca Rosa e com ela teve onze filhos.

José e Lucinda faleceram entre 1862 e 1873.

1.2.2.1.1. Antonio José de Borba nasceu em 19/09/1844, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizado pelo Padre Bernardo da Cunha Brochado, no dia 26/09/1844. Seus padrinhos foram: Antonio de Souza e Rosa Maria.
Casou com Maria Rosa de Jesus, nascida no dia 28/12/1854, em Armação de Itapocoroy, filha de Felicio Ricardo Tavares de Miranda Coutinho e Florentina Rosa de Jesus, naturais de Itapocoroy.
Em Penha o casal teve seus cinco filhos.

1.2.2.1.2 Maria Lucinda de Jesus nasceu dia 11/03/1846, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 14/04/1846. Foram padrinhos, seus tios paternos, Manoel Antonio de Borba e sua irmã, Maria de Jesus.
Casou com Leonardo Luís Francisco Laudá, filho de Luís Garcia Laudá e Anna Francisca de Oliveira, no dia 07/05/1866, em Penha, com o Padre Antonio Francisco Nobrega. Foram testemunhas: Serafim Antonio de Borba e Alberto Antonio de Borba.
Desta união teve três filhos.

1.2.2.1.3 Thomazia Lucinda de Jesus nasceu no dia 17/01/1848, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 12/02/1848. Foram seus padrinhos, os avós maternos, Silvano de Borba Coelho e Anna Francisca.
Casou com Manoel Ramos de Miranda, nascido por volta de 1843, em Penha, filho de João Antonio Ramos de Miranda e Joaquina Anna da Conceição, com quem teve 3 filhos nascidos em Penha.

1.2.2.1.4 Joaquina Lucinda de Jesus de Borba nasceu por volta de 1850, em Penha.
Casou com Francisco Dionisio Caetano da Silva, ou Francisco Dionisio de Souza, nascido por volta de 1850, em Penha, filho de Dionísio José Caetano da Silva e Carolina Maria de Oliveira, na Igreja Matriz da Freguesia de Penha. Tiveram oito filhos, nascidos  em Barra Velha.
Francisco faleceu antes de 1901. Joaquina faleceu após 1917.
1. José Pedro da Silva (*~1872).
Casou com Hedeviges Justina de Jesus (*~1875, Barra Velha), filha de Manoel Dionysio da Silva e Justina Jesuina de Jesus, no dia 04/05/1901, na casa de Manoel Dionysio da Silva, no Itinga. 
2. Adelaide Joaquina da Silva (*~1885, Barra Velha). Casou com Francisco Dionisio de Moraes (*~1872, Barra Velha), viúvo de Isabel Carolina de Oliveira, filho de Dionysio Manoel Antonio de Moraes e Maria Claudina de Jesus, morador em Barra Velha, no dia 09/12/1893, na Matriz de Barra Velha. Filho: Maria Adelaide de Moraes (*~1895, Barra Velha), que casou com Miguel Thomaz de Simas Pires (*~1873, Tijucas), viúvo de Brasilina Francisca da Silveira, morador de Barra Velha, filho de Manoel João Pires e Custodia Luiza, no dia 10/12/1923, na Matriz de Barra Velha 
3. Antonio (*17/11/1875, Barra Velha Bat. 19/03/1876 Padr: Antonio José de Moura e sua mulher Anna Rosa de Jesus)
4. Simphronio Francisco da Silva (*~1882, Barra Velha +10/06/1945, Barra Velha). Morou no Itinga.
Casou com Isabel Julianna da Silva (*~1886, Barra Velha +21/12/1960, Barra Velha), moradora no Itinga, filha de Miguel Alves da Silva e Maria Bonifacia da Conceição, no dia 17/10/1908, na casa de Eduardo Floriano da Costa, no Itinga.
5. Maria (*01/07/1883, Barra Velha Bat. 18/08/1883 Padr: João Estevão Caetano e Joaquina Maria de Jesus)
6. Estrelina (*05/01/1884, Barra Velha Bat. 02/03/1886, Barra Velha Padr: Nazario Caetano da Silva e Nossa Senhora da Penha)
7. Sebastião (*22/01/1887, Barra Velha Bat. 11/04/1887, Barra Velha Padr: Norberto da Costa Flor e Adelaide da Conceição Fagundes)
8. Thomas (*14/03/1890, Itinga, Barra Velha)

1.2.2.1.5 Carolina Lucinda de Jesus nasceu por volta de 1851, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizada.
Casou com José Vicente da Silva, nascido por volta de 1846, em Penha, filho de Vicente da Silva Correia e de Anna Maria Carvalho de Jesus, no dia 02/08/1873, em Penha de Itapocoroy, na Matriz de Penha de Itapocoroy, na presença do padre Mariano Gizinski e das testemunhas José da Silva Lima e José Antonio Mendes.
Sem filhos, Carolina faleceu em abril de 1889. Viúvo e residente em Medeiros, Barra Velha, José Vicente da Silva se casou com Maria Rosa de Jesus, em 09/01/1890, em Barra Velha.

1.2.2.1.6 João José Antonio de Borba, chamado apenas de João de Borba, nasceu por volta de 1852, em Penha.
Casou com Rita Laurinda de Jesus (*31/03/1857, Itajaí), filha de Amaro Lopes Pereira e Laurinda Maria Cardoso. João faleceu antes de 1911. Rita faleceu após 1911.
1. Sérgio João de Borba (*~1876, Penha). 
Casou com _ (+Antes 1911). Morou em Medeiros, Barra Velha.
Casou com Maria Florinda da Graça (*~1885), moradora nos Medeiros, filha de Serafim da Silva Correia e Florinda Rosa de Jesus, no dia 11/02/1911, no cartório de Barra Velha.
2. Thomazia (*17/06/1884, Medeiros, Barra Velha Bat. 20/12/1884, Matriz da Penha Padr: Thomaz José de Borba e Luiza Maria de Jesus)
3. Firmino (*05/08/1888, Piçarras Bat. 22/09/1888, Matriz da Penha Padr: Francisco Manoel Antonio de Borba e Amélia Francisca de Borba)

1.2.2.1.7 Bernardina nasceu no dia 30/08/1853, em Penha, onde foi batizada no dia 25/11/1853. Foram seus padrinhos, João Francisco de Borba e Francisca Anna. 

1.2.2.1.8 Rufino nasceu no dia 31/07/1855, em Penha, onde foi batizado no dia 21/08/1855. Foram seus padrinhos, Floriano de Borba e Joaquina Francisca. 

1.2.2.1.9 Francisco nasceu no dia 01/05/1857, em Penha, onde foi batizado no dia 07/06/1857. Foram seus padrinhos, Manoel Antonio de Borba e Francisca Rosa de Jesus. 

1.2.2.1.10 Thomaz José de Borba nasceu dia 31/10/1859, em Piçarras e foi batizado em Penha no dia 11/11/1859. Foram seus padrinhos, Vicente Joaquim de Santa Anna e Elisa Maria dos Anjos. Faleceu após 1884. 

1.2.2.1.11 José nasceu no dia 29/06/1862, em Piçarras. Foi batizado em Penha no dia 08/08/1862 pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, seus tios paternos Serafim Antonio de Borba e Maria Rosa de Jesus. 


1.2.2.2 Serafim Antonio de Borba nasceu no dia 03/08/1814, em Armação de Itapocoroy, Penha, onde foi batizado no dia 06/08/1814 pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos seus tios paternos, João de Borba e sua mulher Angélica Rosa.

Casou com Rosa Antonia Alves, com quem teve a filha Maria Rosa da Conceição.

Em 24/05/1862 foi encarregado pelo subdelegado de Itapocoroy para dirigir os trabalhos do destacamento do Rio Luiz Alves.

Morou na Penha, onde foi vizinho de Ignacio Caetano Vieira.

Serafim Antonio de Borba faleceu com 61 anos, no dia 09/02/1876, na Penha, por volta das nove horas da manhã, vítima de uma doença no estômago.

1.2.2.2.1 Maria Rosa da Conceição, ou Maria Luisa, nasceu por volta de 1855 em Penha e recebeu o mesmo nome da tia paterna, Maria Rosa.
Casou com Bernardino João Bento, natural de Porto Belo, filho de João Bento Mafra e Francisca Maria Joaquina, com quem teve dois filhos:
1. João (*02/06/1879, Gaspar Bat. 30/12/1879, Matriz de São Pedro Apóstolo, Gaspar Padr: Henrique Manoel Pereira e sua mulher Maria Serafina de Jesus, moradores em Gaspar).
2. Luis (*16/04/1881, Gaspar Bat. 31/07/1881, Capela de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Luis Ferreira da Silva e Julia Maria Páscoa, solteiros).
3. Manoel (*22/08/1887, Gaspar Bat. 14/10/1888, Matriz de São Pedro Apóstolo, Gaspar Padr: Jacintho Jorge Pereira e Francisca Rosa da Conceição, solteiros).


1.2.2.3 Maria Rosa de Jesus nasceu no dia 01/03/1817, Armação de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 16/03/1817, na Capela de São João de Itapocoroy, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos Manoel Antonio da Silva e Bárbara Ignacia.

No dia 04/05/1831, em Itapocoroy, Maria Rosa e seu irmão José Antônio foram padrinhos de José, filho de Ignacio José e Joanna de Jesus

Casou com Manoel da Silva Correia, por volta do ano 1845. Manoel nasceu no dia 13/07/1821, em Armação de Itapocoroy, filho de Manoel da Silva Correia e Bernardina Rosa de Jesus.

O casal teve 10 filhos: Florinda Maria Rosa, Serafim, Joaquina Rosa de Jesus, Maria Rosa de Jesus, Francisco Correa da Silva, Claudino Correa da Silva, Bernardina, Honório Manoel Correa da Silva, Manoel Correa da Silva e José Correa da Silva.

Moraram na Freguesia de Barra Velha. Maria faleceu entre 1878 e 1883. Manoel faleceu no dia 31/08/1883.

1.2.2.3.1 Florinda Maria Rosa nasceu no dia 08/03/1846, em Penha e foi batizada no dia 27 do mesmo mês, em Penha. Foram seus padrinhos, Alberto Antonio de Borba e Maria de Jesus.
Casou com Francisco Dionysio da Rosa, filho de Dionisio José da Rosa Garcia e Lauriana Rosa de Jesus.
1. Ver filhos em Família de Francisco Dionysio da Rosa

1.2.2.3.2 Serafim da Silva Correia.
Casou com Florinda Anna da Silva (ou Florinda Roza de Jesus), filha de Vicente da Silva Correia e Ana Rosa de Jesus (ou Ana Maria de Carvalho). Tiveram dois filhos, José e Maria Florinda, e moraram nos Medeiros, Barra Velha.
1. José nasceu no dia 02/10/1884, em Piçarras. Foi batizado no dia 15/01/1885, na Matriz da Penha, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram padrinhos José Antonio dos Santos e Maria Porphiria de Jesus.
2. Maria Florinda da Silva nasceu no dia 05/10/1888, em Piçarras. Faleceu no dia 06/04/1924, em Medeiros, Barra Velha. Foi batizada no dia 21/10/1888, na Matriz da Penha, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram padrinhos Manoel Vicente da Silva e Joaquina Rosa de Jesus. Casou com Alfredo Celestino de Souza, no dia 12/12/1909, na Capela de Escalvados, em Itajaí, na presença do Padre João Christovão Fischer e na das testemunhas Abrahão José Francisco e Braz Antonio de Oliveira, e na igreja no dia 01/12/1910, em Penha de Itapocoroy, presentes as testemunhas Abrahão João Francisco e Amaro Silvano de Borba. Alfredo nasceu no dia 14/06/1883, na Ilhota, filho de Celestino Miguel de Souza e Maria José de Jesus, batizado no Gaspar e residente em Itajaí. Moraram nos Medeiros, onde nasceram os seguintes filhos: 1. Maria de Jesus, em 18/06/1911 e falecida em 09/01/1973; 2. Maria Santa de Sousa, em 03/09/1912 que casou com João José Onofre em 03/02/1936 e após viuvar casou com Deoclécio Onofre em 09/04/1938 em Medeiros; 3. Laurinda Maria de Sousa, em 30/09/1913 que casou com Pedro José Nogueira em 20/12/1934 em São Braz; 4. Celestina Maria de Sousa, em 17/12/1914 que casou com Manoel das Neves de Macedo em 02/03/1935 em Penha de Itapocoroy e faleceu em 16/06/1993 em Joinville; 5. Benta, em 28/06/1916; e 6. Manoel, em 06/09/1917. Faleceu no dia 06/04/1924, em Medeiros, Barra Velha, de morte natural após sofrer por nove meses de enfermidade. Foi sepultada no cemitério público da Itajuba.
Florinda Ana da Silva faleceu antes de 10/12/1910. Serafim da Silva Correia faleceu antes de 1924.

1.2.2.3.3 Joaquina Rosa de Jesus

1.2.2.3.4 Maria Rosa de Jesus

1.2.2.3.5 Francisco Correa da Silva

1.2.2.3.6 Claudino Correa da Silva

1.2.2.3.7 Bernardina

1.2.2.3.8 Honório Manoel Correa da Silva
Casou com Bernardina Ignacia da Silveira, filha de Ignacio Silveira da Costa Junior Anna Thereza de Sant'Anna
1. Honorata (*22/12/1885, Barra Velha Bat. 25/01/1886 Padr: José Ignacio de Sant'Anna e Nossa Senhora da Conceição)
2. Manoel (*17/01/1887 Bat. 19/03/1887, Barra Velha Padr: Manoel Alberto de Borba e Maria Amelia Vieira)

1.2.2.3.9 Manoel Correa da Silva

1.2.2.3.10 José Correa da Silva

1.2.2.3.11 Rosa Maria de Borba casou com Manoel Antônio dos Santos, nascido por volta de 1852, filho de José Antônio dos Santos e Maria Alexandrina, naturais de Itapocoroy. Tiveram cinco filhos:
1. Bernardina Rosa de Borba (*~1877, Barra Velha), filho de Manoel Antonio dos Santos e Rosa Maria de Jesus. Casou com João da Cruz de Oliveira (*~1876, Barra Velha), filho de José Antonio de Oliveira e Florinda Maria de Jesus, no dia 04/10/1905, na Matriz de Barra Velha. 
2. Maria (*12/01/1878 Bat. 05/03/1878, Penha Padr: avós maternos, moradores na Freguesia da Barra Velha).
3. Thomaz (*07/03/1884, Medeiros, Barra Velha Bat. 13/04/1884, Matriz da Penha Padr: José Antonio Júnior e Maria Laurinda de Jesus)
4. José (*09/06/1886 Bat. 21/11/1886, Penha Padr: José Ignácio de Sant'Anna e Maria Alexandrina de Jesus)
5. Paulina (*01/08/1889, Piçarras Bat. 25/12/1889, Penha Padr: Domingos Francisco da Silva e Maria Ignacia de Borba)
6. Antônio Manoel dos Santos (*~1896, Barra Velha). Casou com Arminda Maria (*~1901, Barra Velha), filha de João Vicente de Mello e de Maria Florinda de Jesus, no dia 19/03/1920, em Barra Velha e foi feito pelo Padre José Schmitz. Os noivos eram nascidos, batizados e residentes na Barra Velha. Foram testemunhas Miguel de Freitas e João Soares Gomes. Tiveram dois filhos: 1. Manoel, nascido no dia 15/12/1923, em Itajuba, Barra Velha; 2. Maria Arminda dos Santos, nascida dia 26/07/1920 e falecida em 13/06/2005, em Guaramirim.
Rosa faleceu antes de 1915. Após a morte de Rosa, Manoel se casou com Clarinda Ana de Jesus.


1.2.2.4 Alberto Antonio de Borba nasceu no dia 12/03/1820, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizado no dia 09/04/1820, pelo Frei Francisco de Santa Isabel. Foram seus padrinhos, Alberto José Francisco e Rosa Ignacia. Recebeu o mesmo nome do padrinho.

Aprendeu a ler e a escrever, e apesar de ser citado em alguns documentos com o sobrenome composto Borba Coelho, como seu pai, se assinava apenas Borba. Alberto foi lavrador.

Casou com Maria Jacintha Caetana Vieira, nascida por volta de 1834, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha de Jacintho Caetano Vieira e Juliana Rosa de Jesus, e tiveram sete filhos. Maria Jacintha era neta de Isabel Maria de Jesus.

Em 1851 Alberto foi o testamenteiro de Isabel Maria de Jesus, avó de sua esposa.

Alberto recebeu 7 votos na eleição de 1859 para vereador da cidade de Itajaí, na Freguesia de Penha. Entretanto, nas eleições de 1872 elegeu-se vereador da cidade de Itajaí, ocupando o cargo de 1873 a 1876.

No dia 03/04/1866, Alberto foi nomeado 3º suplente do subdelegado da Freguesia de Itapocoroy. No ano de 1866 Alberto também foi encarregado do destacamento da Perdição, que continha vinte homens destacados a disposição, principalmente para combater o ataque dos índios em Penha e região.

Maria Jacintha faleceu e após viuvar, Alberto casou com Joanna Maria Baptista, no civil no dia 20/08/1892, em sua casa, na Penha. O Juiz de Paz foi Antonio Joaquim de Macedo e o Escrivão era Sebastião Caetano Vieira. Foram testemunhas, Alexandre Antonio de Figueiredo, natural de Portugal, e Bento Caetano Vieira, natural de Penha, ambos negociantes. Também estava presente Manoel Joaquim de Macedo.

Joanna Maria nasceu por volta de 1862, filha de Felisberto José Pereira e Maria Joaquina da Encarnação.

Alberto Antonio de Borba faleceu após 1892.

1.2.2.4.1 João Alberto de Borba nasceu por volta de 1852, em Penha.
Casou com Generosa Maria Vieira, nascida em 23/07/1842, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha do Capitão Joaquim Caetano Vieira e Maria Joaquina de Macedo, e com ela teve uma filha:
1. Maria nasceu em 1876, em Penha.
Com a morte da primeira mulher, antes de 1882, João Alberto casou no dia 23/10/1886, na Igreja Matriz, em Itajaí, com Eulália Josefa da Cunha, viúva de Antonio Joaquim da Costa. Eulália nasceu por volta de 1852, em Camboriú, filha de José Antonio da Cunha e Josefa Rodrigues da Silva. O casamento foi realizado pelo Padre João Rodrigues de Almeida, e foram testemunhas, Sebastião Caetano Vieira e Manoel Antonio Fontes. João e Eulália moravam na Estrada de Brusque. Ele era negociante.
Em 1894 morava na Freguesia de Barra Velha, onde foi negociante.

1.2.2.4.2 Manoel Alberto de Borba nasceu no dia 14/06/1853, em Penha, onde foi batizado no dia 24/06/1853 e foram seus padrinhos, seu tio paterno, Manoel de Borba e Nossa Senhora da Penha.
Casou com Maria Amélia Vieira, filha de Ignacio Caetano Vieira, primo de sua mãe, e de Amélia Carolina de Nazaré, no dia 27/03/1880, em Penha. Faleceram após 1887.

1.2.2.4.3 Maria Francisca de Borba nasceu no dia 09/03/1855, em Penha, onde foi batizado pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 01/09/1853 e foram seus padrinhos, Manoel Caetano Vieira e Bernardina Carolina de Souza, tios paternos de sua mãe.
Casou com Pulciano da Costa Passos, filho de João da Costa Passos e Maria José da Conceição, nasceu em 14/07/1844, em Armação de Itapocoroy, com quem teve cinco filhos nascidos em Penha, entre eles:
1. Athanazio nasceu no dia 05/07/1876. Foi batizado no dia 10/09/1876, na Igreja de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy. Foram padrinhos Cecílio da Costa Passos e sua irmã Francisca Maria dos Passos, solteiros e moradores na Penha.
2. Alberto nasceu no dia 13/08/1877. Foi batizado no dia 29/09/1877, em Penha, na Matriz de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy. Foram padrinhos seu tio paterno, Amando Alberto de Borba e Anna José da Conceição, solteiros moradores na Penha.

1.2.2.4.4 Amandio Alberto de Borba nasceu no dia 18/06/1856, em Penha, onde foi batizado pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 17/06/1856. Foram seus padrinhos, os avós paternos, Antonio de Borba Coelho e Rosa Ignacia.
Casou com Beatriz Amelia Vieira, irmã da mulher de seu irmão Manoel, filha de Ignacio Caetano Vieira, primo de sua mãe, e de Amélia Carolina de Nazaré, no dia 01/09/1883, no Sertão dos Medeiros, em Penha.

1.2.2.4.5 Amandio Alberto de Borba nasceu no dia 25/06/1857, em Penha, onde foi batizado pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 02/08/1857. Foram seus padrinhos, Serafim Vieira da Silva e sua mãe Anna Joaquina da Trindade.
Casou com Ignacia Maria de Jesus (ou Ignacia Ignes) (+antes 1905).
1. Demetrio Amandio de Borba (*~1882, Penha).
Casou com Carolina Anna de Jesus (*~1888), moradora na Itajuba, filha de José Antonio dos Santos e Anna Garciana de Jesus, no dia 15/04/1906, no cartório de Barra Velha.

1.2.2.4.6 Firmina nasceu em dezembro de 1861, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizada pelo Padre João Rodrigues de Almeida, no dia 22/12/1861. Foram seus padrinhos, José Caetano Vieira, tio de sua mãe, e a mãe dele, Anna Rosa de Bitencourt, bisavó de Firmina, mãe de seu avô materno.

1.2.2.4.7 Eduarda Alberta de Borba nasceu no dia 12/10/1867, em Penha, onde foi batizada pelo Padre João Domingues Alvares Veiga, no dia 17/02/1868. Foram seus padrinhos, Serafim Vieira da Silva e sua mulher Júlia Augusta da Assumpção Vieira.
Casou com Ludgero Caetano Vieira, primo de sua mãe, filho de Joaquim Caetano Vieira e Maria Joaquina de Macedo, no dia 03/05/1884, na Penha. Tiveram quatro filhos:
1. Maria nasceu no dia 17/04/1885, em Penha, e faleceu seis dias depois, em 23/04/1885, de tétano. Foi sepultada no cemitério da Penha de Itapocoroy.
2. Maria Rufina Vieira nasceu por volta de 1886, no lugar Parada, em Penha. Casou aos 18 anos, com Franklin Máximo Pereira, no civil dia 16/07/1904, em Penha, na sala da residência do Cidadão Antonio Joaquim de Macedo. Franklin, ou Franquelino, tinha 23 anos, era comerciante, nascido dia 25/01/1881, em Penha, onde era residente, filho de Serafim Maximo Pereira e de Hermelina da Silva Mafra. Ela tinha 18 anos, era doméstica, moradora na Penha. Casaram no religioso dia 26/12/1904, na Matriz da Penha, sendo testemunhas: Antonio Volle? Lisboa e Amandio Alberto Pereira. Tiveram quatro filhos: 1. Maria faleceu dia 14/11/1917; 2. Benjamin Franklin Pereira nasceu dia 18/10/1905, em Penha; 3. Nair Pereira nasceu dia 18/03/1907, em Alagoas, Penha; e 4. Hermelina nasceu dia 19/02/1914. Maria Rufina Vieira faleceu no dia 10/06/1951. Franklin Máximo Pereira faleceu dia 01/01/1955.
3. Nila Caetana Vieira nasceu por volta de 1894, em Itajaí. Casou aos 19 anos, com Adolfo Antônio Cabral, no dia 23/03/1913, na Igreja da Penha, com o Padre José Foxius. Adolfo tinha 21 anos, nasceu dia 08/02/1891, na Itaupava, em Itajaí, batizado na Ilhota, filho de Antonio Marcellino Cabral e Marcellina Cabral, residente na Barra de Luiz Alves, então pertencente à Itajaí, e empregado do comércio. Tiveram um filho: 1. Cirino Adolfo Cabral nasceu dia 11/09/1924. Nila faleceu em 29/08/1937. Adolfo Antonio Cabral faleceu dia 06/02/1972, em Itajaí.
4. Joaquim Ludgero Vieira nasceu por volta de 1904. Casou aos 25 anos com Maria Telles, em junho de 1929 no civil e dia 14/07/1929, na Matriz da Penha. Foram testemunhas: Adolpho Antonio Cabral e Joaquim Pinto Ferreira. Ela tinha 19 anos, batizada em Tijucas, filha de Guilherme Telles e Marcellina Telles.


1.2.2.5 Manoel Antonio de Borba nasceu por volta de 1826, em Armação de Itapocoroy.

Casou com Francisca Rosa Maria, nasceu no dia 04/10/1835, em Itajaí, filha de seu primo, Francisco Antonio de Borba e Rosa Maria de Jesus, neta paterna de João de Borba Coelho, irmão de seu pai. O casal teve 11 filhos. Moraram na Freguesia de Penha.

Manoel faleceu entre 1875 e 1891. Francisca Rosa faleceu após 1891.

1.2.2.5.1 Maria nasceu e logo faleceu. Foi sepultada no dia 27/09/1855, no cemitério da Capela de Penha de Itapocoroy.

1.2.2.5.2 Porfírio nasceu no dia 16/02/1857, em Penha, onde foi batizado pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 13/03/1857. Jacinto Antonio de Borba, seu tio, foi seu padrinho.

1.2.2.5.3 Francisco nasceu no dia 01/05/1858, em Penha, onde foi batizado pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 16/05/1858. Floriano Antonio de Borba, seu tio, e Anna Rosa de Jesus, foram seus padrinhos.

1.2.2.5.4 Rosa Francisca de Borba nasceu no dia 08/05/1859, em Penha, onde foi batizada pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 15/05/1859. Foram seus padrinhos, seus tios, Serafim Antonio de Borba e Maria Rosa de Jesus, irmãos.
Casou na Freguesia de Penha, com Amancio João Maria Xavier, natural de Barra Velha, lavrador, filho de João Maria Xavier e Isabel de Jesus, moradores no Itapocú. Moraram em Medeiros, Barra Velha. Amancio e Rosa faleceram após 1918.
1. Jordina Roza de Borba (*01/03/1881, Barra Velha). Casou primeiro com Manoel Ricardo Duarte (+Antes 1918). Filhos: Maria (*~1911) e João (*~1913) Viúva, casou com Manoel da Silva Corrêa (*~1877, Barra Velha), filho de José da Silva Corrêa e Maria Laurinda de Jesus, no dia 04/05/1918, na casa de Amancio, no Medeiros.
2. Manoel Amancio de Borba (*15/05/1890, Medeiros, Barra Velha). Casou com Anna Maria de Jesus, filha de Francisco Baptista d'Almeida e Maria Antonia Julia, no dia 24/06/1920, na Capela de São João. Foram testemunhas, João Silvano e José Borges.
3. Antonio Amancio de Borba (*04/11/1891, Medeiros, Barra Velha). Casou com Maria Flauzina de Jesus (*~1917, Barra Velha), filha de João Vicente de Mello e Maria Florinda de Jesus, no dia 29/12/1917, na casa de Amancio, no Medeiros.

1.2.2.5.5 Firmino nasceu em 12/10/1860, em Piçarras, sendo batizado na Penha, pelo Padre João Rodrigues de Almeida, no dia 09/12/1860. Foram seus padrinhos, Ignacio Caetano Vieira e a proteção de Nossa Senhora da Penha.

1.2.2.5.6 Antonio nasceu no dia 06/05/1862, em Piçarras, sendo batizado pelo Padre João Rodrigues de Almeida, no dia 09/12/1860, em Penha. Foram seus padrinhos, seus avós maternos, Francisco Antonio de Borba e Rosa Maria de Jesus.

1.2.2.5.7 Idalina nasceu no dia 11/04/1865, em Penha, onde foi batizada pelo Padre Antonio Francisco Nobrega, no dia 04/06/1865. Foram seus padrinhos, Serafim Vieira da Silva e Júlia Augusta d'Assumpção Vieira.

1.2.2.5.8 Amélia nasceu dia 10/08/1868, em Penha, onde foi batizada pelo Padre João Domingues Alvares Veiga, no dia 06/02/1869. Foram seus padrinhos, Ignacio Caetano Vieira e sua mulher Amélia Carolina de Nazaré.

1.2.2.5.9 João nasceu em 08/03/1870, em Penha, onde foi batizado pelo Padre João Domingues Alvares Veiga, no dia 24/12/1870. Foram seus padrinhos, Jose da Silva Lima e a invocação de Nossa Senhora da Penha.

1.2.2.5.10 Maria nasceu em 26/02/1874, em Penha, onde foi batizada pelo Padre Mariano Gizinski, no dia 04/04/1874. Foram seus padrinhos, Joaquim José Tavares, capitão marítimo, e Maria Cypriana Tavares.

1.2.2.5.11 Mathildes nasceu dia 23/08/1875, em Penha, onde foi batizada pelo Padre Manoel Marques Figueiral, no dia 14/11/1874. Foram seus padrinhos, Vicente Caetano Vieira e sua mulher Maria Alberta de Borba, desta freguesia.


1.2.2.6 Floriano Antonio de Borba Coelho nasceu por volta de 1828, em Armação de Itapocoroy.
Casou com Maria Narciza Rosa dos Anjos, nasceu em 20/09/1831, em Armação de Itapocoroy, filha de Luciano Antonio de Santiago e Narcisa Maria dos Anjos, no dia 05/06/1859, em Penha, em cerimônia realizada pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram testemunhas: Joaquim Caetano Vieira e Alberto Antonio de Borba, irmão de Floriano.
Com a morte de Maria, Floriano se casou com Anna Maria Joaquina da Silva Pereira, nasceu por volta de 1851, em Camboriú, filha de Felisberto José Pereira e Maria Joaquina da Silva. Moraram no Escalvado, em Barra Velha.
Anna Maria faleceu antes de 1910. Floriano faleceu antes de 1904. Em 1905, foram inventariados os bens de Floriano, por sua viúva D. Ana.
Filhos de Floriano com Maria:

1.2.2.6.1 Maria nasceu dia 02/12/1860, em Piçarras, foi batizada em Penha, pelo Padre João Rodrigues de Almeida, no dia 02/12/1860. Foram seus padrinhos, seus tios paternos, Alberto Antonio de Borba e sua mulher Maria Jacinta. Faleceu antes 1905.

1.2.2.6.2 Florinda Maria de Borba nasceu em 05/01/1864, em Piçarras, foi batizada pelo Padre João Rodrigues de Almeida, em Penha, no dia 14/02/1864. Foram seus padrinhos, seus tios paternos, Serafim Antonio de Borba e sua irmã Maria Rosa de Jesus.
Casou com Manoel Belizario Rodrigues.

1.2.2.6.3 Joaquina nasceu no dia 26/07/1865, em Penha, onde foi batizada pelo Padre Antonio Francisco Nobrega, no dia 21/08/1865. Foram seus padrinhos, seus tios paternos, Jacinto Antonio de Borba e sua mulher Cesária Jacinta Caetano. Faleceu antes 1905.

1.2.2.6.4 João Floriano de Borba (confirmar se é filho de Maria ou Anna). Solteiro em 1905.

Filhos de Floriano com Anna:

1.2.2.6.1² Maria Ana de Jesus. (*14/04/1871, Penha Bat. 18/05/1871 Padr: José Merenciano Duarte e Ignez Maria do Espirito Santo +17/12/1947, Salto do Itapocú Sep: Itapocú)
Casou com _ Rodrigues (+Antes 1947), após 1905. Moraram no Salto do Itapocú.

1.2.2.6.2² Germana Maria Pereira nasceu em 10/06/1872, em Penha, onde foi batizado pelo Padre Mariano Gizinski, no dia 10/08/1873. Foram seus padrinhos, Francisco Felisberto Pereira e Joanna Maria Correia, moradores na Penha. Solteira em 1905.

1.2.2.6.3² Francisco Floriano de Borba nasceu no dia 04/10/1876, em Penha, onde foi batizado pelo Padre Manoel Marques Figueiral, no dia 12/11/1876. Foram seus padrinhos, seus tios paternos, Manoel Antonio de Borba e sua mulher Francisca Rosa de Jesus, moradores na Penha. 
Casou com Maria dos Reis da Conceição, nasceu por volta de 1886, no Itapocú, filha de Manoel Joaquim Lopes e Rosa Maria da Conceição, no dia 07/11/1908, em Itapocú, pelo Padre Othmar Baumeister. Foram testemunhas: João Pedro Belem e Olinda Maria Bernardes. 
Maria dos Reis da Conceição faleceu no dia 28/11/1908, no Itapocú, de influenza. Foi sepultada no Itapocú.
Viúvo, Francisco casou com Luzia Maria de Jesus (*~1893, Barra Velha), filha de Patricio Luis Forte e Maria Anna de Jesus, no dia 23/01/1910, no cartório de Barra Velha.
Francisco Floriano de Borba faleceu no dia 07/04/1927, às 3 da tarde, no Ribeirão do Salto, em Barra Velha. Foi sepultado no Itapocú.
Luiza Maria de Jesus faleceu após 1927. 
Filhos:
1. Manoel 
2. Maria Francisca de Borba

1.2.2.6.4² Roberto Floriano de Borba nasceu por volta de 1879, em Penha. 
Casou com Antonia Bernardina de Sene, nascida por volta de 1880, no Itapocú, filha de Manoel Ignacio de Sene e Vicência Maria de Jesus, no dia 05/10/1905, na Igreja de Barra Velha, pelo Padre José Alves. Foram testemunhas, Antonio Dias Patrício e Damásio Machado. Antonia faleceu no dia 21/07/1911, de parto. Foi sepultada no Itapocú.
Filhos:
1. Francisco (*02/04/1905 +Após 1911)
2. João (*23/03/1910 +Após 1911)
3. Maria (*01/07/1911)
Casou pela segunda vez com Maria Lidia dos Santos, nascida dia 11/08/1897, em Barra Velha, filha de Cypriano Vicente de Mello e Lidia Pereira dos Santos, moradores no Itaperiú, no dia 08/01/1916, no Morro dos Monos.

1.2.2.6.5² Antonio Floriano de Borba (*01/10/1881, Penha Bat. 26/12/1881 Padr: tio paterno, Jacinto Antonio de Borba e Nossa Senhora Protetora +Antes 1890).

1.2.2.6.6² Rosa Anna Pereira (ou Rosa Maria Pereira) (*~1881, Penha +08/05/1939, Barra Velha)
Casou com Rosendo Belizario Rodrigues (*~1880, Barra Velha +03/02/1943, Barra Velha), morador no Escalvado, filho de Belisario Rodrigues de Medeiros e Maria Marcellina Rodrigues, moradores na Itajuba, no dia 12/11/1904, na casa de Anna Maria Pereira, no Escalvado, Barra Velha.

1.2.2.6.7² Antonio Floriano de Borba (*15/01/1890, Penha). Morou no Escalvado e no Itaperiú.
Casou 1º com Amara Valentina Borges (*18/08/1894, Itaperiú, Barra Velha +07/02/1919, Barra Velha, no parto), filha de Thomas Joaquim Borges e Custodia Maria de Jesus, no civil dia 25/06/1910, na casa do sogro, no Itaperiú. Moraram no Itaperiú.
1. Floriano Antonio de Borba
2. Erasmo Antonio Floriano (*02/07/1913)
Casou com Benta Maria de Souza (*17/01/1915 +20/07/1941, Ribeirão do Salto Sep: Itaperiú), filha de José João de Souza e Maria Anna de Souza, no dia 07/03/1936, no cartório de Barra Velha. Moraram no Ribeirão do Salto, em São João do Itaperiú. Filhos: José Erasmo (*~1938); Amalia (*~1940).
3. Maria (*18/01/1919, Itaperiú, Barra Velha +19/02/1919, Itaperiú, Barra Velha, de pneumonia Sep: Itapocú)
4. Angela Amara de Jesus
5. Nicolau Antonio Borba
6. Maria Amara de Jesus
Casou com Maria Vicentina Pereira (*10/09/1900, Itaperiú, Barra Velha +20/12/1932, Itapocú), filha de Antonio Pereira d'Assumpção e Vicentina Rosa de Jesus, no dia 22/01/1921, na Capela de São João. Moraram na Beira do Rio Itapocú, Paraty (1927). Antonio faleceu após 1930.
1. Avelino (*11/11/1921)
2. Maria (*21/06/1923)
3. Anna (*13/02/1925)
4. Antonio (*06/11/1929)
5. Luiza (*25/12/1930)

1.2.2.6.8² Geroncio Floriano de Borba (*09/05/1895, Penha +28/04/1951, Barra Velha Sep: São João do Itaperiú)
Casou com Maria Catharina da Silveira (*24/09/1895 +10/08/1931, Itaperiú Sep: São João do Itaperiú), filha de Raymundo Rosa da Silveira e Maria Laurinda Duarte, no dia 30/12/1916. Maria Chatarina faleceu no dia 10/08/1931, no Itaperiú. Geroncio faleceu com 55 anos, no dia 28/04/1951, em um domicílio em Barra Velha. Foi sepultado em São João do Itaperiú.
Filhos:
1. João Geroncio Borba (*~1918). Casou.
2. Maria Silveira de Borba (*~1919). Casou com _ Veiga (+Antes 1951).
3. Antonio Geroncio de Borba (*~1920). Casou.
4. Anna Maria da Silveira (*~1923). Casou com Agripino A.. Borba?.
5. Rosa Maria de Borba (*~1924)
6. Raymundo Geroncio de Borba (*~1927)
7. Luiza Maria da Silveira (*~1919)
8. José Geroncio de Borba (*~07/1931 +27/09/1944, Itaperiú, de suicídio, com 13 anos Sep: São João de Itaperiú)


1.2.2.7 Jacintho Antonio de Borba nasceu no dia 16/03/1830, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizado, no dia 28/03/1830, pelo Frei Gregório das Dores. Foram seus padrinhos, Manoel Francisco da Rosa, primo de sua mãe e a mulher deste, Joanna Rosa.

Casou com Cesária Jacinta de Jesus, nasceu dia 19/12/1830, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha de Jacintho Caetano Vieira e Julianna Rosa de Jesus, no dia 13/06/1857, na Matriz da Penha, com o Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram testemunhas: Francisco Luiz de Macedo e Alberto Antonio de Borba, irmão de Jacintho. O casal teve sete filhos.

Jacintho Antonio de Borba faleceu após 1890.

1.2.2.7.1 João nasceu dia 09/08/1858, em Penha, onde foi batizado, no dia 22/08/1858, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram seus padrinhos, seu tio paterno, Floriano Antonio de Borba e Isabel Jacinta de Jesus.

1.2.2.7.2 Maria nasceu dia 20/03/1860, em Piçarras, e foi batizada no dia 08/04/1860, em Penha, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, seu tio paterno, Alberto Antonio de Borba e Nossa Senhora da Penha.

1.2.2.7.3 Maria nasceu em 15/07/1861, em Piçarras, e foi batizada em Penha, no dia 06/08/1861, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, seus tios maternos, Manoel Francisco de Carvalho e sua mulher Florinda Caetana Vieira, irmã de sua mãe.

1.2.2.7.4 Maria nasceu dia 12/03/1862, em Piçarras, sendo batizada no dia 16/03/1863, pelo Padre João Rodrigues de Almeida, em Penha. Foram seus padrinhos, seus tios paternos, Serafim Antonio de Borba e sua irmã Maria Rosa de Jesus.

1.2.2.7.5 Infância nasceu em 21/12/1864, em Piçarras. Foi batizada no dia 08/01/1865, pelo Padre Domingues Alvares Veiga, em Penha. Foram seus padrinhos, seus tios paternos, Alberto Antonio de Borba e sua mulher, Maria Jacinta Caetana.

1.2.2.7.6 Leonidia Jacinta de Borba nasceu dia 02/09/1866, em Penha, onde foi batizada no dia 08/01/1865, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Foram seus padrinhos, Joaquim de Macedo e sua mulher, Maria Rosa de Sant'Anna, prima de sua mãe.
Casou com Francisco Gonçalves de Souza, nascido em abril de 1865, em Barra Velha, filho de Joaquim Gonçalves de Souza e Anna Rosa de Jesus, naturais da Armação, e teve um filho, João, nasceu em 15/03/1890, em Barra Velha. Moraram no Itaperiú (1893-1911), onde ele foi negociante.
Francisco faleceu antes de 1931. Leonidia faleceu após 1931.

1.2.2.7.7 Maria nasceu dia 15/05/1871, em Penha, onde foi batizada no dia 08/10/1871, pelo Padre João Domingues Alvares Veiga. Foram seus padrinhos, José? Silva Lima e a invocação de Nossa Senhora da Penha.



1.2.3 JOANNA ANTONIA DA TRINDADE

Joanna Antonia da Trindade nasceu por volta de 1791, na Freguesia de São Miguel da Terra Firme.

No dia 15 de setembro de 1811, em Armação de Itapocoroy, Joanna Antonia da Trindade foi a madrinha do filho de Francisco Coelho da Rocha e de Vitoriana Joaquina. Seu irmão Felicio foi o padrinho. O menino recebeu o nome do padrinho, Felicio.

No dia 10 de janeiro de 1813, em Armação de Itapocoroy, Joanna e seu irmão Felicio também foram padrinhos de José, filho do seu irmão, Antônio de Borba Coelho e de Rosa Maria, nascido no dia 26 de dezembro do ano anterior.

Casou com José Maria Cordeiro, no dia 21 de setembro de 1814, na Capela de São João Batista de Itapocoroy, em Armação de Itapocoroy, com o Padre José Antonio Martins. Seus irmãos João e Felicio de Borba Coelho foram testemunhas.

José Maria Cordeiro nasceu por volta de 1791, na Freguesia de Nossa Senhora do Rosário, em Paranaguá, no Paraná, filho de Gabriel Luiz Cordeiro e Izabel Maria da Silva.

O casal viveu em Armação do Itapocoroy onde tiveram quatro filhos, Maria Joaquina de Jesus, Silvestre de Borba Cordeiro, Bernardino José Cordeiro e Manoel José Maria de Borba e se mudaram para Itajaí, antes de 1830, onde nasceram mais dois filhos, Ignacia e Pedro José de Borba.

Joanna Antonia da Trindade faleceu após 1830.


1.2.3.1 Maria Joaquina de Jesus, ou Maria Antonia de Borba, nasceu dia 24/12/1813, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 15/01/1814, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos, os avós maternos, Silvestre de Borba e Ignacia Marianna.

Casou com Joaquim Pereira Passos, ou Pereira Braz, filho de Ignacio Pereira Passos e Anna Alves, com quem teve doze filhos. O casal viveu em Itajaí, onde nasceram seis filhos, passando a morar em Gaspar após 1846, onde nasceram os outros filhos do casal.

Joaquim faleceu antes de 1877. Maria permaneceu morando em Gaspar com a família.

Viúva, aos 66 anos, Maria Joaquina casou com seu primo Francisco Antonio de Borba, de 76 anos, viúvo de Rosa Maria de Borba, filho de seu tio materno João de Borba Coelho e de Angélica Rosa de Jesus, morador em Itajaí, no dia 24/11/1883, na Capela de São Pedro Apostolo, Freguesia do Gaspar. Foram testemunhas: Luiz Bremer e Carlos P. Hoeschl, este morador da freguesia de Gaspar, aquele morador do Itajaí.

Maria faleceu com 66 anos, no dia 29/09/1884, na Freguesia de Gaspar, de moléstia desconhecida. Foi sepultada no cemitério de Gaspar.

Francisco faleceu aos 83 anos, no dia 23/09/1888, às sete horas da manhã, em Canhanduba, Itajaí, vítima de câncer, sendo sepultado no dia seguinte, em Itajaí.

Filhos com Joaquim Pereira Braz:

1.2.3.1.1 João nasceu no dia 22/12/1834, em Itajaí, onde foi batizado no dia 22/03/1835, na Matriz de Itajaí. Foram padrinhos, João Correia de Negreiros e Rita Maria.

1.2.3.1.2 Juliana nasceu no dia 29/06/1838, em Itajaí, onde foi batizada no dia 08/07/1838, na Matriz de Itajaí. Foram seus padrinhos os tios de sua mãe, Julião Machado de Espindola e Maria Ignacia da Paixão.

1.2.3.1.3 Eleutéria Maria Pereira, ou Dorothea, nasceu no dia 15/08/1842. Faleceu no dia 04/01/1877, em Gaspar.
Casou com Jacintho Luiz Dias de Arzão no dia 18/01/1862, na Freguesia de São Pedro Apóstolo, Gaspar. Foram testemunhas João da Silva e Carlos van der Gochl.
Jacintho nasceu em 1836, em Itajaí, filho de João Luiz Dias e Maria Felicidade de Jesus.
Moraram em Gaspar e tiveram os seguintes filhos:
1. Maria nasceu no dia 13/02/1863, em Gaspar, onde foi batizada no dia 12/04/1863, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foi padrinho Joaquim Pereira Braz e madrinha Maria Joaquina.
2. Catharina nasceu no dia 05/12/1864, em Gaspar. Foi batizada no mesmo dia, em Gaspar, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Ivo van Daele? e Catharina Kerbach.
3. João nasceu no dia 24/07/1866, em Gaspar, onde foi batizado no dia 11/08/1866, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Manoel Francisco d'Oliveira e Maria Joaquina Pereira.
4. Paulina Maria nasceu no dia 21/06/1868, onde foi batizada no dia 24 do mesmo mês. Foram padrinhos, Carlos Vandal e Joaquina Maria Pereira. Faleceu antes de 1877.
5. José nasceu em 1876.
Eleutéria Maria Pereira faleceu com 37 anos no dia 04/01/1877, pelas dez horas da noite, na casa onde residia em Gaspar. Foi sepultada no cemitério de Gaspar.

1.2.3.1.4 José Pereira Braz nasceu no dia 28/04/1843, em Itajaí, ou Gaspar. Foi batizado, no dia 25/10/1843, em Itajaí.
Casou com Florentina Rosa do Nascimento, natural da Penha, filha de Manoel José do Nascimento e Rosa Maria de Jesus.
Moraram na Freguesia de Gaspar. Filhos:
1. Luisa (*09/05/1881, Gaspar Bat. 12/11/1881, Capela de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Francisco Boaventura dos Santos e sua mulher Luisa Maria dos Santos, moradores na freguesia de Gaspar).

1.2.3.1.5 Anastácio Pereira Braz nasceu no dia 03/02/1845, em Itajaí, ou Gaspar. Foi batizado no dia 28 do mesmo mês, em Itajaí.
Casou com Francisca Bernardina de Sena Feltro, no dia 19/09/1877, na Igreja de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Foram testemunhas: Jacob Luiz Zimmermann e José Henriques Flores Filho, ambos de Gaspar.
Francisca nasceu no dia 09/01/1857, na Freguesia de Porto Belo, filha de José Domingos de Souza e Bernardinha de Sena Forte.
Moraram em Gaspar. Anastácio Pereira Braz faleceu após 1888. 
Tiveram os seguintes filhos:
1. Bernardina Francisca Pereira (*26/03/1879, Gaspar Bat. 15/06/1879, matriz de São Pedro Apóstolo Padr: José Domingos de Souza e Maria Joaquina de Borba, viúvos). Residiu no Baú. Casou com Felício José da Silva, viúvo de Maria Gaetana, no dia 28/06/1902, na Matriz de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Foram testemunhas: Militão Jacintho Gonçalves e José Jacintho Gonçalves. Felicio nasceu por volta de 1867, em Itajaí, filho de José Germano da Silva e de Anninha Maria, e morador de Gaspar. Teve o filho: 1. Luís Felício da Silva, nascido no dia 25/08/1912, na Barra de Luiz Alves.
2. Pedro (*26/04/1881, Gaspar Bat. 29/06/1881, Capela de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Saturnino Antonio dos Santos e sua mulher Vicencia Bernardina de Souza, moradores na freguesia de Gaspar).
3. João Pereira Braz (*26/11/1888, Gaspar). Casou com Ana Maria Rosa, no dia 17/05/1908, na Igreja de São Pedro Apóstolo, Gaspar. Ana nasceu por volta de 1889, em Blumenau, filha de Felício José da Silva e Maria Ana Rosa, enteada de sua irmã Bernardina, filha do primeiro casamento do marido desta.

1.2.3.1.6 Maria Pereira da Conceição nasceu no dia 29/04/1846, em Itajaí, onde foi batizada no dia 17/08/1846.
Casou com Serafim Anacleto Cardoso, de 28 anos, da Penha, filho de Celestina Roza de Jesus. O casamento ocorreu em 1866, na Igreja de São Pedro Apóstolo, em Gaspar e foi realizado pelo padre Antonio Gattone. Foram testemunhas: José Agostinho Pereira e José Henriques Flores Filho.

1.2.3.1.7 Anna Maria Pereira. Casou com Carlos van der Goecht, filho de Leonardo van der Göecht e Rosália Van der Buggerie. Tiveram os seguintes filhos:
1. Jacintho nasceu no dia 03/05/1861, em Gaspar, onde foi batizado no dia 21/09/1861, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Jacyntho Louis Dias e Dorothea Maria Pereira.
2. Maria van der Goecht nasceu no dia 14/07/1864, em Gaspar, onde foi batizada no dia 21/08/1864, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Jacyntho Louis Dias e Dorothea Maria Pereira. Seus padrinhos foram Ivo van Daele e Catharina Kerbach.
3. Maria Luiza van der Goecht nasceu no dia 12/07/1866, em Gaspar, onde foi batizada no dia 26/08/1866, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Jacyntho Louis Dias e Dorothea Maria Pereira. Seus padrinhos foram José Pereira Braz e Maria Luiza Ottekier. Casou com Luiz Hostin no dia 20/03/1880, em Gaspar. Foram testemunhas: Henrique Martendhal e Carlos Otoquier, ambos de Gaspar. Luiz era filho de Luiz Hostin e de Maria Christina de Vrese, nascido e batizado em Itajaí. Tiveram a filha 1. Lydia Hostins, nascida no dia 22/04/1883.
Carlos van der Goecht faleceu antes de 1880.

1.2.3.1.8 Emiliana Maria Pereira. Casou com Cristiano Luís da Silva, filho de Silvério Luís da Silva e Maria Francisca da Silva. Tiveram os filhos:
1. José nasceu no dia 11/07/1861, em Gaspar, onde foi batizado no dia 18/11/1861, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foi padrinho, Fernandes Cardoso Ferreira, e madrinha, Elisa Rosa de Jesus.
2. Maria nasceu em 05/08/1862, em Gaspar, onde foi batizado no dia 03/11/1862, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Joaquim Pereira e Maria Joaquina.
3. Margarida nasceu dia 27/11/1863, em Gaspar, onde foi batizado no dia 01/01/1864, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Manoel Salvador e Floriana Roza de Jesus.
4. Jesuino nasceu em 16/06/1865, em Gaspar, onde foi batizado no dia 15/01/1866, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Miguel Augusto Novaes Vieira e Francisca Rita da Conceição.
5. Francisco nasceu dia 12/10/1866, em Gaspar, onde foi batizado no dia 17/07/1867, pelo padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Francisco Anacleto Cardoso e Maria Pereira de Jesus.

1.2.3.1.9 Joaquina Maria Pereira nasceu e foi batizada na Vila de Itajaí. Morou em Gaspar.
Casou com Tertuliano Jose Dias no dia 08/03/1871, em Gaspar. Foram testemunhas, Carlos Procopio Hoeschl e Pedro Bornhausen. Tertuliano era viúvo de Joaquina Maria de Nascimento e de Francisca Carolina de Souza, e filho de Antonio Dias de Arzão e de Ursula Maria da Conceição, nascido e batizado na freguesia da Penha de Itapocoroy, e morador de Gaspar.
Tiveram os seguintes filhos:
1. Antonio Tertulliano Dias nasceu por volta de 1867, em Itajaí, onde foi batizado. Morou no Escalvado. Casou com Rosalina Francisca de Jesus no dia 20/07/1895, em Luiz Alves. Rosalina tinha 19 anos, nascida e batizada em Camboriú e moradora no Escalvado, filha de Sebastião José Cabral e de Francisca Rosa de Jesus. Foram testemunhas: Jacob Luiz Zimmermann e Albert Vick.
2. Jose Dias nasceu no dia 20/06/1873. Foi batizado no dia 03/02/1874, em Gaspar. Foram padrinhos Carlos Höschl e Anna Isabella Soares.
3. Maria nasceu no dia 11/07/1874. Foi batizada no dia 07/01/1875, na Igreja de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Foram padrinhos José Anastácio de Oliveira e sua mulher Maria Joaquina da Conceição, moradores nesta freguesia.
4. Anna nasceu dia 26/01/1877 e foi batizada em 25/03/1877, na matriz de São Pedro Apóstolo, Gaspar, sendo padrinhos Joaquim Francisco dos Santos e sua mulher Caetana Maria de Oliveira, proprietários e moradores em Gaspar. Faleceu com apenas três anos, no dia 08/05/1880, pelas duas horas da manhã, em casa de sua residência, em Gaspar, vítima de tosse comprida e foi sepultada no cemitério de Gaspar.
5. Anna nasceu no dia 25/03/1880 e recebeu o mesmo nome da irmã falecida em maio do mesmo ano. Foi batizada no dia 08/09/1883, em Gaspar, sendo seus padrinhos, Vito Modesto Gomes e Anna Maria da Silva, solteiros.
Joaquina faleceu após 1880.

1.2.3.1.10 Joana Maria Pereira nasceu em Itajaí. Casou com Manoel José do Nascimento, filho de Manoel José do Nascimento e Rosa Florentina de Jesus. Tiveram a filha Melianna.
1. Melianna nasceu no dia 20/07/1875, na Penha. Foi batizada no dia 06/11/1875, na Igreja de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy, foram padrinhos Manoel Jose da Costa e Maria Joaquina de Jezus, solteiros e moradores na Penha.

1.2.3.1.11 Antonio Pereira Braz nasceu no dia 03/02/1845, em Itajaí, ou em Gaspar. Foi batizado no dia 28/02/1845, em Itajaí. Foram padrinhos: Jacob C... e Maria ....
Casou com Rosa Maria do Nascimento, filha de Manoel José do Nascimento e Rosa Florentina de Jesus, com quem teve o filho José.
1. José (*18/04/1877, Penha Bat. 20/05/1877, Igreja de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy Padr: Jose Liborio do Nascimento e Alexandrina Severina de Jesus, solteiros e moradores na Penha)
2. João (*22/05/1880, Gaspar Bat. 18/08/1880, Matriz de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: José e Ana Werner, irmãos, solteiros e moradores na freguesia de Gaspar).

1.2.3.1.12 Manoel Pereira Braz. Morou em Gaspar.
Casou com Ana Reinert no dia 03/05/1884, na Capela de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Foram testemunhas Pedro Zimmermann e Carlos Procopio Hoeschl, ambos de Gaspar. Ana nasceu por volta de 1862, na Freguesia de São Pedro de Alcântara, filha de Pedro Reinert e Ana Bárbara Jungklass.


1.2.3.2 Silvestre de Borba Cordeiro, ou Silvestre Maria de Borba, nasceu no dia 09/03/1816, em Armação de Itapocoroy, recebendo o mesmo nome do avô materno. Foi batizado no dia 28/03/1816, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos, os tios maternos, Felicio de Borba Coelho e Angélica Rosa, esposa de seu tio João.

Casou com Claudina Maria de Jesus, nascida no dia 19/07/1831, em Itajaí, filha de Francisco José Lamim e Silvana Maria de Jesus. O casal residiu em Itajaí.

Claudina faleceu.

Silvestre se casou com Anna Luiza das Merces, no dia 02/02/1871, na Igreja Matriz de Itajaí, em cerimônia realizada pelo padre Miguel Ruggiero. Foram testemunhas, Antonio Vicente Haendchen e Nicolao Diniz Marques.

Anna nasceu e foi batizada em Itajaí e era filha de Ipolito Casas das Merces e de Luiza Rosa d’Oliveira.

1.2.3.2.1 José Silvestre de Borba nasceu por volta de 1852, em Itajaí.
Casou com Maria Alexandrina de Jesus, nasceu por volta de 1860, filha de Luciano Marcelino José Cardoso e Alexandrina Florência de Jesus, com quem teve 3 filhos, nascidos em Itajaí.
1. Maria nasceu no dia 08/08/1895, em Itajaí, onde foi batizada no dia 12/07/1899, na Igreja Matriz. Foram padrinhos, João Maria Borba e Maria Rosa de Jesus.

1.2.3.2.2 Rita de Borba de Jesus nasceu no dia 15/03/1854, em Itajaí, onde foi batizada no dia 14/05/1854. Foram seus padrinhos, Germano Antonio de Miranda e Jesuína Maria.
Casou com Quirino Soares da Costa, nascido por volta de 1848, em Itajaí, filho de André Soares da Costa e Sabina Machado de Espindola, ou Sabina Pereira de Jesus, no dia 01/01/1871, em Itajaí, com o Padre Miguel Ruggiero. Foram testemunhas: José Soares da Costa e Bento de Mello Coutinho.
Moraram na Freguesia de Gaspar. Tiveram quatro filhos:
1. Antonio Quirino Soares da Costa casou com Maria dos Passos Mafra, nascida no dia 09/08/1878, em Itajaí, no dia 15/04/1899, em Itajaí. Foram testemunhas: Lourenço de Sousa Rochadel e Jeronymo da Silva Mafra. Ambos naturais fregueses de Itajaí. Maria era filha de Celso da Silva Mafra e de Maria José dos Passos Mafra. Tiveram seis filhos: 1. Ana Soares da Costa; 2. Antonia Soares; 3. Donatilia; 4. José Maria Soares, nascido dia 24/01/1903, em Luiz Alves; 5. Rita Mafra Soares, nascido dia 05/05/1905, em Itajaí; 6. Cassiano Soares, nascido dia 02/12/1907, em Itajaí. Antonio Quirino faleceu dia 26/06/1911, em Luiz Alves. Viúva, Maria casou com Vicente da Silva Mafra, dia 26/09/1912, com quem teve mais quatro filhos. Maria faleceu dia 31/03/1928, em Luiz Alves.
2. Maria Soares da Costa (*28/11/1879, Gaspar Bat. 28/11/1879, Matriz de São Pedro Apostolo, Padr: Américo de Souza Soares e sua mulher Francisca Ildefonsa de Assis, moradores na paróquia de Gaspar +30/11/1879, Gaspar, de causa desconhecida, 24 horas após nascer Sep: Gaspar).
3. Pedro Soares da Costa nasceu no dia 06/02/1873. Foi batizado no dia 10/06/1873, em Gaspar, sendo padrinhos Bento de Azevedo Coutinho e Ricarda Soares da Costa.
4. José Sotero Soares da Costa nasceu dia 22/04/1877, em Gaspar, sendo batizado no dia 01/07/1877, na Paróquia de São Pedro Apóstolo, sendo padrinhos José André Soares e Maria Elvira Rodrigues, proprietários e moradores em Gaspar.
5. Eduardo (*12/10/1878, Gaspar Bat. 22/02/1879, Matriz de São Pedro Apostolo, Gaspar Padrinhos: José Silvestre de Borba e sua mulher Maria Alexandrinha de Jesus, moradores do Itajaí).
6. Claudina (Bat. 14/04/1881, Capela de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Geraldo Joaquim Bittencourt e sua mulher Ana Isabel Soares, moradores de Itajaí).

1.2.3.2.3 Maria nasceu dia 19/01/1858, em Itajaí, onde foi batizada no dia 31/01/1858, pelo Padre Amando Antonio Martins. Seus padrinhos foram, seu tio materno, Manoel José de Borba e Maria Rosa da Conceição.
Faleceu aos dois anos, no dia 15/05/1860, em Itajaí.

1.2.3.2.4 Francisco nasceu no dia 12/08/1859, em Itajaí, onde foi batizado no dia 19/01/1860, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, os tios maternos, Antonio Custódio e Anna Maria de Jesus, moradores no Rio Pequeno, desta freguesia.
Faleceu aos dois anos, de febre, dia 14/11/1861, em Itajaí.

1.2.3.2.5 Maria nasceu dia 23/07/1860, em Itajaí, recebendo o mesmo nome de sua irmã, falecida em maio do mesmo ano. Foi batizada no dia 31/07/1860, pelo Padre João Domingues Alvares Veiga. Foram seus padrinhos João Maria da Veiga, primo de sua mãe e sua mulher Vicência Rosa de Jesus.

1.2.3.2.6 Joaquina Maria de Jesus nasceu dia 13/12/1862, em Itajaí, onde foi batizada no dia 20/01/1863, pelo Padre João Domingues Alvares Veiga. Foram seus padrinhos, os avós maternos, Francisco José Lamim e Silvana Maria de Jesus.
Casou com João José de Miranda, nasceu dia 11/03/1855, em Itajaí, filho de José Antonio de Miranda e Maria Antonia, no dia 01/05/1880, Igreja Matriz, em Itajaí, com o Padre João Rodrigues de Almeida. Ele, com 24 anos e ela, com 18 anos. Moradores na Barra do Luiz Alves. Foram testemunhas, Antonio Vicente Haendchen e Jacob Vicente Haendchen.

1.2.3.2.7 Anna nasceu dia 02/08/1864, em Itajaí, onde foi batizada no dia 24/10/1864, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega, já tendo sido batizada em casa anteriormente. Foram seus padrinhos, seus tios maternos, Germano Antonio de Miranda e sua mulher Jesuína Maria de Jesus.
Anna faleceu com apenas três meses, no dia 19/11/1864, em Itajaí.

1.2.3.2.8. Cristóvão nasceu dia 25/07/1868, em Itajaí, onde foi batizado dia 19/08/1868, pelo Padre Miguel Ruggiero. Foram seus padrinhos, o tio de sua mãe, José Coelho de Oliveira e Francisca Custódia de Jesus.

Com a morte de Claudina Maria, por volta de 1869, Silvestre se casa com Anna Luísa das Mercês, também moradora em Itajaí, filha de Hipólito Casas das Mercês e Luísa Rosa de Oliveira no dia 02/02/1871, em Itajaí. Foram testemunhas da união celebrada pelo Padre Miguel Ruggiero, Antonio Vicente Haendechen e Nicolau Diniz Marques.


1.2.3.3 Bernardino José Cordeiro nasceu dia 02/07/1819, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizado dia 18/07/1819, pelo Padre Bernardino José do Espírito Santo Ferreira. Recebeu o mesmo nome do Padre que o batizou. Rosa Ignacia da Trindade foi sua madrinha e não teve padrinho.

Casou com Anna Maria de Jesus, nascida por volta de 1836, em Itajaí, filha de Germano José da Silva e Mariana Rosa Machado e com ela teve cinco filhos.

Faleceram após 1886.

1.2.3.3.1 Francisco Amancio Bernardino nasceu dia 02/04/1858, em Itajaí, onde foi batizado dia 08/12/1858, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram seus padrinhos, Romualdo Jerônimo Sedrez e Lucia Rosa de Jesus.
Casou com Euquérida Alves da Silva no dia 30/04/1892, na Igreja de São Pedro Apóstolo, na Freguesia de Gaspar. Ambos os contraentes eram moradores de Luiz Alves, nascidos e batizados na paróquia do Itajaí.
Euquérida, ou Eucherida, nasceu no dia 05/06/1874, em Itajaí, filha de Manoel Alves da Silva e de Francisca d’Azeredo e Silva.
1. João Francisco Cordeiro nasceu no dia 29/06/1894, na Barra de Luiz Alves. Casou com Rosa Augusta Pereira no dia 26/02/1916, na Capela de Ilhota e no civil no dia 03/11/1917, na Barra de Luiz Alves. Rosa nasceu no dia 22/07/1895, na Barra de Luiz Alves, filha de Augusto Paulo Pereira e Felicidade Augusta. Tiveram os filhos: 1. Maria Rosa Cordeiro nascida em 02/06/1916, que casou com Alfredo Mafra e teve dez filhos. 2. José João Cordeiro, nascido em 28/03/1918, na Barra de Luiz Alves, que casou com Dercília Onofre Correia no dia 02/09/1939, na Penha, teve nove filhos e falecido no dia 02/08/1966, na Armação. 3. Dete Cordeiro.

1.2.3.3.2 Maria nasceu por volta de 1859, em Itajaí.
Maria faleceu com apenas cinco anos, no dia 27/11/1864, em Itajaí. Foi enterrada em Itajaí e encomendada pelo padre Antonio Francisco da Nobrega.

1.2.3.3.3 Manoel Bernardino de Borba nasceu por volta de 1860, em Itajaí.
Casou com Maria Carolina de Souza, nasceu por volta de 1866, em Itajaí, viúva de Bento de Azeredo Leão Coutinho e filha de Ignacio Maria de Souza e Carolina Maria da Glória, dia 04/08/1885, em Itajaí, na Igreja Matriz, com o Padre João Rodrigues de Almeida. Foram testemunhas, Antonio Vicente Haendchen e Petronilho Dias Correa.
Os dois eram moradores em Luiz Alves, então pertencente à Itajaí, onde nasceram dois filhos.
1. Anna nasceu no dia 08/05/1886, em Itajaí. Foi batizada em Gaspar no dia 19/06/1886. Foram padrinhos os avós paternos.
1. Bernardina nasceu no dia 15/06/1888, em Gaspar. Foi batizada em Gaspar no dia 09/12/1888. Foram padrinhos Antonio Luis Cordeiro e Maria Januaria Cordeiro, solteiros.

1.2.3.3.4 Cecilia nasceu no dia 22/11/1862, em Gaspar, onde foi batizada no dia 20/12/1862, pelo Padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Luiz José Fernando e Maria Paulina de Jesus.

1.2.3.3.5 Eusebio nasceu no dia 15/12/1864, em Itajaí. Foi batizado no dia 28/04/1865, em Gaspar, pelo Padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Delphino Luiz da Silva e Joaquina Soares de Jesus.

1.2.3.3.6 Maria nasceu no dia 19/09/1866, em Gaspar, onde foi batizada no dia 28/01/1867, pelo Padre Alberto Francisco Gattone. Foram padrinhos Antonio Soares da Costa e Maria Ricarda da Costa.


1.2.3.4 Manoel José Maria de Borba nasceu dia 22/01/1821, em Armação de Itapocoroy, onde foi batizado dia 28/01/1821, pelo Padre Frei Francisco de Santa Isabel. Foram padrinhos, Manoel de Borba e Maria Antonia.

Casou com Maria Rosa Ignacia de Jesus, nascida por volta de 1837, filha de Manoel José Custódio de Jesus e Floriana Maria Ignacia, em Itajaí, e com ela teve três filhos:

1.2.3.4.1 Bernardino Maria de Borba nasceu por volta de 1852, em Itajaí.
Casou com Francisca de Sales Fagundes no dia 28/02/1874, na Igreja Matriz, em Itajaí. Francisca nasceu por volta de 1852, em Porto Belo, e era viúva de Manoel Antonio de Souza, filha de Pedro Lopes Ribeiro (Lopes Correia) e Joaquina Lopes Fagundes. Foram testemunhas, Antonio Pereira Liberato e Manoel Lopes Fagundes e o Padre João Maria Cybeo.
Com ela teve dez filhos, todos nascidos em Itajaí.
1. José nasceu no dia 12/01/1875, em Itajaí.
2. Maria nasceu no dia 23/05/1876, em Itajaí.
3. Joaquina nasceu no dia 02/09/1877, em Itajaí.
4. Manoel nasceu no dia 14/02/1879, em Itajaí.
5. Pedro de Borba nasceu no dia 29/06/1881, em Itajaí.
6. Antônio nasceu no dia 20/04/1882, em Itajaí.
7. João nasceu no dia 22/08/1884, Itajaí.
8. Margarida de Borba nasceu no dia 08/03/1888, em Itajaí.
9. Bernardino nasceu no dia 07/09/1890, em Itajaí.
10. Henrique Bernardino Maria de Borba nasceu no dia 28/03/1892, em Itajaí. Faleceu no dia 16/07/1983, em Itajaí.

1.2.3.4.2 João Maria de Borba nasceu no dia 03/09/1854, em Itajaí, onde foi batizado dia 15/03/1855. Foram seus padrinhos, o tio, Pedro José de Borba e Luísa Rosa de Jesus. Foi lavrador.
Casou com Maria Rosa de Jesus, no dia 26/12/1874, em Itajaí, na Igreja Matriz. Ele, com 21 anos e ela, com 16 anos. Foram testemunhas, Luís Fortunato Mendes, juiz de paz desta vila, casado e nela morador, e Cipriano José Custódio, fazendeiro, casado, morador na Itaipava. O Padre foi Manoel Marques Figueiral. Maria Rosa nasceu dia 11/01/1859, em Itajaí, filha de Manoel da Silva Pinto e Angélica Rosa de Jesus.
Moraram na Itaipava e tiveram dezesseis filhos, todos nascidos em Itajaí.
1. Manoel nasceu no dia 04/03/1876, na residência dos pais, na Itaipava, em Itajaí, às dez horas da manhã. Foi batizado em casa no mesmo dia, foram seus padrinhos Manoel da Silva Pinto, lavrador e Angelica Rosa de Jesus, costureira, ambos moradores de Itajaí.
2. Maria nasceu no dia 16/02/1877, em Itajaí.
3. Maria nasceu no dia 09/03/1878, em Itajaí.
4. Joaquim nasceu no dia 17/03/1880, em Itajaí.
5. Pedro nasceu no dia 03/05/1881, em Itajaí.
6. João nasceu no dia 07/09/1882, em Itajaí.
7. Evangelista de Borba nasceu no dia 27/12/1883, em Itajaí.
8. Maria nasceu no dia 12/03/1886, em Itajaí.
9. Adolpho nasceu no dia 03/05/1887, em Itajaí.
10. Sebastiana Borba nasceu no dia 15/02/1889, em Itajaí.
11. Angélica nasceu no dia 26/01/1890, em Itajaí.
12. José nasceu no dia 29/11/1891, em Itajaí.
13. Floriana nasceu no dia 02/03/1893, em Itajaí.
14. Helena Borba nasceu no dia 16/06/1894, em Itajaí.
15. Salustiano João de Borba nasceu no dia 14/08/1896, em Escalvados, Itajaí, onde foi batizado no dia 09/05/1903. Foram padrinhos, Bernardino Maria de Borba e Francisca de Salles Fagundes. Casou com Maria Vieira Mafra, no dia 17/01/1925, em Itajaí. Foram testemunhas, Antonio João Soares e Leopoldo Geraldino de Bittencourt. Ambos eram residentes no lugar Porto de Escalvados. Maria nasceu no dia 16/03/1894, no Lado do Norte do Rio Itajaí, Navegantes, filha de Joaquim da Silva Mafra e de Dona Maria Caetana Vieira. Tiveram os seguintes filhos: 1. Urbana Maria de Borba, a Nita, nascida a 25/05/1924, casou com Félix Pio de Macedo com quem teve cinco filhos, viúva casou com Osvaldo José Correia com quem teve dois filhos. 2. Maria. 3. Benigno. 4. Mário de Borba. 5. Inês. 6. Luzia. Maria Vieira Mafra faleceu no dia 21/10/1934, no Porto de Escalvados, em Itajaí.
Maria Rosa faleceu antes de 1925. João Maria de Borba morou no lugar Perdição.
16. Gabriel nasceu no dia 05/05/1899, em Itajaí, onde foi batizado no dia 04/05/1901, na Matriz de Itajaí, pelo padre João Baptista Peters. Foram padrinhos Leopoldo José Pereira dos Santos e Maria Francisca dos Santos.

1.2.3.4.3 Maria nasceu dia 29/07/1858, em Itajaí, onde foi batizada pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 13/09/1858. Foram seus padrinhos, os avós maternos.
Maria faleceu com menos de três meses, no dia 22/10/1858, em Itajaí, onde foi sepultada.

Maria Rosa faleceu dia 10/08/1858, aos 20 anos, em Itajaí, apenas doze dias após dar a luz à filha Maria, que também faleceu dois meses depois.

Viúvo, Manoel casou em segundas núpcias com Maria Luísa Pereira, no dia 27/02/1865, em Itajaí, em cerimônia realizada pelo padre Antonio Francisco da Nobrega. Foram testemunhas: Cipriano José Custódio e João Dias de Miranda.

Maria Luísa era natural da freguesia de São Miguel, filha de Joaquim Pereira Machado e Maria Joaquina Furtado. Com ela Manoel teve uma filha:

1.2.3.4.1² Maria nasceu dia 07/02/1868, em Itajaí, onde foi batizada pelo Padre Miguel Ruggiero, no dia 12/06/1868. Foram seus padrinhos, o tio paterno, Silvestre de Borba Cordeiro e Nossa Senhora da Conceição.

Manoel faleceu com 52 anos, no dia 18/08/1873, no Rio Pequeno, em Camboriú, de ataque de apoplexia. Foi sepultado no Cemitério da Matriz de Itajaí.

Maria Luísa se casou novamente, em 28/11/1875, com Francisco José Lamim.


1.2.3.5 Ignacia nasceu dia 04/02/1830, Itajaí, recebendo o mesmo nome da avó materna. Foi batizada no dia 04/04/1830, em Itajaí. Foram seus padrinhos, Antonio Correia e sua mulher Celestina Rosa. 


1.2.3.6 Pedro José de Borba, ou Pedro Maria Cordeiro, nasceu e foi batizado na Freguesia do Santíssimo Sacramento de Itajaí.

Casou com Joaquina Soares de Jesus, ou Joaquina Soares da Costa, no dia 01/10/1857, na Matriz de Itajaí, pelo Padre Amando Antonio Martins. Foram testemunhas: Manoel Custódio de Jesus e José Francisco de Souza. Foram testemunhas Manoel Custodio de Jesus e José Francisco de Souza.

Joaquina nasceu no dia 03/10/1838, em Itajaí, e era filha do primo materno de sua mãe, André Soares da Costa e de Sabina Pereira de Jesus. O casal morou em Itajaí onde tiveram uma filha, Maria.

Pedro faleceu antes de 1875.

1.2.3.6.1 Maria Soares Cordeiro nasceu dia 17/12/1858, em Itajaí, onde foi batizada pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo, no dia 06/03/1859. Foram seus padrinhos, os avós maternos.
Casou com Manoel José de Sousa, no dia 27/06/1875, na Igreja de São Pedro Apóstolo, em Gaspar, com o padre Manoel Marques Figueiral. Ele de 22 anos e ela de 17 anos, ambos moradores em Itajaí. Foram testemunhas Vicente Joaquim de Macedo, morador na freguesia da Penha e João Soares da Costa, morador em Gaspar.
Manoel nasceu por volta de 1853, filho de José Francisco de Souza e de Demitilde Maria Soares.
Tiveram quatro filhos.
1. Cirillo (*28/01/1877, Gaspar. Bat. 07/05/1877, São Pedro Apóstolo em Gaspar Padr: Guilherme da Silva Mafra e sua mulher Bernardinha Sena Soares, moradores do Itajaí)
2. Francisco Manoel de Souza nasceu no dia 05/05/1881, em Itajaí. Casou com Francisca Maria de Jesus, ou de Bittencourt, no dia 05/11/1911, na Capela de Nossa Senhora dos Navegantes, em presença do Padre Pedro Franken e na das testemunhas Antonio Marcellino da Costa e José Jovito Pereira. Ele com 30 anos e ela com 18 anos. No civil no dia 21/11/1917, em Penha de Itapocoroy, na sala da casa de Eleutério Bento Gonçalves, no lugar Morro Alto. Foram testemunhas Felício Fiorenzano e Alfredo Bernardino Müller, ambos residentes na Penha. Francisca nasceu em 1892, filha de Venancio Felicio Bittencourt e Maria Joaquina de Jesus, residente no Mato Grosso. Moraram nos Escalvados. Tiveram seis filhos: 1. Aurélio nasceu por volta de 1912. 2. Gercino nasceu por volta de 1914. 3. Marcos Francisco de Sousa nasceu dia 24/03/1916, no Porto Escalvados, em Navegantes. 4. Valentim. 5. Catarina. 6. Olga.
3. Dimitilla nasceu em 25/03/1883, em Gaspar, onde foi batizada no dia 09/09/1883, na Capela de São Pedro Apóstolo, pelo padre Henrique Matz. Foram padrinhos: Geraldino Joaquim de Bittencourt e sua mulher Anna Isabel Soares.
4. José Anastácio de Souza nasceu por volta de 1888, nos Escalvados, em Navegantes. Casou com Anna da Silva Mafra, no dia 18/07/1908, na Capela de Machados, em Itajaí, pelo Padre Guilherme Thoneick. Foram testemunhas Fructuoso Soares e Pedro Querino. Ele com 20 anos de idade e ela com 26 anos de idade, ambos naturais e moradores do Escalvados, paróquia de Itajaí. Anna nasceu no dia 01/03/1880, nos Escalvados, em Navegantes, filha de Guilherme da Silva Mafra e sua mulher Bernardina de Sena Soares da Costa.



1.2.4 FELICIO DE BORBA COELHO

Felicio de Borba Coelho nasceu por volta de 1792, em Armação de Itapocoroy, Penha. Sua família morou na Praia Brava, em Itajaí, onde ele aprendeu a ler e a escrever.

No dia 15 de setembro de 1811, em Armação de Itapocoroy, Felicio foi padrinho do filho de Francisco Coelho da Rocha e de Vitoriana Joaquina, nascido no dia 02 do mesmo mês. A irmã de Felicio, Joanna Antonia da Trindade foi a madrinha. O menino recebeu o nome do padrinho, Felicio.

Já no dia 11 de outubro de 1812, em Armação de Itapocoroy, Felicio e Faustina da Silva foram padrinhos de Maria, filha de Francisco Pereira Jorge e Efigênia Maria da Silva.

Felicio e sua irmã Joanna da Trindade também foram padrinhos de José, filho do irmão deles, Antônio de Borba Coelho e de Rosa Maria, que foi batizado no dia 10 de janeiro de 1813, em Armação de Itapocoroy.

Ao lado da madrinha Maria Joaquina, Felicio foi padrinho de Jacinto, no dia 08 de julho de 1815, em Armação de Itapocoroy, filho de Francisco Antônio Cardoso e de Francisca de Jesus.

Ainda solteiro, Felicio também foi padrinho de Maria, que foi batizada no dia 26 de junho de 1816, filha de João Pereira da Silva e de Francisca Rosa de Jesus. Maria dos Santos foi a madrinha. No mês seguinte, no dia 07 de julho, também foi padrinho de Joana, filha de Luiz José e de Maria Ignacia. Sabina Maria de Jesus foi a madrinha.

Casou com Thomazia Rosa de Jesus, no dia 01 de outubro de 1817, em Armação de Itapocoroy, Penha, em cerimônia realizada pelo Padre José Antonio Martins.

Thomazia nasceu no dia 28 de agosto de 1792, em Armação de Itapocoroy, filha de Francisco Antonio Cardoso, natural da Freguesia da Lagoa, e de Francisca Rosa de Jesus, natural da Freguesia de São Miguel. Neta paterna de João Cardozo e Maria de Jesus e materna de Antonio Machado e Liboria de Jesus, naturais de São Miguel. Foi batizada no dia 08 de dezembro de 1792, na Capela de São João Batista de Itapocoroy, José Antonio Martins. Foram seus padrinhos José Gonçalves Lourenço e Joaquina Ignacia.

Após se casarem, o casal continuou morando em Armação, onde nasceram os filhos: Anna dos Santos, José Felicio de Borba e Maria Thomásia de Borba. Após 1822 mudaram-se para Itajaí, onde nasceram: Francisco de Borba Coelho, Felicidade Francisca de Jesus e Anna, quando então, mudaram-se para Camboriú após 1835, onde nasceu: João Felicio de Borba. Voltaram para Itajaí antes de 1839, onde nasceram os filhos: Antonio, Jacinto Antonio de Borba Coelho e Miguel de Borba Coelho. Tiveram ao todo 10 filhos.

Felicio e sua mulher Thomazia foram padrinhos de batismo da sobrinha Anna, filha de Luiza Ignacia, no dia 15 de janeiro de 1831, em Itajaí, e de João, filho de Marcelino Ignacio e Anna dos Santos, batizado no dia 21 de janeiro de 1839, em Itajaí.

Felicio também foi padrinho de Anna, filha de Luís Gonçalves e Maria Rosa, batizada no dia 08/06/1840, em Itajaí. A madrinha foi Joaquina Rosa.

Felicio e Thomazia também foram padrinhos de Flora, filha de Severino José Vieira e Maria Luiza, batizada no dia 19 de dezembro de 1841, em Itajaí; de Thomás, filho de Luís Ignacio da Silva e Marcelina Rosa, batizado no dia 05 de maio de 1844, em Itajaí; de Francisca, filha de Florentino Vieira e Maria Francisca, batizada no dia 03 de junho de 1847, em Itajaí; e de Antonio, filho de Antonio Francisco e Floriana Maria, batizado dia 03 de agosto de 1847, em Itajaí.

Moradores em Itajaí (1830). Moradores na Praia de Camboriú, da freguesia de Itajaí, em 23 de setembro de 1859.

Felicio foi testemunha dos casamentos de João Francisco Gonçalves e Anna Francisca de Jesus, no dia 18 de abril de 1859, em Itajaí, e de Laurindo Alexandre e Joaquina Francisca, no dia 02 de fevereiro de 1860, também em Itajaí.

Felicio de Borba Coelho faleceu entre 1860 e 1865. Thomazia Rosa de Jesus faleceu antes de 1871.


1.2.4.1 Anna dos Santos nasceu em 1818 e recebeu o mesmo nome de sua tia paterna e madrinha, Anna. Foi batizada no dia 22/11/1818, em Armação de Itapocoroy, Penha, pelo Padre Marcellino Lopes Falcão. Foram seus padrinhos seu tio Manoel de Borba Coelho e Anna.

Casou com Marcelino Ignacio da Silva, viúvo de Feliciana Ignacia, no dia 15/08/1835, em Itajaí, com o Padre Joaquim Serrano. Foram testemunhas: Silvano de Borba Coelho e Manoel de Borba.

Marcelino nasceu por volta de 1810, em Armação de Itapocoroy, Penha, filho de Luís Ignacio da Silva e Claudiana Rosa. Tiveram dois filhos nascidos em Itajaí.

1.2.4.1.1 João nasceu em Itajaí.

1.2.4.1.2 Cipriano nasceu em Itajaí, onde foi batizado no dia 12/10/1844. Foram seus padrinhos: João de Oliveira e Laurinda Rosa.


1.2.4.2 José Felicio de Borba nasceu dia 29/06/1820, em Armação de Itapocoroy, Penha, onde foi batizado dia 24/07/1820, pelo Frei Francisco de Santa Isabel. Sendo seus padrinhos, José Francisco de Toledo e Maria Ignacia.

José Felicio foi alfabetizado, aprendendo a ler e a escrever.

Casou com Anna Maria da Conceição, nascida por volta de 1827, filha de Fructuoso Soares da Costa e Maria Rosa, natural de Armação de Itapocoroy.

O casal teve cinco filhos nascidos em Itajaí: Maria José da Conceição, Francisco José de Borba, Serafim José de Borba, Domingos José de Borba, Francisca Maria da Conceição.

No ano de 1859, José Felicio foi eleito suplente do Juiz de Paz, com 111 votos e por ocupar este cargo, participou da mesa de eleição dos vereadores de Itajaí no mesmo ano.

Entre 1860 e 1862 a família se mudou para a Freguesia de Barra Velha, onde nasceram mais cinco filhos: Bernardino José de Borba, Eduarda Maria da Conceição, Jacintho José de Borba, João Felicio de Borba e Carolina Rosa de Jesus.

No dia 16/12/1862, em Barra Velha, o casal foi padrinho de batismo de Marcelino, filho de Joaquim Francisco da Silveira e Mariana Ignacia de Jesus.

José Felicio de Borba e Anna Maria mudaram-se antes de 1869 para Itaperiú.

Em março de 1873, depois de efetuada a medição de suas terras, o governo lhe concedeu o título de suas terras, pois até então era posseiro. No dia 08/11/1873, José Felício recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de uma área de terra de 300.000 m² no Itaperiú.

No dia 25/07/1873, José Felicio foi padrinho de Margarida, filha da escrava Felicia de Joaquim Jose Pereira, batizada na Freguesia de Barra Velha. Maria Joaquina foi a madrinha.

No dia 19/07/1880, José Felicio pediu ao Estado para comprar terras no sertão do rio Itaperiú.

No dia 13/12/1880, José Felicio de Borba requereu terras juntamente com os filhos Serafim José de Borba, Domingos José de Borba, João Felicio de Borba, seu genro Manoel José de Souza e José de Borba Coelho e João Claudino.

José Felicio teve o preço dos terrenos que requereu no Itaperiú reduzido para dois réis a braça quadrada, no dia 03/05/1884, devendo pagar o valor no prazo de três meses.

José Felicio faleceu em 1887. No mesmo ano os bens de José Felicio foram inventariados, por sua viúva D. Ana.

Anna faleceu em 1892.

1.2.4.2.1 Maria José da Conceição nasceu por volta de 1850, em Itajaí.
Casou com João José Zeferino de Azevedo por volta de 1869. João nasceu por volta de 1850, em São Francisco do Sul, filho de José Zeferino de Azevedo e Maria Úrsula da Graça, e com ele teve filhos nascidos no Itaperiú, em Barra Velha. Em 1883, João requereu terras no Itaperiú.
1. Ver mais em Família Azevedo

1.2.4.2.2 Francisco José de Borba nasceu por volta de 1853, em Camboriú, ou Itajaí. Não sabia escrever.
Casou com Leonidia Maria de Jesus, por volta do ano 1875, na Freguesia de Penha de Itapocoroy. Leonidia nasceu por volta de 1860, em  Camboriú, ou Itajaí, filha do primo de seu pai, Raulino José Pereira e de Maria Polucena de Jesus.
Moraram no Itaperiú.
Francisco faleceu no dia 26/05/1900, às 9 horas da noite, em sua própria residência, no Itaperiú, de influenza. Foi sepultado no Itapocú.
Filhos:
1. João Nestor Borba (ou João Francisco de Borba) (*28/11/1876, Barra Velha Bat. 06/03/1876, Barra Velha Padr: João Raulino Pereira)
2. Petronilho Francisco de Borba (*31/05/1877, Itaperiú Bat. 26/11/1877, Barra Velha Padr: José de Borba e a sagrada proteção de Nossa Senhora da Conceição). Não aprendeu a ler e nem escrever. Residiu no Itaperiú. Casou com Cesarina Ignes Garcia, a Gina, (*20/04/1884, Freguesia de São Pedro Apóstolo, Gaspar), filha de José Francisco Garcia e Lucinda Rosa Bernardes. A união civil do casal ocorreu na residência da noiva, no dia 30/07/1904, às cinco horas da tarde. Ignacio José de Avila era o Juiz de Paz e João Olegario da Silva, o Escrivão. Foram testemunhas, Roberto Manoel Ribeiro, de 31 anos, Bernardino José de Borba, tio de Petronilho, Thomaz Francisco Garcia, tio paterno de Cesarina e Filumina Rosa Bernardes, tia materna de Cesarina, todos lavradores e moradores no Itaperiú. Também estavam presentes, Silvano Bento Garcia, tio paterno da noiva, Umbelino Damasio de Brito, Abilio Julio dos Passos e Manoel Joze de Souza, tio de Cesarina, marido de Filumina. Já o casamento religioso ocorreu apenas no dia 13/12/1915, na Capela do Itaperiú, e foi realizado pelo Padre Augusto Weicherding. Foram testemunhas o italiano Baptista Dal Ri, e o tio materno de Cesarina, José Jeremias Bernardes. Na ocasião, Cesarina estava grávida do quinto filho do casal, Anisio, que nasceu em março do ano seguinte. O casal morou no Itaperiú, onde Petronilho foi lavrador e Cesarina foi costureira e lavradora. No Itaperiú nasceram seus oito filhos: Francisco Petronilho Borba, José Petronilho Borba, Arlindo Petronilho Borba, Lucinda Cezarina Borba, Anisio Petronilho Borba, Floriza Cezarina Borba, João Petronilho Borba e Antonio Petronilho Borba. Petronilho Francisco de Borba faleceu de morte natural, no Itaperiú, no dia 29/12/1941, às dez horas, aos 65 anos. Ele foi sepultado no cemitério de São João do Itaperiú. Em março de 1943 faleceu o filho José. No ano seguinte, em outubro, faleceu o filho Francisco. Cesarina Ignes Garcia faleceu em sua residência, no dia 25/08/1945, às nove horas, aos 61 anos, de morte natural. Foi sepultada no cemitério de São João do Itaperiú. Veja mais.
3. Rosa nasceu por volta de 1878.
4. Saturnina Leonidia Pereira (*~1878). Casou com Jonas Appolinario da Cunha (*28/11/1872, Barra Velha), filho de João Antonio da Silva Apolinario e Joaquina Pereira da Silva. Saturnina Leonidia faleceu com 60 anos, no dia 13 de setembro de 1938, às 4 horas, em sua casa, no Itaperiú. Veja filhos em Família Cunha.
5. Maria Amancia de Borba (*~1880). Casou com José Amancio.
6. Delatiria (*27/03/1880 Bat. 31/10/1880, Penha Pad: João Zeferino de Azevedo e Maria José da Conceição)
7. Sebastiana Leonidia de Borba (*~1882). Casou e ficou viúva antes de 1943.
8. José (*03/03/1882, Barra Velha Bat. 24/09/1882 Padr: Jacintho José de Borba e a Invocação de Nossa Senhora da Conceição)
9. Amaro Francisco Borba (*16/03/1884, Barra Velha Bat. 10/08/1884 Padr: os avós paternos)
10. Maria (*25/05/1886, Barra Velha Bat. 25/09/1886, Barra Velha Padr: Jacintho Francisco de Borba e Nossa Senhora da Conceição).
11. Maria (*24/02/1889, Itaperiú, Barra Velha Bat. 25/09/1886, Barra Velha Padr: Jacintho Francisco de Borba e Nossa Senhora da Conceição).
12. Rosa (*02/03/1891, Itaperiú)
13. Sebastião (*19/04/1893, Itaperiú).
14. Anna Leonidia das Neves (*~1894). Casou com Tertulino José Duarte, nascido no dia 02/05/1883, em Barra Velha, filho de José Duarte de Farias e Felisbina Joaquina Pereira, no dia 28/06/1915, na casa de sua mãe, no Itaperiú. Moraram em São João do Itaperiú. Tiveram filhos. Tertulino faleceu no dia 07/09/1957, no Itaperiú. Foi sepultado em São João do Itaperiú. Anna faleceu no dia 31/05/1986, no Hospital São José, em Joinville. Foi sepultada em São João do Itaperiú. Ver filhos em Família Duarte de Farias.

1.2.4.2.3 Serafim José de Borba nasceu no dia 28/01/1854, em Camboriú, ou Itajaí. Foi batizado no dia 26/05/1854, na Matriz de Porto Bello, pelo Frei João da Natividade Nobre. Foram padrinhos Florencio Pereira da Silva e Maria Francisca. Foi lavrador.
Casou com Fausta Francisca de Borba, no dia 13/03/1881, em Barra Velha. Foram testemunhas, Bento José Borges e Francisco José de Borba, irmão de Serafim. O Padre foi João Domingues Alvares Veiga.
Fausta nasceu no dia 18/12/1863, em Camboriú, filha de seu tio paterno, Francisco de Borba Coelho e Anna Rosa Ignacia, moradores da freguesia do Santíssimo Sacramento de Itajaí.
Moraram no Itaperiú (1889).
Serafim e Fausta faleceram após 1895.
Filhos:
1. Maria Fausta Francisca de Borba (*03/09/1882, Barra Velha Bat. 25/09/1882, Rainha Padr: José Felicio de Borba e Encarnação de Nossa Senhora da Conceição). Casou com Bernardino Duarte de Farias (*28/11/1870, Barra Velha), filho de Joaquim José Duarte e Luiza Caetana de Farias. Filhos: [Ver em Família Duarte de Farias]
2. Anna (*21/02/1884, Barra Velha Bat. 10/08/1884, Barra Velha Padr: tios paternos, Domingos José de Borba e Rosa Francisca da Conceição)
3. Amara (*23/09/1886 Bat. 22/11/1886, Rainha, Araquari Padr: Jacintho Francisco de Borba e Luciana Antonia de Souza)
4. João (*13/01/1888, Barra Velha Bat. 11/04/1888 Pad: Bento José de Borba e Thomasia Francisca de Borba)
5. José (*05/09/1889)
6. Francisco (*22/11/1890, Itaperiú)
7. Sebastião Serafim de Borba (*28/10/1892, Itaperiú Bat: Itaperiú). Casou com Cedalia Maria Correa (*15/04/1894, Itaperiú +Antes 1920), filha de Felippe Correia da Silva e Maria Pereira Soares, no dia 25/12/1917. Filho: Arnoldo (*~1919). Cedalia faleceu e Sebastião casou pela segunda vez aos 28 anos com Antonia Anna Alves da Conceição (*~1901, Itaperiú), filha de José Francisco Alves e de Anna Eduarda Soares, de 19 anos, no dia 13/07/1920, na Capela de Santo Antonio, no Itaperiú. 
8. Domingos de Borba
9. Lucinda (*07/10/1895, Itaperiú)
10. Francisca Fausta de Borba (+03/10/1901, Itaperiú, Barra Velha, de febre Sep: Itapocú)

1.2.4.2.4 Domingos José de Borba nasceu por volta de 1856, em Camboriú, ou Itajaí.
Casou com Rosa Francisca da Conceição, nascida em Camboriú, ou Itajaí em 30/05/1858, sua prima, filha de seu tio paterno, Francisco de Borba Coelho e Anna Rosa Ignacia, antes de 1883, na Igreja Matriz de Penha de Itapocoroy.
Tiveram seis filhos nascidos em Barra Velha. Morou no Itaperiú antes de 1889 e estabeleceu-se na atual localidade de Santo Antonio, onde foi lavrador. No dia 23/01/1913, Domingos recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de uma área de terra de 673.953,5 m² na Linha Itaperiú.
Domingos e Rosa faleceram após 1891. Rosa faleceu antes de 1938.
1. Cyriaco Abrahão de Borba nasceu no dia 16/03/1884, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 10/08/1884. Foram seus padrinhos os avós paternos, José Felicio de Borba e Anna Maria da Conceição. Casou com Maria José dos Santos. Filhos: Rosa.
2. Mauricio nasceu no dia 22/09/1886, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 04/11/1886. Foram seus padrinhos Jacintho José de Borba e Anna Maria da Conceição.
3. José Domingos de Borba (*06/02/1889, Itaperiú, Barra Velha +10/10/1943, Barra Velha). Casou com Maria Anna de Souza (*06/12/1896, Barra Velha +07/11/1951, Barra Velha), filha de Manoel Florencio Pereira e Anna Maria de Souza, moradora no Itaperiú, no dia 31/12/1917, no cartório de Barra Velha.
4. João de Borba (*13/02/1891, Itaperiú)
5. Firmo José de Borba (*01/06/1893, Itaperiú, Barra Velha). Casou com Maria Augusta de Azevedo, nascida no dia 06/03/1896, filha de João Maria de Espindula e Maria do Carmo de Azevedo, no dia 14/01/1917. Filhos: Manoel (*~1916); Emilio (*~1918); Felipe (*~1920); Maria (*~1923); e Francisca (*~1923).
6. Lucio José de Borba.
7. Francisca Rosa de Borba (*~1904 +23/05/1926). Sabia escrever. Casou com José Paulo Pereira (*25/01/1891, Itaperiú, Barra Velha +29/01/1973, Barra Velha Sep: Santo Antonio), no dia 12/10/1918, na casa de Domingos José de Borba, no Itaperiú.

1.2.4.2.5 Francisca Maria da Conceição nasceu no dia 19/07/1858, Itajaí, onde foi batizada dia 30/11/1858, em Itajaí, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram padrinhos, Bernardo Pereira Rodrigues e Francisca Maria do Espírito Santo.
Casou com Manoel José de Souza, que nasceu por volta de 1850, filho de José Francisco de Souza e Carolina Rosa de Jesus, por volta de 1875.
Tiveram filhos nascidos em Barra Velha.
1. [Ver filhos em Família de Manoel José de Souza]

1.2.4.2.6 Bernardino Jozé de Borba nasceu no dia 21/02/1863, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 04/06/1863, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Foram padrinhos, o avô materno, Fructuoso Soares da Costa e Maria Infância da Silveira. Sabia ler e a escrever.
Casou aos 26 anos com Antonia Maria da Silveira, de 17 anos, filha de Vicente Gonçalves de Souza e Maria Francisca da Silveira, no religioso no dia 08/06/1889, ao meio-dia, em Barra Velha. Foram testemunhas, Domingos José de Borba, irmão de Bernardino e Marcelino Silveira Catarina. O Padre foi Vicente d'Argenzio. O casamento civil ocorreu no dia 14 do mesmo mês, em Barra Velha. Foram testemunhas, Miguel Leal de Souza Nunes, negociante, residente no Itapocú, 50 anos; e Domingos José de Borba, irmão de Bernardino.
Antonia nasceu no dia 13/06/1872, em Barra Velha. Tiveram quatro filhos nascidos em Barra Velha. Moraram no Itaperiú (1889). Bernardino faleceu após 1891.
1. Maria (*30/03/1890, Itaperiú, Barra Velha)
2. João (*16/05/1892 ou 15/11/1892, Itaperiú)
3. Lucinda (*04/03/1894, Itaperiú, Barra Velha +01/12/1896, Barra Velha, de febre Sep: Itapocú)
4. José (*10/03/1896, Itaperiú, Barra Velha)

1.2.4.2.7 Eduarda Maria da Conceição nasceu dia 23/04/1865, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 18/09/1865, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Foram padrinhos, Eduardo Soares da Costa e Maria José Pereira.
Casou com João Raulino Pereira, no dia 17/12/1881, em Penha, com o Padre João Domingues Alvares Veiga. Foram testemunhas, José Francisco de Souza e Joaquim Felicio Borges.
João Raulino nasceu por volta de 1863, filho do primo paterno de seu pai, Raulino José Pereira e de Maria Polucena de Jesus.
1. [Ver filhos em Família de Joaquim José Pereira]

1.2.4.2.8 Jacintho José de Borba nasceu por volta de 1867, em Barra Velha. Sabia escrever.
Casou com Maria Mathildes Pereira, filha de Florêncio Pereira da Silva e Maria Francisca Soares, na casa de Manoel Joaquim de Souza, no Serro, em Barra Velha, em missão realizada pelo Padre João Maria Cybeo, antes de 1887. Maria Mathildes nasceu por volta de 1867, em Camboriú, e era neta do primo de seu avô materno.
Moraram no Itaperiú, na Freguesia de Barra Velha, antes de 1889. No dia 14/11/1934, Jacintho recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de uma área de terra de 148.195 m² no Itaperiú.
Jacintho faleceu após 1908. Maria Mathildes Pereira faleceu no dia 31/12/1933, no Itaperiú, com 66 anos. Foi sepultada em Santo Antonio.
1. Maria (*12/03/1889, Itaperiú, Barra Velha +Antes 1934)
2. Procoro (*09/04/1890, Itaperiú, Barra Velha +Antes 1934)
3. Anna Maria do Espirito Santo (*17/05/1891, Itaperiú, Barra Velha +17/06/1967, Santo Antonio, São João do Itaperiú Sep: Santo Antonio). Casou com Antonio Amandio da Rosa (*~1893, Barra Velha), filho de Amandio João Claudino e Maria Rosa de Jesus, no dia 29/09/1917, no cartório de Barra Velha. Moraram em São João do Itaperiú.
4. José Jacinto de Borba (*15/11/1892, Itaperiú Bat. 05/01/1893, Barra Velha Padr: Manoel Florêncio Pereira e Anna Maria de Jesus +12/08/1965, Joinville Sep: São João do Itaperiú). Casou com sue prima Maria Lina da Conceição (*~1897, Itaperiú), filha de seu tio José Pereira Soares e Lina Joaquina Pereira. Tiveram 8 filhos.
5. Isabel Maria Pereira (*21/12/1894, Itaperiú, Barra Velha). Filhos: Bento de Borba (*23/03/1922, São João do Itaperiú Bat. 19/08/1922, Capela Santo Antônio, Itaperiú). Casou.
6. Maria Pereira de Borba (*08/06/1896, Itaperiú, Barra Velha). Casou.
7. Tertuliana Maria Pereira (Tertulina) (*Itaperiú Bat. Itaperiú). Casou aos 20 anos com Pedro Celestino Correa (*Itaperiú), filho de Felippe Correa e Maria Eduarda Pereira, de 23 anos, no dia 18/12/1920, na Capela do Itaperiú. Elias Cypriano Rocha e Francisco Manoel Vieira foram testemunhas. Casou.
8. Furgencio Jacintho de Borba (Florgencio) (*01/01/1900, Barra Velha +28/11/1956, Joinville). Aprendeu a ler e a escrever, e se assinava Florgencio. Casou com Izabel Maria de Aguiar (*30/05/1902, Itapocú), no dia 22/01/1927, na residência de Julio Henrique Ferreira, no Itaperiú. Foram testemunhas, Marcellino Borges, 27 anos, lavrador, no Ribeirão da Corda, José Raymundo da Silveira, 22 anos, lavrador, no Itaperiú, Auta Ferreira Borges, 20 anos, doméstica, no Ribeirão da Corda. Também estavam presentes, Severo Francisco de Moraes como Juiz de Paz, Saturnino Jacintho de Borba. Furgencio faleceu no dia 28/11/1956, em Joinville.
9.  Saturnino Jacinto de Borba (*~1904). Casou.
10. João Jacinto de Borba (*~1906).
11. Francisca Maria Pereira (*~1908). Casou.

1.2.4.2.9 João Felicio de Borba nasceu no dia 22/05/1871, em Barra Velha, onde foi batizado, aos dois meses e 15 dias, no dia 06/08/1871. Foram padrinhos, o primo paterno de seu pai, Raulino José Pereira e sua mulher Maria Polucena da Conceição.
Casou com Ana Soares da Conceição, nascida dia 28/07/1873, em Barra Velha, filha de Mariano Soares da Costa e de Marcelina Ignacia da Conceição, dia 04/04/1896, no civil em Barra Velha, e no dia 03/06/1898, na Matriz de Barra Velha. Moraram no Itaperiú.
Filhos:
1. José (*~1897, Barra Velha)


1.2.4.3 Maria Thomasia de Borba nasceu no dia 28/04/1822, em Armação de Itapocoroy, Penha, onde foi batizada, no dia 03/06/1822, pelo Frei Martin Joaquin de Oliden. Foram padrinhos, seu tio paterno, João de Borba Coelho e Angélica Rosa de Jesus.

Casou com Cipriano Tomás Francisco da Costa, no dia 01/02/1840, na Matriz do Senhor Bom Jesus dos Aflitos da Vila de Porto Belo, pelas oito horas da manhã. Foram testemunhas Marcellino Jose da Costa e Marcellino Ignacio. Cipriano era filho de José Tomás Francisco da Costa e Genoveva Maria da Silva.

Cipriano era filho de Tomás Francisco da Costa e de Genoveva Rosa de Jesus, de Itapocoroy.

Moraram em Itajaí e tiveram dois filhos: Maria e Emigdio Thomaz da Costa.

Após sua morte, Cipriano se casou com Luísa Alexandra da Silva.

1.2.4.3.1 Maria nasceu em 25/02/1842, em Itajaí, onde foi batizada no dia 26/03/1842. Foram padrinhos: José Francisco de Borba e Maria Rosa.

1.2.4.3.2 Emigdio Thomaz da Costa casou e morou no Sertão, em Camboriú.


1.2.4.4 Francisco de Borba Coelho nasceu por volta de 1824, em Itajaí.

Casou com Anna Rosa Ignacia, filha do Tenente José Ignacio Borges Filho e Rosa Maria de Santa Anna, naturais de Armação de Itapocoroy, nasceu no dia 12/03/1823, em Armação de Itapocoroy, por volta do ano 1853 e tiveram seis filhos.

Morou com a família em Itajaí. A família mudou-se para Barra Velha, depois de abril de 1880 e antes de 03/1881.

Francisco e Anna faleceram antes de 1891.

1.2.4.4.1 Maria nasceu no dia 09/05/1854, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 13/12/1854. Foram padrinhos, Felicio José Borges e Belizaria Maria Pacheco.

1.2.4.4.2 Jacintho Francisco de Borba nasceu por volta de 1855, em Camboriú. Foi lavrador.
Casou com Luciana Antonia de Souza, nascida por volta de 1859, em Itajaí, ou Camboriú, filha de Manoel Antonio de Souza e Marcelina Antonia, no dia 08/02/1882, em Itajaí, na Igreja Matriz, com o Padre João Rodrigues de Almeida. Ele, com 27 anos e ela, com 23 anos, moradores em Espinheiros. Foram testemunhas, Camilo Antonio da Silva e Bernardino da Silva Mafra.
Tiveram seis filhos nascidos na Freguesia de Barra Velha. Moraram no Itaperiú (1889-1891).
Jacintho faleceu antes de 1917. Luciana faleceu antes de 1932.
1. Maria (*04/03/1888, Barra Velha Bat. 10/04/1888, Barra Velha Padr: Domingos José de Borba e Nossa Senhora da Conceição)
2. Antonio Jacinto de Borba (*05/02/1889, Itaperiú, Barra Velha +01/01/1958, Santo Antonio, Barra Velha Sep: Santo Antonio). Casou com Floria Custodia Soares, filha de José Soares de Braga e Custodia Maria de Souza, no dia 31/12/1932, no cartório de Barra Velha. Filhos: um filho (*19/08/1930); Jacinto (*~1932), que casou; Francisca (*~1938); Maria (*~1938); e José (*~1940).
3. Francisca (*28/12/1892, Itaperiú, Barra Velha)
4. Margarida Geronima de Borba (*20/07/1894, Itaperiú, Barra Velha). Casou com Francisco Rosa de Oliveira (*1880, Itajaí +30/08/1938, Itaperiú), filho de Isidorio Silvestre de Oliveira e Rosa Francisca de Borba, no Itaperiú. [Veja mais em Família Oliveira].
5. Francelino (*~1896, Barra Velha)
6. Manoel (*01/01/1897, Barra Velha).
7. Maria Victoria de Borba (*12/04/1902, Itaperiú, Barra Velha +22/07/1986, Joinville Sep: Saí-Mirim, Garuva.). Casou com Valdemiro João de Souza (*21/01/1898, Itaperiú +Antes 1986), filho de João Maria de Espindola e Maria do Carmo de Azevedo, no dia 27/05/1922 no civil e 13/06/1922, na Capela de Santo Antonio, no Itaperiú. [Ver mais em Família Gonçalves de Souza]

1.2.4.4.3 Rosa Francisca da Conceição nasceu no dia 30/05/1858, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 08/08/1858, na Igreja Matriz. Foram padrinhos, Miguel de Borba Coelho e Rosa Maria Lucinda.
Casou com Izidoro Silvestre de Oliveira (*~1842, Freguesia de Nossa Senhora da Lapa, SC), morador desde os seis anos no sitio dos Pinheiros, em Itajaí, filho de Silvestre Dias de Jesus, e de Joanna Perpetua Duarte, no dia 07/01/1875, na Igreja de São Pedro Apostolo, freguesia do Gaspar. Foram testemunhas: Francisco da Silva, e Eduardo Soares da Costa, ambos casados, e moradores nos Pinheiros da Vila do Itajaí.
Filhos:
1. Maria Rosa de Borba Oliveira (+Antes 1936) [Veja mais em Família Oliveira].
2. Francisco Rosa de Oliveira (*~1880 +30/08/1938, Itaperiú Sep: Santo Antonio) [Veja mais em Família Oliveira].
Casou com Domingos José de Borba, nasceu por volta de 1856, em Itajaí, seu primo, filho de seu tio paterno, José Felicio de Borba e Anna Maria da Conceição, antes de 1883.
Rosa faleceu antes de 1938.
1. [Ver filhos em 1.2.4.2.4 Domingos José de Borba]

1.2.4.4.4 Francisca nasceu no dia 27/03/1860, em Itajaí, onde foi batizada, pelo Padre João Domingues Alvares Veiga, no dia 29/04/1860. Foram padrinhos, seu tio paterno, João Felicio de Borba e sua mulher, Clementina Rosa de Souza.

1.2.4.4.5 Thomazia Francisca de Borba nasceu no dia 18/09/1861, em Camboriú. Foi batizada no dia 20/10/1861, em Itajaí. Foram padrinhos, seu tio paterno, José Felicio de Borba e sua mulher, Anna Maria.
Casou com Bento José Borges, no dia 03/04/1880, em Itajaí, Ele, com 22 anos e ela, com 18 anos, moradores em Espinheiros. Foram testemunhas, Camilo Antonio da Silva e Isidoro Silvestre de Oliveira. O Padre que celebrou foi João Rodrigues de Almeida. Bento nasceu no dia 03/02/1858, em Itajaí, seu primo, filho de Pedro José Borges, irmão de sua mãe e de Clara Rosa dos Santos, ou Clara Gonçalves da Silva.
Tiveram uma filha em Gaspar e cinco filhos nascidos em Barra Velha.
1. Maria (*24/05/1881, Itajaí Bat. 14/11/1881, Capela de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Pedro José Borges e Nossa Senhora).
2. Marcellina (*02/06/1884, Barra Velha Bat. 20/10/1884, Barra Velha Padr: Serafim José de Borba e Fausta Francisca de Borba)
3. Florencio (*07/11/1886, Barra Velha Bat. 22/11/1886, Rainha, Barra Velha Padrinhos: Bernardino José de Borba e Anna Maria da Conceição)
4. Thomás nasceu em Barra Velha.
5. Bejamim (*29/06/1891, Barra Velha)
6. José nasceu em Barra Velha.

1.2.4.4.6 Fausta Francisca de Borba nasceu no dia 18/12/1863, em Camboriú.
Casou com Serafim José de Borba, nasceu por volta de 1859, em Itajaí, filho de seu tio paterno, José Felicio de Borba e Anna Maria da Conceição, no dia 13/03/1881, em Barra Velha. Foram testemunhas, Bento José Borges, seu cunhado e Francisco José de Borba, irmão de Serafim. O Padre foi João Domingues Alvares Veiga.
1. [Ver filhos em 1.2.4.2.3 Serafim José de Borba]


1.2.4.5 Felicidade Francisca de Jesus nasceu no dia 31/08/1830, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 31/10/1830.

Casou com José Miguel da Rocha, nasceu por volta de 1830, em Itajaí, filho de João Miguel da Rocha e Claudina Rosa, por volta de 1854. Tiveram três filhos nascidos em Itajaí, João, Francisco e Thomazia, e dois nascidos em Camboriú, Pedro e Bento.

1.2.4.5.1 Francisco nasceu em Itajaí.

1.2.4.5.2 Thomazia nasceu em Itajaí.

1.2.4.5.3 Pedro nasceu em Camboriú.

1.2.4.5.4 Bento nasceu em Camboriú.


1.2.4.6 Anna nasceu no dia 20/10/1835, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 24/01/1836, pelo Padre Joaquim Serrano. Foram seus padrinhos, seu cunhado, Marcelino Ignacio da Silva e Vitalina Maria, sua prima.


1.2.4.7 João Felicio de Borba nasceu por volta de 1837, em Camboriú.

Casou com Clementina Rosa de Souza, ou Clementina Anna de Jesus, filha de João da Cunha de Souza e Anna Rosa, por volta de 1856, com quem teve cinco filhos.

Até 1864 residia em Camboriú e em 1865 mudou-se para Barra Velha e para Jaraguá. João Felicio e Clementina morreram após 1892.

1.2.4.7.1 Maria Clementina de Borba nasceu no dia 19/12/1856, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 26/07/1857, pelo Padre Amando Antonio Martins. Foram seus padrinhos, Jacinto de Borba e Rita Teodora.
Casou com João Pereira da Silva Catharina, nascido por volta de 1843, em Itajaí, primo paterno de seu pai, filho de Joaquim José Pereira e de sua tia-avó Joaquina Ignacia de Borba Coelho, no dia 25/04/1891, no cartório de Barra Velha, no Guamiranga e no religioso dia 07/09/1903, em Joinville. Tiveram três filhos. Moraram na Ilha da Figueira, em Jaraguá.


1.2.4.7.2 João de Deus de Borba nasceu no dia 09/03/1858, em Itajaí, onde foi batizado, no dia 11/04/1858, pelo Padre Amando Antonio Martins. Foram seus padrinhos, seus tios, José Miguel da Rocha e sua mulher, Felicidade Francisca, irmã de seu pai.
Casou com Luiza Maria da Graça, nascida em abril de 1874, em Barra Velha, filha de José Gonçalves de Souza e Maria Luiza da Graça, moradores no Itaperiú. Casaram no cartório dia 27/06/1891, na casa de Gregório Gonçalves de Souza, em São João, e na igreja dia 07/12/1892, em Barra Velha. Foram testemunhas, seu primo, Serafim José de Borba e José Pereira Soares. O Padre foi Vicente d'Argenzio.
Moraram no Itaperiú (1891-1894).
1. Maria (*15/03/1891, Itaperiú, Barra Velha Batizada no dia do casamento dos pais, em 07/12/1892, em Barra Velha)
2. Manoel (*10/02/1894, Barra Velha)
2. João (*09/02/1894, Itaperiú, Barra Velha)

1.2.4.7.3 Chrispim nasceu no dia 23/09/1859, em Camboriú, onde foi batizado, no dia 31/01/1858, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, Marcelino Ignacio Pereira e Maria Anna de Borba.

1.2.4.7.4 Chrispim nasceu no dia 09/01/1864, em Camboriú, onde foi batizado, no dia 13/03/1864, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram seus padrinhos, José Mariano Silva e Luísa Rosa.

1.2.4.7.5 Vicente nasceu em 28/12/1865, em Barra Velha, onde foi batizado, no dia 12/12/1866. Foram seus padrinhos, o tio paterno, José Felicio de Borba e sua mulher Anna Maria da Conceição.

1.2.4.7.6 Jacintho Isidoro de Borba nasceu por volta de 1864. 
Casou com Maria Luisa de Sousa, filha de Bento Ricardo de Souza e Luiza da Lus, moradores da Barra do Itapocuzinho, no dia 16/04/1892, em Barra Velha.


1.2.4.8 Antonio nasceu no dia 30/01/1839, em Itajaí, onde foi batizado, pelo Padre Francisco Rodrigues, no dia 21/03/1839. Foram seus padrinhos, seu tio paterno Antonio de Borba, de quem recebeu o mesmo nome e Maria Rosa.

Faleceu aos quatro meses, no dia 24/05/1839, em Itajaí.


1.2.4.9 Jacintho Antonio de Borba Coelho nasceu por volta de 1841, em Itajaí.

Casou com Maria Cândida de Souza, filha do Major Francisco de Souza Medeiros e de Maria Joaquina de Andrade, por volta de 1859. Moraram em Camboriú, no lugar Boa Vista (1865), posteriormente na Várzea Grande (1869) e no Sertão (1872). Tiveram quatro filhos, Maria Carolina, Candido, Amália e Pulquéria.

Jacintho faleceu após 1877.

1.2.4.9.1 Maria Carolina de Souza nasceu no dia 22/11/1859, em Camboriú, onde foi batizada, no dia 02/02/1860, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, os avós maternos, o Major Francisco de Souza Medeiros e sua mulher, Maria Joaquina de Andrade, moradores em Camboriú.
Casou com Francisco de Assis Rodrigues Pereira, filho de Thomaz Antônio Pereira e Francisca Cândida de Assis Feijó, com quem teve uma filha.
1. Verginia nasceu no dia 01/11/1876, no Estaleiro, em Camboriú, onde foi batizada, no dia 14/07/1877, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram padrinhos o avô materno, Jacintho, e Protetora Nossa Senhora do Bom Sucesso.

1.2.4.9.2 Cândido nasceu em 19/09/1865, em Camboriú, recebendo o mesmo nome do tio materno e padrinho. Foi batizado, no dia 02/12/1865, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos seus tios maternos, Cândido de Souza Medeiros e sua mulher Maria Gouvea.

1.2.4.9.3 Amália nasceu dia 01/01/1869, em Camboriú, onde foi batizada, no dia 07/08/1869, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, Joaquim da Silva Santos e sua mulher Amália da Silva Santos.

1.2.4.9.4 Pulcheria nasceu no dia 07/07/1870 e foi batizada no dia 30/07/1870, na igreja paroquial de São Pedro, em Blumenau. Foram padrinhos José Maria de Souza e Anna Ignacia de Jesus.

Uma de suas filhas faleceu no dia 01/03/1872, em Camboriú, onde foi sepultada.


1.2.4.10 Miguel de Borba Coelho nasceu por volta de 1843, em Itajaí.

Casou com Maria Rosa de Jesus, ou Maria José, nascida em 16/04/1846, em Itajaí, filha de Serafim José Cabral e Silvana Ignacia de Jesus. Moraram em Camboriú, no Sertão (1868) e no Barranco (1870 a 1877), onde tiveram cinco filhos e em Brusque (1894).

1.2.4.10.1 João Miguel de Borba nasceu no dia 23/06/1868, em Camboriú, onde foi batizado, no dia 29/08/1868, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, seu tio materno, José Serafim Cabral e sua mulher, Engrácia Maria. Faleceu no dia 12/03/1894, em Brusque. Foi sepultado em Brusque.

1.2.4.10.2 Maria nasceu no dia 22/04/1870, em Camboriú, onde foi batizada, no dia 24/07/1870, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos, seu primo paterno, Jacinto Francisco de Borba e Rita Amância de Jesus, solteiros. Maria faleceu com apenas dez meses de idade, no dia 22/02/1871, em Camboriú e foi sepultada no cemitério da Matriz de Camboriú.

1.2.4.10.3 Ignacio Miguel de Borba.
Casou com Felicia Marta da Conceição, ou Feliciana da Graça. Moraram no Putanga (1900-1916).
1. João Ignacio de Borba (*02/10/1894, Barra Velha). Morou no Putanga. Casou com Emma Cupas (*~1899, Barra Velha), moradora no Putanga, filha de Rodolpho e Maria Cupas, naturais da Alemanha, no dia 07/09/1916, no Guarany-açú, pelo cartório de Barra Velha.
2. Thiodomiro Ignacio de Borba (*~1896 +08/01/1900, na casa de Vicente Alexandre, no Putanga, de ataque de vermes Sep: Itapocú)
3. Maria (*30/04/1901, doente +01/05/1901, Putanga, Guaramirim Sep: Itapocú)

1.2.4.10.4 Eufrazio nasceu no dia 13/03/1874, no Barranco, em Camboriú, onde foi batizado, no dia 14/07/1877, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram seus padrinhos Jacintho de Borba Coelho e Protetora Nossa Senhora do Bom Sucesso.

1.2.4.10.5 Luiza nasceu no dia 31/01/1877, no Barranco, em Camboriú.

1.2.4.10.6 Lucio Miguel de Borba ?. Morador no Putanga, Guaramirim (1901). Casou com Maria Theodora. Filhos:
1. Paulo (*05/10/1907 Bat. 04/01/1915, Guarani-mirim Padr: Manoel Stein e Rita Maria Ignacia)
2. Maria (*15/06/1909 Bat. 04/01/1915, Guarani-mirim Padr: Justino Miguel de Borba e Eva de Sousa)
3. Donaria Martha (*15/10/1911 Bat. 04/01/1915, Guarani-mirim Padr: José Camilo e Eva de Sousa)
4. Veneranda (*08/12/1914 Bat. 23/10/1915, Guarani-mirim Padr: João Ignacio de Borba e Maria Felicia da Conceição). Casou com Abilio José Franco, no dia 12/09/1949, em Guarani-açu.



1.2.5 MANOEL DE BORBA COELHO

Manoel de Borba Coelho nasceu na Praia Brava, em Itajaí e recebeu o mesmo nome do padrinho. Foram seus padrinhos de batismo, seus tios, Manoel Lourenço da Luz e sua mulher Anna Mauricia, irmã de seu pai. Foi batizado no dia 04 de agosto de 1793, em Armação de Itapocoroy, Penha, pelo Padre José Antonio Martins.

Foi padrinho de batismo de muitos de seus sobrinhos. No dia 22 de novembro de 1818, em Armação de Itapocoroy, foi padrinho de sua sobrinha Anna, filha de seu irmão Felicio. Sua irmã Anna foi a madrinha. Já no dia 28 de janeiro de 1821, em Armação de Itapocoroy, Manoel batizou seu sobrinho, filho de sua irmã Joanna Antonia, que ganhou o mesmo nome do padrinho, Manoel. Maria Antonia foi a madrinha. Ele e sua irmã Anna Ignacia também batizaram no dia 09 de setembro de 1831, em Itapocoroy, a sobrinha Ignacia, filha de seu irmão José.

Manoel morou na Praia Brava, em Camboriú e faleceu após 1842.



1.2.6 JOSÉ DE BORBA COELHO

José de Borba Coelho nasceu no dia 02 de julho de 1795, na Praia Brava, em Itajaí, recebendo o mesmo nome do avô materno, José. Foi batizado no dia 24 de julho de 1795, em Armação de Itapocoroy, Penha, pelo Padre José Antonio Martins. Jacinta Rosa foi sua madrinha.

Aprendeu a ler e a escrever, assinando seu nome como se escrevia na época “Joze” de Borba Coelho.

Casou com Sebastianna Rosa de Jesus, no dia 28 de dezembro de 1822, em Armação de Itapocoroy, Penha, com Frei Martin Joaquin de Oliden. Foram testemunhas, José Ignacio Borges e Mariano Joaquim.

Sebastiana era natural da Freguesia de Santo Antonio, filha de Manoel Nunes e Maria Joaquina.

Morou em Itajaí, onde teve seis filhos: Vitalina Maria de Borba, Maria Sebastiana de Borba, Francisco José de Borba Coelho, Ignacia, Bento José de Borba Coelho e Maria Sebastiana Rosa de Borba.

José foi testemunha dos casamentos de José Coelho de Oliveira e Custódia Rosa da Encarnação, realizado no dia 09 de dezembro de 1834, em Itajaí, e de José de Oliveira e Firmiana Maria, realizado no dia 20 de agosto do ano seguinte, no mesmo local.

No dia 15 de agosto de 1836, em Penha, pelo padre Francisco de Paula de Miranda Henriques, foi batizado João, que nasceu por volta do dia 15 de março de 1836, filho de Francisca, escrava de José de Borba, de pai incógnito.

Sebastiana faleceu por volta de 1838 e José, se casou novamente com Alexandrina Rosa Jorge, filha de Manoel Antonio Pereira Jorge (Manoel da Rosa) e Florinda Rosa de Jesus, por volta do ano 1839, com quem teve mais 10 filhos: Manoel, Amaro, Florinda, Francisca Alexandrina, José, Pedro José, Maria Alexandrina, Jacintho, Silvano e Francisco Estevão.

Em 1842, quando ocorreu o inventário dos bens do Tenente Francisco Lourenço da Costa, comerciante do Rio Itajaí, sendo inventariante sua viúva Justina Rosa, aparece como devedor José de Borba.

José e Alexandrina Rosa foram padrinhos de batismo de Antonio, filho de Antonio Feliciano e Laurentina Rosa, batizado no dia 03 de julho de 1843, em Itajaí.

No dia 17 de fevereiro de 1860, José de Borba Coelho, juntamente com os genros Delfino José d'OIiveira e João Francisco d'Espindola, e dos filhos Francisco José do Borba e Bento José de Borba, residentes no Itapocoroy, enviaram um requerimento ao diretor geral das terras públicas do governo da província de Santa Catarina, propondo comprar mil braças de terras do frente com quinhentas de fundo, fazendo frente ao travessão das terras de José de Borba Coelho.

Já no dia 23 de junho do mesmo ano, José de Borba Coelho, pediu para comprar trezentas braças de terras de frente com mil de fundos no sertão da Barra Velha. José e outros também se propuseram para comprar mil braças de terras de frente com quinhentas de fundos no sertão da Barra Velha. O governo da província arbitrou o preço das terras solicitadas por dois réis a braça quadrada, e deu o prazo de dois meses para que os requerentes procedessem a medição dos terrenos que requerem comprar do Estado, devendo compreender somente terrenos devolutos.

José de Borba Coelho requereu terras em Itajaí em 1861 e no município de São Francisco em 1863.

José de Borba Coelho faleceu entre 1865 e 1870. Alexandrina faleceu entre 1890 e 1928.


1.2.6.1 Victalina Sebastiana Maria de Borba nasceu por volta de 1824, em Itajaí e foi batizada em Itapocoroy.

Casou com Delphino José de Oliveira, no dia 09/02/1839, em Itajaí. Foram testemunhas: Bernardo José Nunes e Julião Machado de Espíndola, e o Padre, Francisco Rodrigues.

Delphino foi batizado em Itapocoroy, filho de Manoel de Souza de Oliveira e Jacinta Maria Clara, morador em Itajaí.

O casal morou em Itajaí, onde nasceram os filhos: Joaquim, José Delfino de Oliveira, Manoel Delfino de Oliveira, Pedro Delfino de Oliveira e João Delfino de Oliveira.

Após 1855 mudaram-se para Penha, onde nasceram Antonio e Geraldo. Em 1859 mudaram-se para Barra Velha, onde nasceram Jacinto e Sebastiana Vitalina de Borba. Em 1861 Delfino requereu terras em Itajaí.

Delphino faleceu antes de 1892. Victalina faleceu após 1892.

1.2.6.1.1 Joaquim

1.2.6.1.2 José Delfino de Oliveira nasceu no dia 15/02/1845, em Itajaí, onde foi batizado no dia 26/12/1846. Foram padrinhos: João Pedro de Azeredo Leão Coutinho e Nossa Senhora.
Casou com Luiza Roza da Conceição, filha de Serafim Lopes Ribeiro e Claudina Roza da Conceição.
José Delfino de Oliveira faleceu entre 1865 e dezembro de 1866.
1. José nasceu no dia 08/05/1866, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 12/12/1866. Seu pai já era falecido. Foram padrinhos, o avô paterno e a Invocação de Nossa Senhora da Conceição.

1.2.6.1.3 Manoel Delfino de Oliveira nasceu dia 05/06/1846, em Itajaí, onde foi batizado dia 29/01/1847. Foram padrinhos, Manoel Antônio de Souza e Nossa Senhora.
Casou com Thomazia Anna de Jesus, no dia 06/10/1875, às onze horas, em Barra Velha. Foram testemunhas, Antonio Rodrigues de Moura e Francisco de Borba Coelho, João Olegario da Silva assinou por ele.
Thomazia Antonia Alves, ou Budal, nasceu em Barra Velha e foi batizada na Penha, filha de Joaquim Gonçalves da Maia e Anna Francisca da Conceição, ou Anna Joaquina de Jesus.
Manoel Delfino de Oliveira faleceu antes de 1907.
1. Antonio (*02/10/1876, Barra Velha Bat. 15/11/1876, Barra Velha Padr: Antonio Ignacio de Sant'Anna e Izabel Maria de Jesus)
2. Joaquim Manoel de Oliveira (*23/11/1882, Barra Velha Bat. 15/04/1883, Barra Velha Padr: seus tios paternos, Pedro Delfino d`Oliveira e sua mulher Anna Rosa de Jesus). Morou no Itinga. Casou com Cecilia Clementina de Jesus (*02/12/1885, Barra Velha), filha de Bernardino Manoel de Souza e Clementina Diolinda de Jesus, no dia 18/04/1908, na casa de Manoel Faustino.
3. João Manoel Delfino (ou João Manoel de Oliveira) (*~1882, Barra Velha +10/10/1952, Barra Velha). Casou com Maria Clementina de Jesus (*~1880, Barra Velha +07/06/1958, Barra Velha), filha de Bernardino Manoel de Souza e Clementina Diolinda de Jesus, no dia 06/07/1907, no cartório de Barra Velha. Filhos: Manoel João Delfino (*30/04/1918 +27/10/1988, Sep: São João do Itaperiú), casou com Agostinha de Oliveira e teve 8 filhos.
4. Maria Thomazia de Jesus (*~1883)
Casou com Francisco Bento de Borba (*24/11/1860, Barra Velha), filho de Bento de Borba Coelho e Maria Rosa de Jesus Duarte, viúvo de Maria Anna Fortunata Duarte, no dia 02/10/1909, na casa de Maria Rosa Duarte, na Barra Velha.
5. José (*17/10/1884, Barra Velha Bat. 21/10/1884, Barra Velha Padr: José Luis de Souza e Alexandrina Diolinda de Jesus)
6. Vitalino (*08/12/1886, Barra Velha Bat. 13/06/1887 Padr: José Vicente da Luz e Elicia Anna de Jesus)
7. Joanna (*30/03/1893, Barra Velha)

1.2.6.1.4 Pedro Delfino de Oliveira nasceu por volta de 1845, em Itajaí. Morou na Freguesia de Barra Velha, onde foi lavrador. Não aprendeu a ler e nem escrever.
Casou com Anna Roza de Jesus, filha de José Fortunato Duarte e de Roza Maria de Jesus.
Filhos com Anna:
1. Maria Anna de Oliveira nasceu no dia 20/02/1871, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 04/06/1871. Foram padrinhos, Pedro José de Borba, solteiro e Maria Victalina de Jesus.
2. Francisco Pedro de Oliveira nasceu no dia 19/01/1874, na Freguesia de Barra Velha, onde foi batizado no dia 21/03/1874, pelo missionário João Maria Cybeo. Foram seus padrinhos, seus tios Francisco de Borba Coelho e Anna Joaquina de Jesus.
3. Rosa nasceu no dia 26/11/1875, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 21/03/1876. Foram padrinhos, Antonio Dionizio da Silva e Izabel Carolina de Oliveira. Rosa faleceu antes de 1890.
4. José Pedro de Oliveira nasceu por volta de 1880, em Barra Velha. Gêmeo de Isabel.
5. Isabel Anna Duarte nasceu por volta de 1880, em Barra Velha. Gêmea de José Pedro.
Anna faleceu por volta de 1885.
Viúvo, Pedro casou em segundas núpcias aos 45 anos, com Marcellina Maria de Borba, de 30 anos, nascida por volta de 1868, na Penha, filha de Maria Sebastiana de Borba, no dia 18/04/1890, às duas horas da tarde, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em cerimônia realizada pelo Padre Vicente de Argenzio. Casaram no civil no dia 20/04/1890, no Cartório de Barra Velha. Foram testemunhas, Polycarpo Alves da Silva, de 45 anos; e Bento de Borba Coelho, 50 anos; lavradores e residentes na Freguesia de Barra Velha. Estavam presentes, Antonio Rodrigues de Moura, Gabriel Lopes Fagundes, José Antonio de Moura e Pedro Francisco de Borba.
Filhos com Marcellina:
1. Maria (*21/05/1893, Barra Velha)
1. Marcelina (*01/01/1895, Barra Velha)
Pedro faleceu após 1895.
Marcellina faleceu no dia 28/06/1928, pelas onze horas do dia, em Guaramirim, onde foi sepultada.

1.2.6.1.5 João Delfino de Oliveira nasceu em Barra Velha.
Casou com Maria Joaquina de Jesus Pitta, natural de Barra Velha, filha de João Borges Pitta e Joaquina Rosa de Jesus de Sousa, no dia 12/12/1879, em Barra Velha. Foram testemunhas, João Leal de Sousa Nunes e Polycarpo Alves da Silva.
1. Antonio (*20/04/1882, Barra Velha Bat. 23/09/1882, Barra Velha Padr: José Nicolau e Maria Sebastiana de Borba)
2. Maria (*22/06/1883, Barra Velha Bat. 17/08/1883, Barra Velha)
3. Manoel João de Oliveira (ou Manoel João Delfino de Oliveira) (*11/08/1885, Barra Velha Bat. 09/10/1885, Barra Velha Padr: João Luiz de Souza e Maria Anna de Jesus +Antes 1937)
Casou com Christina Henriqueta de Borba (ou Christina Roza de Borba) (*06/05/1892, Itinga, Barra Velha), filha de Gregorio Jacintho de Borba e Henriqueta Rosa de Jesus, no dia 01/03/1908, no Itaperiú.
4. José (*31/03/1890, Barra Velha)
5. João (*16/11/1892, Barra Velha)

1.2.6.1.6 Antonio nasceu na Penha.

1.2.6.1.7 Geraldo nasceu na Penha.

1.2.6.1.8 Jacinto nasceu em Barra Velha.

1.2.6.1.9 Sebastiana Vitalina de Borba nasceu 12/12/1862, em Barra Velha, onde foi batizada dois dias depois, pelo padre Manoel Júlio de Carvalho Bueno. Foram padrinhos, Manoel Luís da Luz e sua mulher Anna Maria.
Casou com Pedro Maria de Borba, natural de Barra Velha, filho de Manoel Pinheiro de Magalhães e de Maria Sebastiana de Borba, na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosario. Moraram no Ri Itapocú, em Barra Velha (1892), na Ilha da Figueira (1921) e no Rio Branco em Guaramirim (1927).
Sebastiana faleceu no dia 28/01/1921, às dezesseis horas, na Ilha da Figueira, em Jaraguá do Sul. Foi sepultada no Cemitério de Guaramirim. 
No dia 22/05/1923, Pedro recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de uma área de terra de 300.000 m² no lugar Pereiras.
Pedro Maria de Borba faleceu no dia 11/07/1927, às duas da manhã, no Rio Branco, em Guaramirim. Foi sepultado em Guaramirim.
1. Antonio (*12/08/1884, Barra Velha Bat. 10/01/1885, Barra Velha Padr: José Maria de Borba e Maria Delfina de Oliveira +antes de 1921)
2. Josepha (*09/08/1886, Barra Velha Bat. 07/12/1886, Barra Velha Padr: Antonio Bento de Souza e Ignacia Maria de Jesus). Casou com João Victorino de Moura.
3. Laudelino (*~1888). Casou.
4. Bras (*1890) 
5. Pedro (*14/03/1892, Itapocú, Barra Velha). Casou.
6. Maria (*~1894). Casou com João José Vidal.
7. Anacleto (*29/06/1895, Itapocú, Barra Velha).
8. João (*~1898). Solteiro em 1927.
9. Prucina (*~1901). Casou com Victor Piaz.
10. Benvinda (*~1903).


1.2.6.2 Maria Sebastiana Rosa de Borba nasceu por volta de 1826, em Itajaí.

Casou com Francisco Antonio Lourenço, ou Francisco Nunes, filho de Antonio Manoel Lourenço e Anna Joaquina, no dia 10/03/1842, em Itajaí. Foram testemunhas, Luís de Moura e Bernardo Nunes e o Padre, João Baptista Ramoino.

Moravam em Itajaí e tiveram dois filhos:

1.2.6.2.1 Manoel nasceu no dia 29/08/1844, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 29/09/1844, pelo Padre Francisco Hernandez. Foram seus padrinhos, Manoel Antonio da Rosa e Luzia Rosa.

1.2.6.2.2 Anna Maria de Jesus nasceu no dia 07/05/1846, em Itajaí, onde foi batizada, no dia 28/06/1846, pelo Padre Francisco Hernandez. Foram seus padrinhos, José da Costa Passos e Matildes Maria da Conceição.
Em Barra Velha teve dois filhos naturais.
1. Joanna (*03/06/1872, Barra Velha Bat. 13/08/1872, Barra Velha Padr: Henrique Franco Monsurão e Joanna Maxima de Jesus)
2. Antonio (*01/10/1875, Barra Velha Bat. 07/10/1875, Barra Velha Padr: Aparício Alves da Silva e Marcelina Maria de Jesus)
3. Benvinda (*12/09/1882, Barra Velha Bat. 28/09/1882, Barra Velha Padr: Felisbino Antonio de Freitas e Maria Rosa de Jesus)

Francisco faleceu e Maria Sebastiana se casou com Manoel Pinheiro de Magalhães, natural de São Francisco do Sul, com quem teve três filhas. Por não serem casados religiosamente, suas filhas foram batizadas como de pai desconhecido. Moraram em Penha, onde nasceu uma filha e antes de 1862 se mudaram para Barra Velha, onde tiveram mais duas filhas.

1.2.6.2.1² Marcellina Maria de Borba nasceu no dia 08/12/1852, em Penha, onde foi batizada, no dia 01/02/1853. Foram seus padrinhos, Ricardo Alves e Francisca Rosa.
Casou com Pedro Delfino de Oliveira, viúvo de Anna Rosa, seu primo, filho de Delphino José de Oliveira e Vitalina Maria de Borba, em Barra Velha, no dia 20/04/1890.
1. Ver filhos em 1.2.6.1.4 Pedro Delfino de Oliveira.

1.2.6.2.2² José Manoel Pinheiro nasceu por volta de 1854, em Barra Velha.
Casou com Luiza Francisca da Graça, nascida dia 30/08/1864, na Barra Velha, filha de João Francisco de Espindola e Marcelina Sebastiana de Borba, na igreja por volta de 1895 e no civil dia 27/05/1899, na casa de Maria Sebastiana de Borba, em Barra Velha.
1. Antonio José Pinheiro (*~1896 +08/02/1952, Barra Velha Sep: Barra Velha). Solteiro. Não teve filhos.
2. João José Pinheiro (*~1898). Solteiro em 1955.
3. Miguel José Pinheiro (*~1899). Casou.
4. Maria Luiza Pinheiro (*~03/1909). Casou com Alfredo Prospero de Aguiar.
5. Laurinda Luiza Pinheiro (*~1912). Casou com Antonio Machado (+Antes 1955).
José Manoel Pinheiro faleceu dia 29/06/1949, no Itinguinha, em Barra Velha. Luiza Espindula faleceu dia 06/07/1955, no Itinguinha, em Barra Velha.

1.2.6.2.3² Ignacia Maria de Borba nasceu no dia 14/05/1862, em Barra Velha, onde foi batizada, no dia 14/12/1862, pelo Padre Manoel Júlio de Carvalho Bueno. Seus padrinhos foram João Vicente de Oliveira e sua mulher Maria Rosa de Jesus.
Casou com Manoel Alves de Carvalho, ou da Silva, filho de Manoel Alves de Carvalho e Thomazia Maria Carvalho, no dia 04/12/1892, na Igreja de Barra Velha.
1. Maria (*03/01/1894, Barra Velha)

1.2.6.2.4² Máxima Maria de Borba nasceu no dia 06/01/1865, em Barra Velha, onde foi batizada, no dia 14/03/1865, pelo Padre Manoel Júlio de Carvalho Bueno. Seus padrinhos foram Manoel Joaquim da Luz e sua mulher Máxima Rosa de Jesus.
Casou com seu primo José Bento de Borba Coelho, filho de Bento José de Borba e Maria Rosa de Jesus Duarte, nasceu em dezembro de 1858, na Penha, no dia 02/09/1893, em Barra Velha, quando já tinham uma filha.
1. Ver filhos em [1.2.6.5.2 José Bento de Borba Coelho].

1.2.6.2.5² Pedro Maria de Borba

Manoel faleceu e Maria Sebastiana se casou com Felisbino Antonio de Freitas, nascido por volta de 1840, em Barra Velha, filho de Manoel Antonio de Freitas e Maria Caetana da Costa, com quem teve quatro filhas. Por não serem casados religiosamente, suas filhas foram batizadas como de pai desconhecido. Moraram em Penha, onde nasceu uma filha e antes de 1862 se mudaram para Barra Velha, onde tiveram mais três filhas. O casamento civil ocorreu no dia 30/01/1898, na casa dos contraentes, em Barra Velha. 

1.2.6.2.1³ Maria Sebastiana de Borba de Jesus nasceu por volta de 1873, em Barra Velha.
Casou com seu primo José Bento de Borba Coelho, filho de Bento José de Borba e Maria Rosa de Jesus Duarte, nascido em dezembro de 1858, na Penha, apenas religiosamente no dia 04/10/1905, em Barra Velha, pelo Padre Ludovico Coccolo.
1. Eduarda (*13/10/1892, na casa de Silvano de Borba Coelho, Barra Velha) (registrada como filha de pai desconhecido).
2. Rosa Maria de Borba (*~1894). Casou com Amaro Bento de Borba
3. Judina Maria de Borba (+Antes 1936). Casou com Alfredo Antonio Bento. Tiveram dois filhos: Antonio  (*~1923) e Acacio (*~1925).
4. Alzirio Bento de Borba (*~1906)
5. Ana Maria da Silva (*~1908). Casou com Antonio Remoaldo da Silva.
Maria faleceu no dia 14/10/1936, no Itinguinha, em Barra Velha, com cerca de 60 anos

Nos registros de batismo e civis das quatro filhas consta o pai como incógnito.


1.2.6.3 Francisco José de Borba Coelho nasceu por volta de 1828, em Itajaí e foi batizado em Penha. Não aprendeu a ler e nem a escrever.

Francisco José de Borba Coelho requereu terras em Itajaí em 1861. Foi negociante.

Casou com Anna Joaquina de Jesus, no dia 16/02/1863, em Penha. Foram testemunhas: Serafim Antonio de Borba e João Felicio de Bittencourt. O Padre foi João Rodrigues de Almeida.

Anna Joaquina nasceu em 05/09/1830, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha de Jacintho José Antonio da Silva e Joaquina Rosa de Jesus, naturais de Armação de Itapocoroy.

Após o casamento o casal passou a morar em Barra Velha, onde tiveram três filhos: Jacintho, Pedro e Domingos.

Francisco era um dos Borba Coelho que tornaram-se amigos e deram serviço aos índios. Conhecia a trilha do Peabirú, “Piraberú” como chamavam, usada pelos índios. Assim, passou a trazer, com auxílio dos índios e chefiados pelos caciques “Tanhapira” e “Balaoka”, gado de corte da região serrana para Barra Velha, sendo o pioneiro nesse negócio, que posteriormente passou a ser efetuado pela Estrada Dona Francisca. Desse convívio surgiu uma grande amizade entre esses caciques e Francisco José de Borba Coelho.

Sentindo-se cansado com o transporte de gado, Francisco montou uma casa comercial em Barra Velha.

Anna Joaquina de Jesus faleceu com 87 anos, no dia 16/01/1917, em sua própria residência, em Barra Velha, às 4 horas da tarde, vítima de influenza. Foi sepultada no cemitério público de Barra Velha.

Francisco faleceu no dia 27/04/1918, às 5 da manhã, em sua casa, em Barra Velha, com 90 anos, vítima de influenza, viúvo de Anna Joaquina de Jesus, deixando dois filhos: Jacinto Francisco de Borba, casado com Christina Dimiciana Hein, e Pedro Francisco de Borba Coelho, casado com Albertina Rosa Bernardes. Não houve presença médica pelo fato de não existir nesta localidade. Foram testemunhas de seu óbito Antonio Veríssimo da Silva e Francisco de Borba Neto.

Após sua morte, sua casa comercial passou para seu filho Pedro Francisco de Borba Coelho, que deixou para seus descendentes e atualmente ainda funciona em Barra Velha.

1.2.6.3.1 Jacintho Francisco de Borba nasceu dia 27/12/1864, em Barra Velha, onde foi batizado, no dia 14/02/1865. Seus padrinhos foram Antonio Jacinto da Silva e Joaquina Maria de Jesus. Sabia escrever.
Casou com Christiana Henriqueta Hein, ou Christiana Demeciana da Lus, no dia 14/10/1884, em Barra Velha. O Padre foi Vicente d'Argenzio. Testemunharam a união, João Olegário da Silva e Policarpo Alves da Silva, assinou por ele, João Gonçalves da Silva.
Christiana nasceu por volta de 1870, em Barra Velha, filha de Adão Frederico Hein e Domiciana Catharina da Luz.
Antes de se unirem em matrimônio, tiveram uma filha de nome Maria, que reconheceram por própria e legítima. Após o casamento tiveram mais oito filhos nascidos em Barra Velha. Foram negociantes, tiveram um comércio de secos e molhados em Barra Velha. Moraram no Guamiranga em 1889 e no lugar Cancela, em Barra Velha (1905).
1. Maria Christiana Borba (*Antes 1884, Barra Velha).
Casou com João José de Moraes (*~1888, Barra Velha), filho de José Dionysio de Moraes e Fortunata Anna de Oliveira, no dia 28/10/1905, na casa de Jacintho, no Cancella.
2. Camila Christina de Borba (*~1885, Barra Velha).
Casou com Vicente Nicolau Ciuffo (*~1875, Barra Velha), filho de José Nicolau Ciuffo e Antonia Maria de Oliveira, no dia 07/12/1903, na casa de Jacintho.
3. Francisco de Borba Neto (*01/08/1885, Barra Velha Bat. 07/12/1885, Barra Velha Padr: Manoel de Borba Coelho e Rosa Anna de Jesus). 
Casou com Custodia Brazelina Pires (*~1892), filha de Miguel Thomaz de Simas Pires e Braselina Francisca da Silveira, no dia 08/12/1908, no cartório de Barra Velha. Filhos: Miguel e Maria.
4. Antonio (*10/03/1888, Barra Velha Bat. 13/06/1888 Pad: Pedro Francisco de Borba e Thomasia Anna de Jesus)
5. Anna Christina de Borba (*28/04/1889, na casa do avô Adão Frederico, Barra Velha).
Casou com Antonio Verissimo da Silva (*~1883, Barra Velha), filho de Apparicio Alves da Silva e Bernarda Francisca da Silveira, no dia 17/07/1909, no cartório de Barra Velha.
6. Cecília (*19/09/1890, Barra Velha)
7. Joaquim (*06/12/1892, Barra Velha).
8. Rosária Christiana de Borba (*Barra Velha). Casou com Augusto João Roza. Filhos: Frederico.
9. Pedro (*30/06/1895, Barra Velha).

1.2.6.3.2 Pedro Francisco de Borba Coelho nasceu dia 05/02/1868, em Barra Velha. Morou em Barra Velha. Aprendeu a ler e escrever.
Casou em primeiras núpcias com Albertina Rosa Bernardes, nasceu por volta de 1878, em Camboriú, filha de Jeremias José Bernardes e Rosa Lucinda da Conceição, no civil dia 30/07/1898, no Itaperiú. Ele, com 29 anos, negociante e ela, com 18 anos e 5 meses, lavradora, natural de Camboriú, moradora no Itaperiú. Foi Juiz de Paz, Miguel Antonio de Freitas e foram testemunhas, José Ferreira Fagundes, e os tios paternos de Albertina, José Francisco Bernardes e Maria Bernardes de Azevedo. Casaram no religioso apenas em 29/05/1899. Foram testemunhas José Ferreira Fagundes e Jacinto de Borba Coelho, irmão de Pedro. Padre João Baptista Peters.
Com Albertina teve os seguintes filhos: Alfredo Pedro Borba, Rosa Borba da Silva, Maria Albertina de Borba, Ana de Borba, Teodorico Pedro Borba, Ernesta de Borba, Izaura de Borba, Teresa de Borba, Araci Albertina de Borba e Maria da Conceição Borba.
Albertina faleceu e ele casou em segundas núpcias com Maria Jerônima Gasino, no civil e no religioso dia 28/05/1923, na Matriz de Barra Velha. Ele, com 54 anos, viúvo e ela, com 30 anos, solteira. Foram testemunhas: Astrogildo Odon de Aguiar, Olavo Baptista de Carvalho e Antonia Gasino. Juiz de Paz: Júlio Henrique Ferreira.
Maria Jerônima nasceu em 08/08/1893, em Paraty, Araquari, filha de Antonio Ambrósio Gasino e Balbina Maria.
Com ela teve os seguintes filhos: Acácio Gasino Borba, Pedro Gasino Borba, Célio Gasino Borba e Francisco Gasino Borba.
Pedro faleceu no dia 12/05/1945, em Barra Velha, aos 77 anos, de morte natural, causa ignorada.

1.2.6.3.3 Domingos nasceu dia 04/10/1874, em Barra Velha e foi batizado na Penha, dia 29/11/1874, pelo Padre Mariano Gizinski. Seus padrinhos foram Miguel Soares da Rocha e Christina Maria Brenneisen. Faleceu antes de 1918.


1.2.6.4 Ignacia nasceu no dia 13/08/1831, em Itajaí, recebendo o mesmo nome da avó paterna. Foi batizada, no dia 09/09/1831. Seus padrinhos foram, seus tios, Manoel de Borba e sua irmã Anna Ignacia. Seria Maria Ignacia de Jesus??

Em Barra Velha, de pai incógnito, teve a filha Maxima.

1.2.6.4.1 Maxima nasceu dia 06/01/1861, em Barra Velha, onde foi batizada, no dia 14/03/1861. Seus padrinhos foram Manoel Joaquim da Luz e sua mulher Maxima Roza de Jesus.


1.2.6.5 Bento de Borba Coelho, ou Bento José, nasceu dia 29/01/1834, em Itajaí, onde foi batizado, no dia 29/06/1834, pelo Padre Francisco José de Souza. Seus padrinhos foram, o Alferes João da Silva Mafra e sua mulher Laureanna Rosa da Silva. Não aprendeu a escrever.

Casou com Maria Rosa de Jesus Duarte, no dia 17/04/1856, em Penha. Foram testemunhas: Manoel José Duarte e Alberto Antonio de Borba. Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo.

Maria Rosa nasceu por volta de 1836, em Itajaí, filha de José Fortunato Duarte e Rosa Maria dos Anjos, moradores nesta freguesia da Penha. Moraram no lugar denominado Taboleiro da Passagem, em Barra Velha.

Bento José de Borba se mudou com a família para Barra Velha em 1860 e em 1861 requereu terras em Itajaí.

Bento faleceu entre 1901 e 1905, em Barra Velha. Maria Rosa faleceu após 1917, em Barra Velha.

1.2.6.5.1 Florinda nasceu dia 27/04/1857, em Penha, onde foi batizada, no dia 21/06/1857, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Seus padrinhos foram Francisco José de Borba e Eleutéria Raimunda Vieira.

1.2.6.5.2 José Bento de Borba Coelho nasceu em dezembro de 1858, em Barra Velha. Foi batizado, no dia 21/05/1859, em Penha, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foi seu padrinho, o primo de seu pai, João Silvano de Borba. Morou em Barra Velha.
Casou com Maxima Maria de Borba, nascida no dia 06/01/1865, em Barra Velha, sua prima, filha de Felisbino Antonio de Freitas e Maria Sebastiana de Borba, no dia 02/09/1893, em Barra Velha, quando já tinham uma filha. Tiveram ao todo quatro filhos, nascidos em Barra Velha, Eduarda, João, Maria e Sebastião.
1. Eduarda Maxima de Borba (*23/10/1892, Barra Velha). Casou com José Pedro de Borba, natural de Barra Velha. Moraram no lugar Pereira, em Guaramirim. Tiveram sete filhos: Maxima, nascida por volta de 1913; Manoel, nascido por volta de 1915; Maria, nascida por volta de 1917; Loureno, nascido por volta de 1919; Magdalena, nascida por volta de 1921; Christina, nascida por volta de 1923; José, nascido por volta de 1925;. Eduarda faleceu no dia 09/09/1927, em Guaramirim.
2. João (*04/10/1893, Barra Velha).
3. Maria
4. Sebastião
5. Sebastiana Maxima de Borba (*15/11/1896, Barra Velha). Casou com Pedro Celestino Pereira (*19/05/1883, Barra Velha), viúvo de Jozepha Pereira Ramos (*27/08/1872, Barra Velha +05/10/1922, Itaperiú, de febre espanhola Sep: Santo Antonio), filho de João Pereira da Silva Catharina e Maria Clementina de Borba, morador no Itaperiú, no dia 21/02/1925, no cartório de Barra Velha.
Após a morte de Máxima, José Bento se casou com a irmã dela, Maria de Borba Coelho, nascida por volta de 1873, em Barra Velha, no dia 04/10/1905, em Barra Velha, pelo Padre Ludovico Coccolo.
José Bento de Borba Coelho faleceu após 1927.

1.2.6.5.3 Francisco Bento de Borba nasceu no dia 24/11/1860, em Barra Velha e foi batizado, no dia 15/01/1861, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Seus padrinhos foram Serafim José Duarte e Francisca de Borba.
Casou com Maria Anna Fortunata Duarte, nascida por volta de 1872, filha de Pedro Delfino de Oliveira e Anna Rosa Duarte no dia 25/08/1894, em Barra Velha.
Filhos: 
1. Flausina (*18/03/1896, Taboleiro, Barra Velha).
2. Antonio (*~1897)
3. Maria (*~1899)
4. Rosa (*~1903)
5. Pedro (*~1905)
Viúvo, Francisco casou com Maria Thomazia de Jesus (*~1883), filha de Manoel Delfino de Oliveira e Thomazia Anna de Jesus, no dia 02/10/1909, na casa de Maria Rosa Duarte, na Barra Velha.

1.2.6.5.4 Maria Rosa de Borba Coelho nasceu dia 31/01/1863, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 31/05/1863, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Seus padrinhos foram, seus tios paternos, Francisco José de Borba e sua mulher Anna Joaquina de Borba.
Casou com João Onofre Fagundes, nascido por volta de 1861, filho de Serafim Ricardo Tavares e Rita Ignacia de Jesus, no dia 18/03/1893, em Barra Velha, com quem teve uma filha.
Maria Rosa faleceu no dia 05/07/1940, em Barra Velha. João Onofre Fagundes faleceu em seu domicílio no dia 21/10/1942, em Barra Velha.
1. Maria (*14/08/1893, Barra Velha).
2. Manoel (*10/01/1895, Barra Velha).

1.2.6.5.5 Roza nasceu dia 25/01/1865, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 28/02/1865. Seus padrinhos foram, seu tio, Pedro José de Borba e Maria Ignacia da Conceição, ambos solteiros.

1.2.6.5.6 Lucinda nasceu no dia 18/09/1866, em Barra Velha, onde foi batizada, aos dois dias, no dia 20/09/1866, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Seus padrinhos foram, José Lopes de Moura e Laurinda Joaquina de Jesus.

1.2.6.5.7 Antonio Bento de Borba nasceu por volta de 1869, em Barra Velha. Casou com Maria Francisca da Trindade, nasceu por volta de 1874, filha de Manoel Ricardo Tavares e Francisca Joanna de Jesus.
Casou com Maria Francisca da Trindade, nascida por volta de 1874, filha de Manoel Ricardo Tavares e Francisca Joanna de Jesus, no dia 13/05/1894, na casa de Manoel Ricardo Tavares, em Barra Velha. Maria Francisca faleceu antes de 1917.
Filhos:
1. Maria Antonia de Borba (*~1899, Barra Velha +25/05/1960, Joinville). Casou com Crispim Bento da Silveira (*~1893, Barra Velha +27/10/1947, Barra Velha), filho de Bento Crispim da Silveira e Anna Marcellina de Espindola, no dia 10 17/02/1917.

1.2.6.5.8 Sebastiana nasceu em agosto de 1870, em Barra Velha, onde foi batizada, aos nove meses, no dia 18/05/1871. Seus padrinhos foram, seu tio paterno, Silvano de Borba Coelho e Maria Ignacia da Conceição, ambos solteiros.

1.2.6.5.9 João Bento de Borba nasceu dia 09/11/1872, em Barra Velha, onde foi batizado, no dia 04/02/1873 pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Seus padrinhos foram Antonio Rodrigues de Moura e sua mulher Anna Rosa de Moura. Morou no Taboleiro, em Barra Velha.
Casou com Maria Firma de Jesus, nascida por volta de 1885, em Barra Velha, filha de Ignacio Antonio Forte e Maria Christina de Jesus, no dia 06/10/1905, na Capela do Itapocú, com o Padre José Alves. Foram testemunhas, José Vicente de Souza e José Joaquim Pereira.

1.2.6.5.10 Alfredo Bento de Borba nasceu dia 20/10/1874, em Barra Velha e foi batizado em Penha, no dia 13/02/1875, pelo Padre Mariano Gizinski. Seus padrinhos foram João Olegário da Silva e Maria Úrsula Brennaisen. 
Casou com Maria Luiza Borges, filha de José Joaquim Borges e Luísa Brígida de Jesus, nascida dia 20/11/1893, em Barra Velha, no dia 01/08/1910, no cartório de Barra Velha.
Moraram no Tabuleiro da Passagem, em Barra Velha e mudaram-se para o Itaperiú.
Alfredo faleceu no dia 18/12/1945, aos 71 anos. Maria Luiza morreu no dia 20/08/1975. O casal está sepultado no Cemitério São João Batista, em São João do Itaperiú.
1. Maria Conceição Borba (Mana) (*~1910 +28/05/1991, Hospital Sep: São João do Itaperiú). Casou com Antonio Soares. Moraram em São João do Itaperiú. Filhos: Aurino Soares (Neso) e Maria Therezinha Soares (Adotiva).
2. Manoel Eleodoro Borba (Dóro) (Adotivo) (*04/11/1912, Barra Velha + Sep: São João do Itaperiú). Foi celeiro. Casou com Alvina Reinert (*03/12/1919, Luiz Alves +28/03/1996, Joinville), filha de Jacob Reinert e Ana Manes, no dia 28/12/1943, no cartório de Barra Velha. Filhos: Neri Leodoro Borba (*01/12/1939); Selma Alvina Borba (*28/01/1942); Jair Leodoro Borba (*22/05/1943).
3. Cleto Borba (*~1912). Casou com Maria (*Canoinhas).
4. Luiza (*~1916). Casou com Fortunato Delmonego.
5. Astrogildo Alfredo Borba (Gildo) (*~1917). Casou com Floriza da Luz (*~1904, de Porto Bello ou Canoinhas +12/07/1953, São João do Itaperiú Sep: São João do Itaperiú), filha de Licio da Luz e Eugenia Maria de Jesus, naturais do Estado do Paraná. Não deixaram filhos.
6. Maria Justina Borba (Nóca) (*~1919). Casou com João Belmiro de Lara.
7. Nair Borba (*~1921). Casou com Vergilio Vieira Maia.
8. Laura Maria Borba (*09/11/1924 +06/03/1982 Sep: São João do Itaperiú). Casou com Donato Lourenço.
9. Helena Maria Borba (*~1926). Casou com Antonio Maia.
10. João Alfredo Borba (Jango) (*~1928). Casou com Iolanda, natural do Paraná, em Matinhos. Ele teve barbearia em Curitiba.
11. Bento Borba (Belo) (*~1930). Casou com Zita da Silva.
12. Maria Gertrudes Borba (Nina) (*~1934). Casou com Marcilio Graciliano de Moura.

1.2.6.5.11 Luiza Maria Duarte nasceu no dia 27/05/1877, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 15/08/1877, pelo Padre João Domingues Alvares Veiga. Foram seus padrinhos, seu tio paterno, Felisbino Antonio de Freitas e Mathilde Antonia de Freitas.
Casou com Manoel Izidro Pitta (*~1886, Barra Velha), filho de Izidro Borges Pitta e Maria Joaquina de Jesus, no dia 19/05/1907, na casa de Maria Roza Duarte, no Taboleiro da Passagem.

1.2.6.5.12 Amaro Bento de Borba nasceu por volta de 1884, em Barra Velha.
Casou com Rosa Maria de Borba, nascida por volta de 1893, em Barra Velha, filha natural de Maria de Borba de Freitas, no dia 08/04/1917, no cartório de Barra Velha.
Amaro faleceu no dia 10/11/1941, em Barra Velha. Rosa faleceu no dia 15/03/1945, em Barra Velha.


1.2.6.6 Marcellina Sebastiana Rosa de Borba nasceu por volta de 1836, em Itajaí.

Casou com João Francisco de Espindola, nasceu em 28/05/1828, em Armação de Itapocoroy, Penha, filho de José Francisco de Espindola e Anna Joaquina de Jesus, por volta de 1852.

Moraram em Penha, onde tiveram cinco filhos, Joaquina, Crispim, Joaquim, José, e Anna Francisca de Jesus, após 1862 se mudaram para Barra Velha, onde nasceram Luísa, Laurinda Marcellina de Borba, Maria, nascida em 1872, e Maria Marcellina de Borba.

João Francisco de Espindola faleceu antes de 1893. Marcellina faleceu entre 1893 e 1923.

1.2.6.6.1 Crispim Francisco de Borba (ou Crispim Francisco de Espindola) nasceu no dia 23/09/1852, na Barra Velha, onde foi batizado.
Casou aos 25 anos com Maria Constancia de Conning, ou Coninck, no dia 08/02/1879, na igreja de Gaspar. Foram testemunhas: Silvano de Borba e Leandro Maes, ambos de Gaspar. Ambos eram solteiros e moradores em Gaspar.
Maria tinha 19 anos, nasceu no dia 11/05/1861, em Gaspar, filha de Constante de Conning e de Maria Alexandrinha Machado, ou Maria Dionísia.
Moraram em Gaspar.
1. Maria (*31/08/1879, Gaspar Bat. 11/12/1879, Matriz de São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Vicente Francisco dos Santos e sua mulher Isabel Maria de Jesus, moradores em Gaspar.
2. Marcilia (*~1884 +29/05/1890, Gaspar, de tosse comprida Sep: Gaspar).
3. Alexandrina (*28/02/1886, Gaspar Bat. 31/07/1886, Igreja Matriz Padr: Henrique de Conning e Maria José, solteiros).

1.2.6.6.2 Joaquina Francisca da Conceição nasceu no dia 07/12/1855, na Penha, onde foi batizada no dia 25/01/1856. Foram padrinhos Francisco José de Borba e Maria José da Conceição.
Casou com Pedro Francisco Miguel de Oliveira, filho de Francisco Miguel de Oliveira e Maria Felisbina de Jesus. Foram uns dos primeiros moradores de Guaramirim, então denominado Itapocuzinho. Moraram no Itapocú. Joaquina faleceu antes de 1909. Viúvo, Pedro casou com Maria Luzia de Moura, em 1909.
1. Maria (*~1879). Casou com Argemiro Fernandes
2. Luiza (*~1881). Casou com Anacleto Victorino.
3. Silvana (*~1883). Casou com João Theodoro
4. Christina (*~1885). Casou com Millitão Victorino.
5. João Pedro (*18/05/1887, Barra Velha Bat. 13/06/1888, Barra Velha Padr: avô materno e Laurinda Francisca)
6. Pedro Miguel (*~1888).
7. Isidorio Pedro (*~1890)
8. Antonio Pedro (*10/11/1892, Palseis de Itapocú, Barra Velha)
9. Maria (*~1894)
10. Julia (*~1896)
11. Marcellina (*~1898)

1.2.6.6.3 José nasceu no dia 30/01/1857, na Penha, onde foi batizado no dia 08/05/1857. Foram padrinhos Antonio José de Garcia e Felismina Rosa de Jesus.

1.2.6.6.4 Anna Francisca de Jesus, ou Anna Marcellina de Espindola, nasceu dia 16/01/1862, em Barra Velha, recebendo o mesmo nome da avó paterna e madrinha, Anna. Foi batizada no dia 03/05/1862, na Penha, pelo Padre João Rodrigues de Almeida, sendo padrinhos Joaquim Jacintho da Silva e Anna Joaquina de Jesus, moradores na Freguesia de Barra Velha.
Casou com Bento Chrispim Antonio da Silveira, filho de Chrispim Antonio da Silveira e Francisca Raimunda Vieira. Moraram na Freguesia de Barra Velha.
Bento Chrispim faleceu antes de 1923.
Anna Marcelina faleceu no dia 16/05/1923, às 8 horas da manhã, em sua residência, em Barra Velha, de icterícia. 
Filhos:
1. Maria (*14/06/1884, Barra Velha Bat. 18/10/1884, Barra Velha Padr: José de Borba Coelho e Luiza Sebastiana Francisca). Casou.
2. Francisca (*10/10/1887, Barra Velha Bat. 21/10/1887 Padr: Honorato Cryspim da Silva e Laurinda Francisca de Jesus). Solteira em 1923.
3. Jozé Bento Chrispim (*~1889). Solteiro em 1923.
4. Chrespim Bento da Silveira (*~1892). Casou com Maria Antonia de Borba. Faleceu no dia 27/10/1947, em Barra Velha. Filhos: José Crespim (*~1920); Antonio Sebastião Crespim (*~1921) Belarmino Crespim (*~1923); e Maria Crespim (*~1924).
5. Marcelino (*~1893). Casou.
6. Antonia Anna Benta (*~1899, Barra Velha Bat. Barra Velha). Casou aos 19 anos com Bento Antonio de Borba, filho de Antonio de Borba e Maria Francisca, no dia 19/03/1920, na Matriz de Barra Velha. Foram testemunhas, Francisco Bento e Manoel Isidro Peters. Bento era natural de Barra Velha, tinha 24 anos, filho de Antonio de Borba e Maria Francisca.
7. Izolina (*~1901). Solteira em 1923.
8. João. Solteiro em 1923.

1.2.6.6.5 Luiza Francisca da Graça nasceu em 30/08/1864, na Barra Velha, onde foi batizada no dia 13/12/1864. Foram seus padrinhos Amaro José de Borba e Roza Maria Trindade, ambos solteiros.
José Manoel Pinheiro nasceu por volta de 1854, em Barra Velha.
Casou com José Manoel Pinheiro, filho de Manoel Pinheiro de Magalhães e Maria Sebastiana de Borba, na igreja por volta de 1895 e no civil dia 27/05/1899, na casa de Maria Sebastiana de Borba, em Barra Velha.
1. [Ver filhos em 1.2.6.2.2² José Manoel Pinheiro]
José Manoel Pinheiro faleceu dia 29/06/1949, em Barra Velha. Luiza Espindula faleceu dia 06/07/1955, em Barra Velha.

1.2.6.6.6 Laurinda Marcellina de Borba nasceu em 1870, na Barra Velha.
Casou com Angelico Vicente da Costa, nascido por volta de 1869, filho de Vicente Joaquim da Costa e Guilhermina Furtunata Duarte, no dia 02/12/1893, no cartório de Barra Velha. 
Laurinda Marcellina de Borba faleceu no dia 31/05/1955, em Barra Velha.

1.2.6.6.7 Maria Marcellina de Borba nasceu em 09/09/1872, na Barra Velha, onde foi batizada no dia 03/02/1873, pelo padre Antônio Francisco Nobrega. Foram padrinhos, Manoel Borba Coelho e sua mulher Roza Maria de Souza.
Casou com Remoaldo Crispim da Silveira, nascido por volta de 1871, em Barra Velha, filho de Crispim Antonio da Silveira e Maria da Silva, no dia 29/12/1893, no cartório de Barra Velha. 


Sebastiana faleceu por volta de 1838 e José se casou novamente com Alexandrina Rosa Jorge de Jesus, filha de Manoel Antonio Pereira Jorge (Manoel da Rosa) e Florinda Rosa de Jesus, por volta do ano 1839, com quem teve mais dez filhos: Manoel, Amaro, Florinda, Francisca Alexandrina, José, Pedro José, Maria Alexandrina, Jacintho, Silvano e Francisco Estevão.


1.2.6.1² Manoel de Borba Coelho nasceu no dia 03/12/1839, em Itajaí, onde foi batizado, no dia 17/07/1840, pelo Padre Francisco Rodrigues. Seus padrinhos foram Manoel Jorge e Narcisa.

Casou com Rosa Anna de Souza, nascida por volta de 1845, na Freguesia de Barra Velha, filha de Manoel Luiz da Lus e Anna Maria de Souza. Moraram na Freguesia de Barra Velha.

O casal não teve filhos. Manoel de Borba Coelho faleceu antes de 1890.

Viúva, Rosa casou com José Ignacio da Silva, nascido por volta de 1838, na Penha, viúvo de Maria Florinda da Silva, filho de Ignacio Cantino da Silva e Maria Florindo da Silva, morador na Rainha, município de Joinville. O casamento civil ocorreu no dia 15/11/1890, na casa do Juiz de Paz Onofre Francisco da Rosa. Foram testemunhas: Luis José Vieira, de 44 anos, lavrador, residente na Corveta; e Silvano de Borba Coelho, 38 anos, lavrador, residente na Freguesia de Barra Velha. Também estavam presentes, João Claudino Machado, Antonio João de Maçaneiro e Antonio Dias Patricio. Ele possuía quatro filhos: José Maria da Silva, de 28 anos; Sebastianna Maria de Jesus, de 22 anos; Maria Florinda da Silva, de 21 anos; Serafim José da Silva, de 20 anos; todos solteiros no momento da união.


1.2.6.2² Amaro nasceu no dia 15/01/1841, em Itajaí, onde foi batizado, no dia 04/02/1841, pelo Padre Francisco Rodrigues. Seus padrinhos foram José Antonio de Oliveira e Maria Ignacia.


1.2.6.3² Florinda nasceu no dia 03/05/1843, em Itajaí, onde foi batizada no dia 25/10/1843, pelo Padre Francisco Hernandez. Seus padrinhos foram José Henrique Flores e Maria Clara.


1.2.6.4² Francisca Alexandrina Rosa de Borba nasceu por volta de 1846, em Itajaí. Foi batizada na Capela da Penha de Itapocoroy.

Casou com Antonio José da Rosa, no dia 17/12/1865, na Igreja de Barra Velha, em cerimônia realizada pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Foram testemunhas, Antonio Coelho de Magalhães e Manoel Joaquim da Costa.

Antonio nasceu por volta de 1840, em Barra Velha, filho de José Joaquim da Costa e Maria Caetana da Rosa, ou Maria Francisca da Anunciação.

Com Antonio teve seis filhos nascidos em Barra Velha, Luísa, Porfírio, Sabino, Albina, Pedro e Tibúrcio. Moraram em Barra Velha e no Guamiranga. Antonio faleceu antes de 1906. Francisca faleceu após 1906.

1.2.6.4.1 Antonio Francisco da Rosa nasceu por volta de 1871, em Barra Velha. Foi lavrador. Morou no Guamiranga. 
Casou com Thomazia Maria Urçula, nascida por volta de 1869, filha de Alexandre Henrique Almenau e Maria Urçula da Graça, no dia 27/02/1892, na casa de Antonio João de Maçaneiro, no Itaperiú. moradora no Guamiranga.

1.2.6.4.2 Luiza Maria da Conceição nasceu no dia 16/11/1872, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 03/02/1873. Foram padrinhos, Antonio Rodrigues de Moura e sua mulher, Anna Roza de Moura.
Casou com João Quirino de Maçaneiro, filho de Antonio João de Mazaneiro e Luisa Francisca Rosa, no dia 02/12/1888, na Matriz provisória de Barra Velha. Foram testemunhas: Miguel Leal de Souza Nunes e Joze Maria da Luz. Moraram no Ai, no Itaperiú (1890) e no Guamiranga (1892).
Filhos:
1. [Ver filhos em Família Maçaneiro].

1.2.6.4.3 Porfírio nasceu em Barra Velha.

1.2.6.4.4 Sabino nasceu no dia 27/12/1875, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 21/03/1876. Foram padrinhos Venancio Lopes da Costa e Anna Maria d'Oliveira.

1.2.6.4.5 Albina nasceu em Barra Velha.

1.2.6.4.6 Pedro Francisco da Rosa nasceu no dia 26/04/1884, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 10/06/1884. Foram padrinhos, Florentino Antonio da Silva e Maria dos Reis. Morou no Guamiranga, município de Joinville (1906).

1.2.6.4.7 Tiburcio Valeriano da Rosa nasceu no dia 14/04/1890, em Barra Velha. Faleceu no dia 20/02/1906, no Guamiranga, de influenza. Foi sepultado no Itapocú.


1.2.6.5² José nasceu no dia 08/09/1844, em Itajaí, onde foi batizado no dia 22/08/1845, pelo Padre Francisco Hernandez. Seus padrinhos foram José Antonio da Rosa e Nossa Senhora.


1.2.6.6² Pedro José de Borba Coelho, ou apenas Pedro de Borba Coelho, nasceu por volta de 1848, em Itajaí, onde foi batizado no dia 20/02/1866, na Capela de Barra Velha, foi padrinho de batismo de Antonio, filho de Bernardo Nunes e Anna Alves da Silva. Honorata Maria da Graça foi a madrinha.

Casou com Joanna Luiza de Souza, ou Joanna Iria da Luz, no dia 12/08/1872, em Barra Velha. Foram testemunhas, Francisco Coelho da Rocha e Miguel Soares da Rocha, e o Padre foi Antonio Francisco Nobrega.

Joanna Luiza nasceu no dia 14/11/1855, em Barra Velha, filha de Manoel Luiz da Luz e de Anna Maria de Souza.

Moraram em Barra Velha, no Itinga em 1892.

Joanna faleceu com 48 anos, no dia 07/05/1908, em seu domicílio em Jaraguá do Sul.

Pedro faleceu no dia 31/08/1928 e foi sepultado no cemitério público da Figueira.

1.2.6.6.1 Silvano Pedro de Borba Coelho nasceu no dia 31/07/1873, em Barra Velha, onde foi batizado aos 10 meses, no dia 31/05/1874, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Seus padrinhos foram Amaro José de Borba e Felisbina Maria de Souza.
Casou com Deolinda Maria de Jesus, nascida por volta de 1877, filha de Luis Ricardo Tavares e Maria Rosa de Jesus, no dia 09/09/1899, na casa de Serafim Ricardo Tavares.

. Moraram na Ilha da Figueira, em Jaraguá.
1. Constantina de Borba faleceu de febre, no dia 25/02/1904, às seis da manhã. Foi sepultada no cemitério da Estrada do Itapocuzinho.

1.2.6.6.2 Maria de Borba nasceu no dia 28/12/1874, em Barra Velha e foi batizada na Penha, no dia 28/08/1875, pelo Padre Manoel Marques Figueira. Seus padrinhos foram João Pereira da Silva e Maria de Borba Coelho, solteiros, moradores na freguesia de Barra Velha. Faleceu antes de 1928.

1.2.6.6.3 Manoel Pedro de Borba nasceu no dia 14/08/1876, em Barra Velha, onde foi batizado, no dia 14/11/1876, pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Seus padrinhos foram Manoel de Borba Coelho e Rosa Maria de Moura.
Casou. Morou em Barra Velha.

1.2.6.6.4 Leonidas nasceu por volta de 1877. Casou com Fulgencio Pereira.

1.2.6.6.5 Chistina nasceu por volta de 1880. Casou com Octaviano Pereira.

1.2.6.6.6 Felisbina nasceu no dia 21/11/1881, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 10/12/1881. Seus padrinhos foram Felisbino Antonio de Freitas e Ignacia Maria de Borba. Casou com Affonso Salvador, que faleceu antes de 1928.

1.2.6.6.7 José nasceu no dia 17/01/1886, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 26/01/1886, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Seus padrinhos foram os tios paternos, Bento José de Borba e sua mulher, Maria Rosa Duarte.
Casou.

1.2.6.6.8 Pedro nasceu no dia 27/09/1887, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 13/04/1886, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Seus padrinhos foram Polycarpo Gonçalves da Silva e Maria Antonia de Jesus. Faleceu antes de 1893.

1.2.6.6.9 Alexandrina (Alexandra) nasceu no dia 17/12/1888, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 15/06/1889, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Seus padrinhos foram os tios, Silvano de Borba Coelho e sua mulher Carolina Maria. Casou com Florencio Machado.

1.2.6.6.10 Joanna Borba (cor parda) nasceu no dia 24/06/1890, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 11/02/1891, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos José Luís de Souza e Alexandrina Deolinda de Souza. Solteira em 1928. Faleceu no dia 01/03/1944, na Ilha da Figueira, em Jaraguá, vítima de cirrose do fígado.

1.2.6.6.11 Francisca nasceu no dia 25/03/1892, no Itinga, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 08/07/1892, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos João Chrisantho da Silva e Anna Carolina de Oliveira.

1.2.6.6.12 Pedro de Borba Coelho nasceu no dia 16/07/1893, em Barra Velha, ou 21/10/1893, conforme registro de nascimento. Foi batizado no dia 17/10/1893, em Barra Velha, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos os tios paternos, Bento de Borba Coelho e sua mulher, Maria Rosa de Jesus.

Em 03/09/1883 Pedro pediu ao Estado para comprar 500 braças de terras de frente com 500 de fundos, no sertão do Tinga, na Barra Velha, então pertencente ao município de Paraty.

Em 1893 Pedro foi nomeado Alferes da 4ª Companhia do 3º Batalhão de Infantaria. Após 1893 mudou-se para a Figueira, em Jaraguá do Sul.


1.2.6.7² Maria Alexandrina Coelho nasceu no dia 11/10/1853, em Piçarras, sendo batizada em Penha no dia 21/11/1853, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos João Chrisantho da Silva e Anna Carolina de Oliveira.

Casou com Manoel Ignacio da Silva Coutinho, nascido em 15/03/1855, em Penha, filho de Ignacio da Silva Coutinho e Jacintha Coutinho de Jesus, na Igreja de Penha.

1.2.6.7.1 João nasceu em 17/07/1880, em Penha.

1.2.6.7.2 Philomena Maria de Jesus (*~1886, Barra Velha)
Casou com Sabino Chrispim da Silveira (*~1876, Barra Velha), filho de Crispim Antonio da Silveira e Maria Francisca da Silva, no dia 29/09/1906, na casa de Manoel Ignacio da Silva.

1.2.6.7.3 Vicente nasceu em 22/10/1888, em Barra Velha.

1.2.6.7.4 Epiphanio nasceu no dia 05/01/1895, em Barra Velha.


1.2.6.8² Jacintho nasceu no dia 22/01/1855, em Penha, onde foi batizado no dia 17/08/1855, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram seus padrinhos seu primo, Jacintho Antonio de Borba e dona Maria Carolina de Souza.


1.2.6.9² Silvano de Borba Coelho nasceu por volta de 1857, em Barra Velha, sendo batizado em Penha, recebendo o mesmo nome do tio paterno. Morou na Freguesia de São Pedro Apóstolo de Gaspar, na localidade da Ilhota. Não aprendeu a escrever. Foi lavrador.

Casou com Carolina Maria de Jesus Masch, no dia 14/05/1874, em Gaspar, na casa da Missão do Sertão da Ilhota, na paróquia de São Pedro Apóstolo de Gaspar. Foram testemunhas Ricardo Maes e Eugenia Bragavarde.

Carolina Maria nasceu e foi batizada na Bélgica, filha de Carlos Luiz Masch e Amélia Maria Van der Bosche (Amelia Maria Bós). O sobrenome Masch passou a ser escrito no Brasil por muitas vezes como Maes, Mas, ou Maz.

Moraram em Ilhota, onde nasceram seus filhos e após 1880 se mudaram para Barra Velha, onde nasceram mais nove filhos. Moraram no Itinga.

Silvano de Borba Coelho faleceu depois de 1903. Carolina faleceu depois de 1899.

1.2.6.9.1 Leonidia Carolina de Borba (Dionida Calorinda Moyses) (*20/02/1875, Ilhota, Gaspar Bat. 25/04/1875, São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Nicolau Schmitt, e sua mulher Leonida Maria Maes, moradores na Ilhota). 
Casou com Antonio Policarpo da Silva, nascido por volta de 1876, em Barra Velha, filho de Policarpo Alves da Silva e Anna Maria de Borba, no civil dia 23/07/1898, na casa de Silvano de Borba Coelho e no dia 06/10/1909, em Barra Velha. Foram testemunhas Miguel Antonio de Freitas e Paris Alves da Silva e o Padre, Othmar Baumeister.

1.2.6.9.2 José (*23/05/1876, Gaspar Bat. 04/08/1876, São Pedro Apostolo).

1.2.6.9.3 Maria Carolina Mas (*14/10/1877, Gaspar Bat. 23/11/1877, São Pedro Apostolo, Gaspar Padr: Francisco de Borba Coelho, e sua mulher Ana Joaquina de Jesus, moradores da Barra Velha +22/10/1964, Barra Velha).
Casou com Ignacio Manoel Gregorio (*~1877, Barra Velha +22/09/1935, Barra Velha), filho de Manoel Ignacio da Silva e Maria Alexandrina de Jesus, no dia 29/08/1903, na casa de Silvano de Borba Coelho, no Itinga.

1.2.6.9.4 Alexandrina de Borba recebeu o mesmo nome da avó paterna (*04/08/1879, Gaspar Bat. 20/03/1880, Igreja Matriz de São Pedro Apóstolo, Gaspar Padr: Leopoldino Cypriano Mendes e sua mulher Maria Damiana da Luz, moradores de Gaspar).
Casou com Liberato Baldoino dos Santos, nascido por volta de 1870, filho de Baldoino Antonio dos Santos e Joaquina Antonia da Lus, no dia 30/05/1896, na igreja de Barra Velha, e no civil dia 11/06/1895, em Barra Velha.

1.2.6.9.5 Gustavo nasceu no dia 18/04/1881, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 07/10/1881. Foram seus padrinhos seus tios paternos, Pedro de Borba Coelho e sua mulher, Joanna Rosa de Souza.

1.2.6.9.6 Manoel Silvano de Borba nasceu em novembro 1882, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 16/04/1883. Foram seus padrinhos Manoel de Borba Coelho e sua mulher Rosa Maria de Jesus.
Casou com Benvinda Anna de Borba (*~1882 +13/09/1940, São Francisco), filha de Anna Maria de Borba, no dia 12/09/1903, na casa de Manoel Alves de Carvalho, no Itinga. 
1. Manoel (*10/09/1903)

1.2.6.9.7 Albino nasceu no dia 20/03/1884, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 10/06/1884, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos seus tios, Antonio José da Rosa e sua mulher Francisca Alexandrina de Borba, irmã de seu pai.

1.2.6.9.8 Idalina nasceu no dia 18/07/1885, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 17/10/1885, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos Norberto da Costa Flores e Adelaide Fagundes da Conceição.

1.2.6.9.9 Hygino nasceu no dia 13/01/1888, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 14/06/1888, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos José de Borba Coelho e Marcellina de Borba.

1.2.6.9.10 Rosaria nasceu no dia 12/03/1889, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 29/06/1889, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos José Chrisantho da Silva e Anna Carolina de Oliveira.

1.2.6.9.11 Antonio nasceu no dia 28/08/1890, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 11/02/1891, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos Amaro de Borba Coelho e Maria Rosa de Borba.

1.2.6.9.12 Pedro nasceu no dia 25/05/1893, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 08/12/1893, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos Antonio José da Costa e Catharina Maria da Veiga.

1.2.6.9.13 João nasceu no dia 14/09/1895, em Barra Velha.

1.2.6.9.14 Zeferino nasceu no dia 15/08/1895?, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 15/10/1895, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos José Luís de Souza e Alexandrina Deolinda de Jesus.


1.2.6.10² Francisco Estevão de Borba Coelho nasceu no dia 02/08/1858, em Penha de Itapocoroy, onde foi batizado no dia 03/10/1858, pelo Padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram seus padrinhos Serafim Antonio de Borba e Maria Rosa de Jesus. Foi lavrador.

Casou com Rosa Maria Joaquina de Souza, no dia 28/09/1882, na Capela de Barra Velha. O Padre foi Antonio Francisco Nobrega. Foram testemunhas, André Frederico Brenneisen e Manoel de Borba Coelho, e assinaram por eles, João Olegário da Silva e João Gonçalves da Silva.

Rosa Maria nasceu dia 02/05/1864, em Barra Velha, filha de André Gonçalves Nogueira e Maria Rosa de Jesus de Souza. Foi batizada em Penha.

O casal teve cinco filhos todos nasceu em Barra Velha

1.2.6.10.1 Carolina nasceu no dia 24/06/1883, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 16/08/1883, pelo Padre João Maria Cybeo. Foram seus padrinhos seus tios paternos, Silvano de Borba Coelho e sua mulher, Carolina Rosa de Jesus.

1.2.6.10.2 Maria Roza de Souza nasceu no dia 27/04/1885, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 07/06/1885, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos, Patrício Gonçalves Nogueira e Thomazia Bernarda de Jesus.
Casou com Martinho Francisco Tavares (*~1881, Barra Velha), filho de Francisco Luiz Tavares e Clara D. de Souza, no dia 03/10/1905, na Matriz de Barra Velha  

1.2.6.10.3 João Luis Gonsaga nasceu no dia 22/06/1889, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 07/12/1889, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos seus primos, José Bento de Borba e Maria de Borba.

1.2.6.10.4 Fernandina (ou Firdinanda) nasceu no dia 05/03/1891, em Barra Velha, onde foi batizada no dia 06/12/1891, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos seus tios paternos, Pedro de Borba Coelho e sua mulher, Joanna Anna de Souza.

1.2.6.10.5 Antonio nasceu no dia 07/12/1892, em Barra Velha.

1.2.6.10.6 Thomas nasceu no dia 28/12/1893, ou 28/12/1893 (no registro de nascimento), em Barra Velha, onde foi batizado no dia 02/12/1894, pelo Padre Marcelo Rocchi. Foram seus padrinhos Miguel Thomás de Simas Pires e Brasilina Francisca da Silveira.



1.2.7 MIGUEL DE BORBA COELHO

Miguel de Borba Coelho nasceu no dia 06 de junho de 1797, na Praia Brava, em Itajaí e recebeu o mesmo nome de seu tio, irmão de seu pai Silvestre. Foi batizado no dia 24 de julho de 1797, em Armação de Itapocoroy, Na Penha, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos, Manoel Silveira da Costa e sua mulher, Maria de Jesus.

Miguel provavelmente faleceu ainda jovem.



1.2.8 SILVANO DE BORBA COELHO

Silvano de Borba Coelho nasceu no dia 15 de abril de 1799, na Praia Brava, em Itajaí. Foi batizado no dia 05 de maio de 1799, em Armação de Itapocoroy, Penha, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos, Manoel Gonçalves Fagundes e Francisca Roza.

Casou com Anna Francisca Rosa, ou de Jesus, nascida em 11 de novembro de 1800, em Armação de Itapocoroy, filha de Francisco Antonio Cardoso e Francisca Rosa e irmã de Thomazia Rosa de Jesus, a esposa de seu irmão Felício, por volta de 1823.

O casal teve dez filhos: Lucinda Rosa, João Silvano de Borba, Maria Silvana de Borba, Ciprianno Silvano de Borba Coelho, Roberto, Joaquina, Ignacia Anna Francisca, Francisca Silvana de Borba, Francisco Silvano de Borba, e Raulino de Borba.

Silvano faleceu antes de 1859. Anna faleceu antes de 1869.


1.2.8.1 Lucinda Rosa nasceu por volta de 1824, em Itajaí.

Casou com José Antonio de Borba Coelho filho de Antonio de Borba Coelho.
Veja mais em 1.2.2.1 José Antonio de Borba Coelho.


1.2.8.2 João Silvano de Borba nasceu por volta de 1826, em Itajaí.

Casou com Demenciana Rosa de Jesus, filha de José Florencio da Rosa e de Rosa Candida de Jesus. Moraram nas Piçarras, onde nasceu a filha Maria.

1.2.8.2.1 Maria nasceu no dia 13/06/1864, em Penha de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 26/11/1864, na Matriz de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy. Foram padrinhos José Florencio da Rosa e sua mulher Maria de Borba.

1.2.8.2.2 Leonidia nasceu no dia 10/03/1867, em Penha de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 08/06/1867, na Igreja Matriz de Penha. Foram padrinhos Delfino José da Rosa e sua mulher Leonidia Antonia de Jesus.


1.2.8.3 Maria Silvana de Borba nasceu por volta de 1828, Penha.

Casou com José Florêncio da Rosa, sogro de sua irmã Ignacia que era viúvo de Rosa Candida de Jesus. José nasceu no dia 13/02/1806, em Itapocoroy, filho de Florencio da Silva Coutinho e de Anna Rosa de Jesus e foi batizado no dia 23 do mesmo mês, na Capela de São João Batista, pelo Capelão Manoel Alves de Toledo. O casal teve a filha Maria José.

1.2.8.3.1 Maria José da Conceição nasceu no dia 28/08/1858, em Penha de Itapocoroy, onde foi batizada no dia 17/10/1858, na Matriz de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy. Foram padrinhos José Francisco de Carvalho e Anna Rosa da Conceição.
Casou com Bernardo José Antonio dos Santos, no dia 05/02/1876, na Igreja de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy. Bernardo nasceu por volta de 1854, filho de José Antonio dos Santos e de Felisbina Rosa de Jezus. Casou no civil no mesmo dia.
Tiveram a filha Maria da Glória.
1. Maria da Glória de Jesus nasceu por volta de 1882. Casou com João Manoel de Sousa, nascido por volta de 1880, filho de Manoel Luiz de Souza e de Vicentina Elizia de Santana. O casamento ocorreu no dia 31/03/1907, em Penha de Itapocoroy.


1.2.8.4 Ciprianno Silvano de Borba Coelho nasceu no dia 05/08/1830, em Itajaí, sendo batizado no dia 20/09/1830, na Penha. Foram seus padrinhos Manoel Francisco e Anna de Borba. Não aprendeu a escrever. Morou nas Piçarras.

Casou com Maria Anna de Jesus, filha de Vicente Correia da Silva e Anna Tomazia (ou Maria Carvalho), no dia 16/11/1859, na Penha, com quem teve dez filhos. Moraram no Cerro, na Freguesia de Barra Velha.

Ciprianno faleceu com 49 anos, no dia 23/08/1879, em Penha, vítima de inflamação. Foi sepultado no Cemitério da Matriz de Penha.

1.2.8.4.1 João nasceu no dia 20/09/1861, no Cerro, em Barra Velha. Foi batizado no dia 04/05/1862, em Penha, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram padrinhos Delfino José da Rosa e Joaquina Rosa de Jesus, moradores em Penha.

1.2.8.4.2 Ignacia nasceu no dia 01/02/1862, na Itajuba, em Barra Velha. Foi batizada no dia 28/02/1863, na Igreja Matriz de Penha, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram padrinhos os avós maternos, Vicente Correia da Silva e Anna Tomazia, moradores no Cerro, em Barra Velha.

1.2.8.4.3 Marcellino nasceu por volta/10/1866. Foi batizado no dia 20/05/1866, na Igreja da Penha. Foram padrinhos Francisco Silvano de Borba e Clarinda Rosa de Jesus.

1.2.8.4.4 José nasceu por volta de 1867,

1.2.8.4.5 Anna nasceu por volta de 1867.

1.2.8.4.6 Maria nasceu por volta de 1870.

1.2.8.4.7 Marcellina nasceu por volta de 1873.

1.2.8.4.8 Sabina nasceu por volta de 1875.

1.2.8.4.9 Antonio nasceu por volta de 1876.

1.2.8.4.10 Manoel nasceu no dia 23/05/1878. Foi batizado no dia 07/07/1878, na Igreja Matriz de Penha. Foram padrinhos Manoel Vicente da Silva e sua mulher Joaquina Rosa de Jesus, moradores na Barra Velha.


1.2.8.5 Roberto nasceu no dia 27/03/1832, em Itajaí, onde foi batizado no dia 29/04/1832. Foram seus padrinhos Gabriel Coelho e Florinda Rosa, solteiros.


1.2.8.6 Joaquina nasceu dia 29/08/1835, em Itajaí, recebendo o mesmo nome da tia paterna e madrinha. Foi batizada no dia 06/09/1835, em Itajaí, pelo padre Joaquim Serrano. Foram seus padrinhos seus tios paternos, Joaquim José Pereira e a esposa Joaquina Ignacia.


1.2.8.7 Ignacia Anna Francisca, ou Ignacia Silvana de Borba, nasceu por volta de 1837, em Itajaí.

Casou com João Florêncio da Rosa, filho de José Florêncio da Rosa e Rosa Candida de Jesus, no dia 01/09/1855, na Matriz de Penha, em cerimônia realizada pelo padre João Luiz Nepomuceno de Macedo. Foram testemunhas José Francisco de ... e Vicente Joaquim de Santa’Anna.

Residiram na Barra Velha.

1.2.8.7.1 Maria Ignacia de Borba nasceu no dia 02/01/1860, em Piçarras.
Casou com Domingos Francisco da Silva, nascido no dia 06/07/1845, filho deVicente Francisco da Silva e de Maria Caetana Vieira. Moraram na Itajuba.
1. Maria Domingos da Silva (*~1882). 
Casou com José João Francisco (*~1878), no civil dia 08/11/1903, na Penha. Tiveram os filhos: 1. Miguel João Francisco, nascido em 16/08/1906, na Penha. 2. Chaffi José Francisco, nascido dia 18/03/1909, na Penha.
2. Filomena Maria da Silva nasceu em 1891, na Penha. Foi batizada no dia 13/12/1892, na Matriz da Penha de Itapocoroy, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram padrinhos Antonio Joaquim de Macedo e sua mulher Maria Vieira de Macedo. Casou com Narciso Manoel de Aviz, nascido por volta de 1882, em Tijucas Grande, filho de Manoel Martins de Aviz e Maria de Alexandria Dutra, no dia 25/11/1911, em Barra Velha. Tiveram os filhos: 1. Adelino de Aviz. 2. Maria. Narciso faleceu e ela casou pela segunda vez com Vicente Domingos Mafra, nascido em 23/02/1892, em Moura, São João Batista, Canelinha, filho de Domingos Vicente Mafra e Maria d'Aviz, nascido e batizado em Tijucas, residente na Barra Velha, no dia 26/05/1918, na Matriz da Barra Velha, com o Padre José Schmitz e as testemunhas André Francisco da Silva e João Martins Soares. Tiveram os filhos: 1. Benita. 2. Joana. 3. Domingos Vicente Mafra. 4. Fausta. 5. Maria. 6. Joaquim Vicente Mafra, nascido dia 20/08/1920. 7. Teresa, nascida dia 15/10/1924. 8. Maurino Vicente Mafra, nascido dia 03/03/1931.
3. Bilano Maria da Silva. Casou com Maria Gregoria de Freitas, filha de Manoel de Freitas, com quem teve a filha: 1. Anália Maria de Freitas.
4. Francisca.
5. Francisco.
6. André Francisco da Silva (*~1882, Penha +23/07/1962, Joinville). Foi negociante.
Casou com Helena Olegario Brennaisen da Silva (*~1890, Barra Velha), filha de João Olegario da Silva e Maria Urçula Brennaisen, no dia 25/01/1908, na casa de Miguel Antonio de Freitas.
7. Evangelista Maria da Silva (*~1885, Penha)
Casou com José Baptista de Almeida (*~1865, Barra Velha), viúvo de Mathildes Rodrigues de Almeida, filho de Francisco Baptista de Almeida e Anna Zuzarte de Freitas, no dia 14/01/1905, na casa do noivo, na Itajuba.


1.2.8.8 Francisca Silvana de Borba nasceu por volta de 1839, em Itajaí.

Casou com Manoel Antonio Rodrigues, no dia 10/08/1856, na Matriz de Nossa Senhora da Penha de Itapocoroy. Foram testemunhas: José da Silva e Manoel Alves dos Santos.

Manoel Antonio Rodrigues era filho de Antonio Gonçalves Nogueira e de Antonia Rodrigues.

Tiveram dois filhos, João Francisco e Maria.

1.2.8.8.1 João Francisco Esequiel
Casou com Balbina Adriana d'Oliveira, filho de José Antonio d'Oliveira e Florinda Maria de Jesus.
1. Fermina (*16/01/1883, Barra Velha Bat. 21/08/1883 Padr: Manoel Felicio Tavares e Bemvinda Mendes Brenneisen)

1.2.8.8.2 Maria nasceu no dia 17/09/1864. Foi batizada na Penha.


1.2.8.9 Francisco Silvano de Borba nasceu por volta de 1840, em Itajaí.

Casou com Mariana Laurinda de Jesus no dia 26/12/1869, na Penha, em cerimônia realizada pelo padre João Domingues Alvares da Veiga. Foram testemunhas Alberto Antonio de Borba e José Ignacio, moradores em Camboriú.

Mariana era filha de Amaro Lopes Pereira e Laurinda Rosa Cardoso de Jesus.

Moraram em Medeiros, Barra Velha.

Francisco faleceu antes de 1907. Mariana faleceu após de 1907.

1.2.8.9.1 João Francisco de Borba. Morou na Itajuba, Barra Velha. Casou com Anna Dionisio, filha de Vicente Dionisio e Clarinda Anna de Jesus, moradora na Itajuba, em Barra Velha, no dia 01/03/1897, na Igreja Matriz de Penha de Itapocoroy.

1.2.8.9.2 Maria Francisca Inocencia nasceu no dia 28/12/1875. Foi batizada no dia 02/02/1876, na Igreja Matriz da Penha, pelo Padre Manoel Marques Figueira. Foram padrinhos João Antonio dos Santos e sua mulher Luiza Rosa de Jesus, moradores em Penha.
Casou com Manoel Antonio de Freitas (ou Manoel Zuzarte de Freitas) (*~1862), filho de João Antonio de Freitas e Anna Maria Moitinho, no dia 28/05/1892, na Igreja Matriz de Penha de Itapocoroy e no civil dia 09/04/1907, na casa de Manoel Antonio de Freitas, no lugar Pedras Brancas, em Barra Velha. Foram negociantes e moraram no lugar Pedras Brancas, em Barra Velha.
Filhos:
1. Maria Gregoria (*~1893)
2. Joaquim (*~1889)
3. Marianna (*~1901)
4. Balbino (*~1907)
5. Placido (*~1905)

1.2.8.9.3 Antonio nasceu no dia 28/04/1883, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 21/08/1883. Foram padrinhos Thomaz José de Borba e Laurinda Maria dos Santos.

1.2.8.9.4 Luiz nasceu no dia 25/08/1884, em Medeiros, Barra Velha. Foi batizado no dia 20/12/1884, na Matriz da Penha de Itapocoroy, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram padrinhos Rufino José de Borba e Nossa Senhora da Penha.


1.2.8.10 Raulino de Borba foi batizado dia 06/06/1844.



1.2.9 LUIZ DE BORBA COELHO

Luiz de Borba Coelho, ou Luiz de Borba Pereira, nasceu no dia 05 de dezembro de 1800, na Praia Brava, em Itajaí. Foi batizado no dia 01 de janeiro de 1801, em Armação de Itapocoroy, Na Penha, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos os avós maternos, José Rodrigues e Maria de Jesus.

Casou com Maria Thomazia de Jesus Pereira, ou Maria Ignacia, no dia 10 de outubro de 1819, em Armação de Itapocoroy, com o Padre José Antonio Martins.

Maria Thomazia nasceu no dia 02 de janeiro de 1803, em Armação de Itapocoroy, Penha, filha de Thomaz Pereira da Rosa Machado, natural da Freguesia de São José, e de Justina Ignacia de Jesus Espindola, natural da Freguesia de São Miguel. Neta paterna de Antônio Machado de Lemos e Maria de São José e neta materna de João Ignacio de Espindola e Maria de Santo Antônio. Foi batizada no dia 09 de janeiro de 1803, em São Francisco do Sul, pelo padre Bento Barbosa de Sá Freire. Foram padrinhos Manoel da Rosa Mancebo e sua mulher Thereza Rosa de Jesus.

Tiveram dois filhos nascidos em Armação de Itapocoroy: José de Borba Pereira e Joaquina, quando passaram a morar em Itajaí, antes de 1828, tendo lá mais oito filhos: Mariano de Borba Pereira, Candido de Borba Pereira, Miguel de Borba Pereira, Domingos de Borba Pereira, João Luís de Borba, Maria Luísa de Borba, Eduardo de Borba, Francisco de Borba Pereira e Leopoldina de Borba Pereira.

Moraram em Paraty, então pertencente à São Francisco do Sul.

Luiz de Borba Coelho faleceu no dia 11/10/1865, no Paraty, com 64 anos. Maria Thomazia faleceu antes de 1896.

1.2.9.1 José de Borba Pereira nasceu no dia 30/03/1821, em Armação de Itapocoroy, Penha, onde foi batizado no dia 16/04/1821, pelo Frei Francisco de Santa Isabel. Foram seus padrinhos João de Borba Coelho e Anna Thomazia.

Casou com Maria Guiomar Tavares de Miranda, natural da Freguesia de Santo Antônio dos Anjos da Enseada da Laguna, filha de Agostinho Antonio de Souza e Maria Tavares de Miranda, no dia 16/06/1860, em Paraty.


1.2.9.2 Joaquina Maria do Nascimento nasceu em 24/12/1822, em Armação de Itapocoroy, Penha, onde foi batizada no dia 24/01/1823, pelo Frei Martin Joaquin de Oliden. Foram seus padrinhos Jacinto Pereira e Joaquina Rosa.
Casou com Joaquim Gonçalves de Souza, viúvo de Ana Joaquina de Jesus, filho de Francisco Gonçalves Fagundes de Souza e Faustina Rosa de Jesus, no dia 21/06/1869, no Paraty.


1.2.9.3 Mariano de Borba Pereira nasceu por volta de 1828, em Itajaí, onde foi batizado.

Casou com Manoela Rosa da Conceição, ou Manoela de Sant’Anna, no dia 06/12/1857, em Itajaí, com o Padre Amando Antonio Martins. Foram testemunhas Felicio de Borba Coelho e Pedro José Borges.

Manoela nasceu por volta de 1833, em Itajaí, filha do Tenente José Ignacio Borges Filho e da prima de seu pai, Anna Rosa Maria de Santa Anna.

Moraram em Araquari, onde tiveram dois filhos: Malachias e João.

Faleceram após 1890.

1.2.9.3.1 Malachias de Borba Pereira nasceu por volta de 1859, em Barracão. Foi batizado em São Francisco. Morou em Luiz Alves.
Casou com Virginia Maria, filha de Carlos Alexandre e Luiza de Oliveira. Moraram em Barracão, onde nasceu a filha Maria.
1. Maria nasceu no dia 04/06/1890, em Barracão, onde foi batizada no dia 06/10/1890, na Capela do Rosário do Barracão. Foram seus padrinhos os avós paternos.
Casou com Maria Ignoreta, que faleceu no dia 11/05/1907.
Viúvo, casou com Maria Anna do Nascimento, nascida na Ilhota, batizada em Gaspar, filha de Manoel Sabino do Nascimento e de Anna do Nascimento, e viúva de Antônio Custódio Ignácio.
Viveram amigados por dois anos, quando no dia 04/11/1909, casaram na Capela São José, em Luiz Alves. Eles aos 50 anos e ela de 22 anos. Foram testemunhas, Severino Laurentino da Cunha e Generosa Anna de Oliveira.

1.2.9.3.2 João nasceu no dia 05/05/1865, em Araquari, onde foi batizado no dia 15/11/1865, pelo Padre Joaquim Francisco Pereira Marçal. Foram seus padrinhos, seu tio, Cândido de Borba Pereira e Rita de Borba Pereira.


1.2.9.4 Candido de Borba Pereira nasceu no dia 20/10/1831, em Itajaí, onde foi batizado no dia 20/11/1831. Foram seus padrinhos, seus tios, Manoel Antonio de Borba e sua irmã Anna Ignacia.

Morou na Freguesia de Barra Velha, onde no dia 18/12/1862, ainda solteiro, foi padrinho de batismo de Victalina, filha de Manoel de Souza Cardoso e Anna Francisca de Jesus. Rita Jacinta, solteira, filha de Jacinta de Jesus foi a madrinha.

Casou com Vittorina Maria da Conceição, ou Vitorina Rosa, filha de Libório da Cunha Maciel, no dia 26/05/1866, no Paraty. Moraram em São Francisco.

Candido de Borba Pereira faleceu antes de 1897. Vittorina Maria da Conceição faleceu antes de 1897.

1.2.9.4.1 Anastacio de Borba Pereira nasceu por volta de 1875, em São Francisco do Sul. Foi lavrador.
Casou com Maria Marciana de Borba, nasceu por volta de 1880, em Barra Velha, sua prima, filha de Marciano Gonçalves de Souza e da irmã de seu pai Maria Luisa de Borba, no civil dia 24/04/1897, na casa de José Luiz de Souza, e no religioso dia 06/10/1905, na Capela do Itapocú. Foram testemunhas José Luiz de Lopes e Maria Joaquina Graça e o Padre foi Ludovico Coccolo. Moraram no Itaperiú. Teve um engenho de açúcar (1930).
Anastacio de Borba Pereira faleceu após 1909.
1. Victorina Maria de Borba (*26/01/1897, Barra Velha +07/05/1944, Itaperiú Sep: São João de Itaperiú). Casou com Manoel Amancio de Ramos (*05/03/1890, Itaperiú), filho de Amancio Luiz de Ramos e Francisca Luiza de Farias, no dia 05/01/1924, na casa de Marciano Gonçalves de Souza, no Itaperiú, pelo cartório de Barra Velha. Filhos: [Ver família de Amancio Luiz de Ramos].
2. Bernardo Anastacio de Borba (*20/08/1902 +03/09/1984, Joinville Sep: São João de Itaperiú). Casou com Maria Alves.


1.2.9.5 Miguel de Borba Pereira nasceu por volta de 1835, em Camboriú.

Casou com Libania Rosa Maciel de Borba, natural de São Francisco, com quem teve ao menos quatro filhos, nascidos em Araquari. Moraram em São Francisco e na Freguesia de Barra Velha.

1.2.9.5.1 Francisco nasceu no dia 05/04/1861, em Araquari, onde foi batizado no dia 23/02/1862, pelo Padre Joaquim Francisco Pereira Marçal. Foram seus padrinhos, seu tio, Cândido da Rocha Pereira e Anna Maria de Borba.

1.2.9.5.2 Bonifácio de Borba Pereira nasceu no dia 02/07/1865, em Araquari, onde foi batizado no dia 22/04/1866, pelo Padre Joaquim Francisco Pereira Marçal. Foram seus padrinhos Claudino José Francisco Pacheco e Júlia Francisca de Castro, por seus procuradores João Luís de Borba e Rita Soares de Carvalho.
Casou com Anna Soares de Oliveira, natural de São Francisco, filha de Manoel Soares de Oliveira e Angelica Marques da Silveira, na Igreja de São Francisco. Moraram no Itaperiú (1895).
1. Floripa (*15/04/1895, Barra Velha).

1.2.9.5.3 Marcelino de Borba Pereira (ou Marcelino de Borba Coelho) nasceu por volta de 1867, em São Francisco. Foi lavrador.
Casou com Maria Lourença de Jesus, nasceu por volta de 1865, em Camboriú, filha de Manoel Joaquim Pereira e Maria Narcisa, no dia 02/08/1883, na casa de missão do Itapocú. Moraram no Ribeirão da Corda, no município de Joinville. Filhos:
1. João (*01/12/1888, Barra Velha)
2. Maria (*06/02/1891, Barra Velha).
3. Vicente Paulo de Borba (*19/06/1900, Joinville). Casou com Maria Ignacio da Silva (*22/06/1901, Joinville), filha de Francisco João Ignacio e Dalvina Maria da Silva, no dia 24/06/1922, pelo cartório do Itapocú.

1.2.9.5.4 Janoario de Borba Pereira nasceu por volta de 1860, em São Francisco. Foi artista (1893-1899). Mudou-se para o Itaperiú.
Casou com Procopia Thomazia de Jesus, nascida por volta de 1876, filha de Damazio José Pereira Machado e Thomazia Rosa de Jesus, moradores no Itaperiú, no dia 03/02/1894, na casa do pai da noiva, no Itaperiú e no dia 20/05/1894, na igreja de Barra Velha. Morou no Itaperiú (1893-1899).
1. Gregório Borba. Morou em Paraty, Araquari. Casou com Ester Silveira Borges (*27/07/1922), moradora no Itaperiú, filha de Patricio Abrizio Borges e Bernardina Maria da Silveira, no dia 12/11/1938, na casa de Patricio, no Itaperiú.
2. Martha (*Barra Velha).
3. Constancia (*Barra Velha).
4. Maria Procipia da Cruz (*24/11/1894, Itapocú)


1.2.9.6 Domingos de Borba Pereira nasceu por volta de 1837, em Itajaí.


1.2.9.7 João Luís de Borba nasceu por volta de 1840, em Itajaí.

Casou com Rita Eugênia de Carvalho, com quem teve uma filha, Lúcia, nasceu em 28/04/1865, em Araquari.


1.2.9.8 Maria Luiza de Borba nasceu por volta de 1843, em Camboriú ou Paraty.

Casou com Marciano Gonçalves de Souza, nascido por volta de 1846, em Penha, morador na Freguesia de Barra Velha, filho de Joaquim Gonçalves de Souza e Anna Rosa de Jesus, no dia 30/11/1875, no Paraty. Moraram no Itaperiú (1895-1924).

Maria Luiza faleceu com 82 anos, no dia 08/09/1923, à meia-noite, em Barra Velha, vítima de influenza. Foi sepultada no Itaperiú.



1.2.9.9 Eduardo de Borba nasceu por volta de 1844.

Casou com Florência Angélica Garcia, filha de Justino Francisco Garcia e Florência Rosa Regis Garcia, com quem teve um filho:

1.2.9.9.1 Francisco Borges nasceu no dia 10/10/1893, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 17/05/1894, pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram seus padrinhos Luís Florêncio Garcia e Lealdina Angélica de Jesus.


1.2.9.10 Sabina batizada aos 03 de julho de 1845.


1.2.9.11 Francisco de Borba Pereira nasceu por volta de 1846, em São Francisco.

Casou com Juliana Rosa de Jesus, natural de Camboriú, filha de Alexandre José Gonçalves dos Santos e de Anna Rosa de Jesus. Moraram na Freguesia de Gaspar.

Juliana faleceu com cerca de 35 anos, de parto, no dia 26/01/1889, em Gaspar. Foi sepultada no cemitério da freguesia de Gaspar.

1.2.9.11.1 Anna nasceu no dia 16/10/1875, em Gaspar, onde foi batizada no dia 14/05/1876, na Igreja de Gaspar. Foram seus padrinhos, Manoel Francisco dos Santos e sua mulher Maria Faustina de Jesus. 

1.2.9.11.2 Rosa nasceu no dia 06/12/1876, em Gaspar, onde foi batizada no dia 04/06/1877, na Igreja de Gaspar. Foram seus padrinhos, Crescencio Antonio dos Santos e Vicencia Bernardinha de Sena, ambos solteiros e moradores na freguesia de Gaspar.

1.2.9.11.3 Romão nasceu no dia 04/09/1878, em Gaspar, onde foi batizado no dia 12/10/1878, na Igreja de Gaspar. Foram seus padrinhos, José Alexandre Gonçalves, morador na freguesia de Gaspar, e Nossa Senhora.


1.2.9.12 Leopoldina Maria de Borba Pereira nasceu por volta de 1848, em São Francisco.

Casou com José Alexandre dos Santos, filho de Alexandre José dos Santos e de Barbara Rosa de Jesus, em 1869, no Paraty, com quem teve filhos. Moraram na Freguesia de Barra Velha.
Filhos:

1.2.9.12.1 Valentim nasceu no dia 14/02/1881. Foi batizado em Penha, Foram padrinhos, José Ignacio da Silva e Isabel Maria da Conceição.

José Alexandre dos Santos faleceu antes de 1896.

Após viuvar, Leopoldina casou com João Vicente de Oliveira, nascido por volta de 1841, viúvo de Maria Rosa de Jesus, morador em Barra Velha, filho de Vicente Peres e Anna de Oliveira, no dia 18/07/1896, na casa de João Vicente de Oliveira, em Barra Velha. Foram testemunhas: Antonio Rodrigues de Moura, de 65 anos, neste distrito; José Nicolau Ciuffo, de 59 anos, neste distrito; e Luiza Maria do Livramento, de 50 anos, neste distrito. Também estavam presentes: Domingos José de Oliveira, Crispim Gonçalves da Luz, e Maria Magdalena Olegario Brenaisen.



1.2.10 MARIA IGNACIA DE JESUS

Maria Ignacia de Jesus nasceu no dia 30 de setembro de 1802, na Praia Brava, em Itajaí, sendo batizada no dia 14 de outubro de 1802, em Armação de Itapocoroy, na Penha, pelo Padre José Antonio Martins. Seus padrinhos foram Joaquim José Pereira e Flora Roza. Maria Ignacia recebeu o mesmo nome da filha dos padrinhos, além de Maria ser o nome da avó materna, e Ignacia o nome de sua mãe.

Casou com José Antonio de Oliveira, no dia 15 de outubro de 1822, na Capela de Armação de Itapocoroy. Frei Martin Joaquim de Oliden celebrou a união. Foram testemunhas, seu irmão, João de Borba Coelho e José Ignacio Borges.

José Antonio nasceu por volta de 1802, em Armação de Itapocoroy, Penha, filho de Antonio José Machado e Damiana Rosa de Jesus, naturais de Itapocoroy.

O casal teve seis filhos: Joaquina, Caetana, Bernardino José, João Antonio, Francisco e Benigno José de Oliveira.

Moraram em Camboriú e na Vila de Porto Belo (1845).

No dia 26 de maio de 1866, na Capela de Santo Amaro, em Camboriú, foram padrinhos do neto José Bernardino de Oliveira, filho de Bernardino José de Oliveira.

Maria Ignacia faleceu antes de 1879. José Antonio de Oliveira faleceu entre 1879 e 1887.


1.2.10.1 Joaquina nasceu dia 18/11/1823, em Armação de Itapocoroy, Penha. Foi batizada no dia 30/11/1823, em Armação de Itapocoroy, pelo Frei Martin Joaquin de Oliden. Foram seus padrinhos, Antônio José e Damiana Rosa.


1.2.10.2 Benigno José de Oliveira Machado nasceu por volta de 1833. Foi batizado na Freguesia de Itajaí.

Casou com Felisbina Rosa de Jesus, no dia 11/06/1853, na Igreja Matriz de Porto Belo, pelas duas horas da tarde. Foram testemunhas Joaquim Joze Rebello e João Raimundo da Silva. Felisbina era natural de Porto Belo, filha de Claudino José Linhares e Justina Rosa.

Tiveram cinco filhos e moraram em Gaspar.

1.2.10.2.1 Candida Aguida de Oliveira nasceu e foi batizada em Camboriú.
Casou com João José Batista no dia 26/04/1879, em Gaspar. Foram testemunhas José Anastácio de Oliveira e Sabino de Rocha Junior, ambos de Gaspar. Ambos eram solteiros e moradores da freguesia de Gaspar, ele tinha 22 anos e ela 19 anos.
João José Baptista nasceu e foi batizado em Porto Belo, filho de Silvano José Baptista e de sua tia Anna Augusta dos Santos, que então era casada com seu tio paterno, Bernardino, sendo filho do primeiro casamento de Anna.

1.2.10.2.2 Maria Raimunda de Oliveira foi batizada em Porto Belo.
Casou com Manoel Ignacio Bernardo, no dia 13/06/1873, em Gaspar. Foram testemunhas: Francisco Bernardo Schramm e Francisco José de Oliveira. Manoel Ignacio Bernardo foi batizado em Porto Belo e era filho de Ignacio Bernardo e de Rita Rosa da Conceição Pereira de Carpo.

1.2.10.2.3 Justina Felisbina d' Oliveira nasceu e foi batizado em Camboriú.
Casou aos 20 anos com Sabino Rocha Junior no dia 03/03/1879, em Gaspar. Foram testemunhas: Bernardino José d'Oliveira e Manoel Ignácio Bernardo, ambos de Gaspar.
Sabino Rocha Junior nasceu e foi batizado em Camboriú, tinha 24 anos, filho de Sabino José da Rocha e de Jesuina Narcisa de Jesus, nasceu e foi batizado em Camboriú.

1.2.10.2.4 Claudino José de Oliveira nasceu por volta de 1855, na freguesia de Camboriú, onde foi batizado.
Casou aos 25 anos com Bernardina Maria Batista no dia 01/05/1880, em Gaspar. Foram testemunhas Antonio de Souza Soares e José Alexandre Gonçalves, ambos de Gaspar.
Bernardina Maria Baptista tinha 17 anos, nasceu e foi batizada na freguesia de Porto Belo, filha do primeiro casamento de sua tia Anna Augusta dos Santos com Silvano José Baptista, e irmã de seu cunhado Sabino.

1.2.10.2.5 Francisca nasceu no dia 24/08/1866. Foi batizada no dia 26/01/1867, em Camboriú.


1.2.10.3 Caetana Maria de Oliveira nasceu por volta de 1835.

Casou com Joaquim Francisco dos Santos, natural de Enseada, filho de Antonio Rocha dos Santos e de Francisca Rosa de Jesus.

O casal teve cinco filhos: Antônio Rocha dos Santos, João Caetano dos Santos, Francisco, Bernardino e Isabel Maria dos Santos.

Caetana faleceu após 1884. Joaquim Francisco dos Santos faleceu com 71 anos, no dia 26/04/1900, em Gaspar, de moléstia desconhecida. Foi sepultado em Gaspar.

1.2.10.2.1 Antônio Rocha dos Santos nasceu por volta de 1857, em Camboriú, onde foi batizado, recebendo o mesmo nome do avô paterno.
Casou com Maria Reinert, no dia 24/07/1880, em Gaspar. Maria nasceu e foi batizada na freguesia de São Pedro Apostolo, filha de Mathias Reinert e de Anna Bohn, residentes em Gaspar.
Foram testemunhas: José Anastacio de Oliveira e Carlos Procopio Hoeschl, ambos de Gaspar.
Tiveram os seguintes filhos:
1. João nasceu no dia 10/10/1881, em Gaspar, e faleceu 2 minutos depois do seu nascimento. Foi sepultado em Gaspar.
2. José nasceu no dia 31/01/1883. Foi batizado no dia 10/02/1883, em Gaspar. Foram padrinhos os avós maternos.
3. Maria Ignacia nasceu no dia 07/10/1884. Foi batizado no dia 27/10/1884, em Gaspar. Foram padrinhos os avós paternos.
4. Galdino Antônio da Rocha nasceu no dia 18/04/1886. Foi batizado no dia 20/06/1886, em Gaspar. Foram padrinhos João Mathias Zimmermann e Eugenia Manes. Faleceu com oito anos, no dia 29/12/1894. Foi sepultado no dia seguinte, em Blumenau.
5. Antonio nasceu no dia 31/10/1887.
Foi batizado no dia 26/11/1887, em Gaspar. Foram padrinhos: João Rocha dos Santos e Carolina Reinert.
6. Virgilia nasceu no dia 26/10/1889. Foi batizada no dia 23/11/1889, em Gaspar. Foram padrinhos: Francisco Caetano dos Santos e Anna Reinert.

1.2.10.2.2 João Caetano dos Santos nasceu por volta de 1859, em Camboriú e foi batizado na Freguesia de Tijucas Grandes.
Casou com Carolina Reinert no dia 15/09/1883, em Gaspar. Foram testemunhas: Antonio Rocha dos Santos e João Adão Spengler, ambos de Gaspar.
Carolina nasceu e foi batizada na Freguesia de São Pedro de Alcântara, filha de Mathias Reinert e de Anna Bohn.

1.2.10.2.3 Francisco dos Santos nasceu no dia 10/10/1872. Foi batizado no dia 07/06/1873, em Gaspar. Foram padrinhos: José Cunha Bittencourt e Maria Narcisa Nunes.

1.2.10.2.4 Bernardino foi batizado no dia 08/09/1877, em Gaspar. Foram padrinhos José Francisco da Cunha e sua mãe Luisa Rosa de Jesus.

1.2.10.2.5 Isabel Maria dos Santos nasceu por volta de 1858.
Casou com Cândido Crispim de Santa Ana, no dia 04/09/1886, em Gaspar. Candido nasceu dia 08/07/1860, na Tapera, em Itapema, filho de Crispim José de Santa Ana e Maria Joaquina da Conceição, e era viúvo de Maria Rita da Silva que faleceu no parto do primeiro filho do casal.
Isabel faleceu no dia 11/11/1905, em Gaspar.


1.2.10.4 Bernardino José de Oliveira nasceu por volta de 1836.

Casou com Anna Augusta dos Santos, no dia 17/04/1865, na Capela de Santo Amaro, em Camboriú.

Anna Augusta dos Santos nasceu por volta/10/1837, filha de Manoel Francisco dos Santos e Polucena Maria de Oliveira, ou Polucena Rosa, pelo padre Manoel Rodrigues. Foi batizada no dia 25/12/1837, na Freguesia da Senhora da Lapa do Ribeirão, no Ribeirão da Ilha, em Desterro. Foram padrinhos Perfilio Gonçalves de Ogioro e sua mulher Joaquina.

Anna era viúva de Silvano José Batista, e desta união já tinha três filhos. Com Anna, Bernardino teve sete filhos:

1.2.10.2.1 José Bernardino de Oliveira nasceu no dia 02/02/1866, no Sertão dos Macacos, em Camboriú. Foi batizado no dia 26/05/1866, na Capela de Santo Amaro, em Camboriú, pelo Padre João Rodrigues de Almeida. Foram padrinhos os avós paternos.
Casou com Helena Christina Schneider, no dia 02/11/1889, na Igreja de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Foram testemunhas: João Antonio de Oliveira e Florencio Schnaider, ambos proprietários e moradores em Gaspar.
Helena nasceu no dia 19/09/1871, em Gaspar, onde foi batizada, filha de Pedro Felippe Schnaider e de Christina Margarida Platten.
Tiveram cinco filhos:
1. Pedro Jose de Oliveira. Casou com Polucena Amara dos Santos, com quem teve o filho: 1. Genésio Pedro de Oliveira.
2. Leonida. Morou em Itajaí.
3. Policarpo.
4. José nasceu no dia 22/06/1907. Foi batizado no dia 04/10/1907, em Itajaí. Casou com Clarinda Tavares, no dia 30/10/1933, no Escalvados, em Navegantes.
5. Francisco José de Oliveira nasceu por volta de 1894, em Itajaí. Casou com Marcolina Amara dos Santos, no dia 29/05/1915, na Matriz da Penha. Foram testemunhas: Rodolfo Bernardino Müller e João Feliciano dos Santos. Marcolina nasceu por volta de 1897, em Itajaí filha de Feliciano Domingos dos Santos e Amara Maria de Jesus.
José Bernardino de Oliveira faleceu no dia 03/06/1926. Helena Schnaider de Oliveira faleceu no dia 29/03/1952. O casal foi sepultado no Cemitério de Escalvados, em Navegantes.

1.2.10.2.2 Maria Ignacia de Oliveira nasceu no dia 01/02/1868, em Camboriú. Foi batizada no dia 02/06/1868, em Camboriú.
Casou com Florencio Felippe Schneider, no dia 03/08/1889, na Igreja de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Foram testemunhas: José Bernardino de Oliveira e Pedro Felippe Schnaider, ambos de Gaspar.
Florêncio nasceu no dia 25/03/1863, em Gaspar, filho de Felippe Schnaider e de Maria Sabina Rabello.
Tiveram um filho:
1. João Schneider nasceu por volta de 1894, em Gaspar, onde foi batizado. Casou com Maria Ramos no dia 03/05/1916, em Blumenau. Foram testemunhas: Alvaro da Cunha Silveira, de 34 anos, e Carlos Grumer, de 37 anos, ambos empregados públicos e residentes em Blumenau. Ele com 22 anos, residente no lugar Velha, em Blumenau. Ela, doméstica, com 19 anos, residente no mesmo lugar, nascida e batizada em Brusque, filha de Camillo Ramos e de Anselma Victorino Machado. Casaram no civil no dia 06/11/1921, na capela do Hospital Santa Isabel, em Blumenau. Foram testemunhas: Pedro Schneider e Anna Ramos.

1.2.10.2.3 Polucena recebeu o mesmo nome da avó materna.

1.2.10.2.4 Francisco Bernardino de Oliveira nasceu no dia 30/11/1872, em Gaspar, onde foi batizado no dia 02/06/1872, na Matriz de São Pedro Apóstolo de Gaspar, pelo Padre João Maria Cybeo. Foram padrinhos Antonio de Souza Soares e Polucena Francisca de Carvalho.
Morou em Luiz Alves, quando casou com Maria Amara dos Santos, no dia 17/09/1904, em Luiz Alves,
Maria Amara nasceu por volta de 1884, filha de Feliciano José dos Santos e de Amara dos Santos, residentes no lugar Escalvados. Foram testemunhas: José Bernardino de Oliveira, com 39 anos, Joaquim José de Oliveira, de 27 anos, e Pulqueria Maria de Oliveira, de 25 anos, todos lavradores e residentes em Escalvados.
Tiveram dois filhos:
1. José Francisco de Oliveira. Casou com Cecília Corrêa, com quem teve os filhos: 1. Adir de Oliveira. 2. Bernardino de Oliveira.
2. Maria de Oliveira. Casou com Arthur Schneider, filho de Florencio Schneider e Maria, com quem teve os filhos: 1. Eleuterio. 2. Isabel. 3. Nilton Schneider. 4. Zilta. 5. Marta. 6. Rosa Schneider. 7. Ernesto Schneider. 8. Maria. 9. Mailde. 10. Florêncio. 11. Osmar. 12. Evelina. 13. Porfirio.

1.2.10.2.5 Martinha nasceu no dia 30/01/1876, em Gaspar. Foi batizada em 21/04/1876, na paróquia de São Pedro Apóstolo, sendo padrinhos João Antonio de Oliveira e Felicia Martinha, proprietários e moradores em Gaspar.

1.2.10.2.6 Pulquéria Maria de Oliveira nasceu no dia 07/06/1877, em Gaspar. Foi batizada em Gaspar no dia 14/07/1877, pelo Padre Henrique Matz, sendo padrinhos Carlos Procopio Höschl e sua mulher Maria Zimmermann Höschl, negociantes e moradores em Gaspar.
Residia no Escalvado quando casou com Luiz Manoel Sebastião de Souza, no Civil no dia 09/12/1905, na Penha,
Luiz Manoel tinha 23 anos, era natural e residente na Armação, em Penha, filho legítimo de Manoel Sebastião de Souza e Joaquina Maria de Souza, e era lavrador.
Casaram no dia 21/03/1906, na Capela de São José nos Escalvados, Navegantes, na presença do padre José Foxius e das testemunhas Bernardino Adão Müller e José Dias de Souza.
Tiveram uma filha:
1. Leorgina Pulquéria de Sousa nasceu no dia 17/01/1918, nos Escalvados, em Navegantes. Foram seus padrinhos João Antônio Aniceto e Anna Esperança da Costa. Casou com José Joaquim Mafra, no dia 03/11/1953, passando a adotar o nome Leorgina de Souza Mafra. José Joaquim nasceu dia 20/09/1916 e era chamado de Zé Luzia. Tiveram onze filhos: 1. Maria das Neves Mafra; 2. Sonia Maria Mafra; 3. Valmir Jose Mafra; 4. Vilmar Jose Mafra; 5. Valdir José Mafra; 6. Pedro de Alcântara Mafra; 7. Vanildo Jose Mafra; 8. Vilson Luiz Mafra; 9. José Carlos Mafra; 10. Valdemir Jose Mafra; e 11. Odair Jose Mafra. José Joaquim faleceu dia 07/01/1980. Leorgina faleceu em 1982.

1.2.10.2.7 José nasceu no dia 19/03/1879 e faleceu no mesmo dia, vinte minutos após nascer, às onze horas da manhã, na casa dos pais, em Gaspar. Foi sepultado no cemitério de Gaspar.

A primeira esposa, Anna Augusta dos Santos faleceu, provavelmente em complicações do parto do filho José, e Bernardino se casou pela segunda vez com a viúva Anna da Silva Mafra, no civil no dia 21/03/1902, em Escalvados, Navegantes, pelas nove horas da noite, na casa de Alberto Vick.

Anna da Silva Mafra, também chamada de Anna Mafra de Jezus, ou Anna Magdalena, nasceu no dia 05/10/1874, em Itajaí, filha de Jeremias Mafra da Silva e Magdalena Anna de Jezus. Anna já era viúva por duas vezes, de Antonio e Bento, com quem teve um filho de cada união.

O casamento religioso ocorreu no dia 21/03/1906, em casa particular por causa de doença grave da mulher, na presença do padre e das testemunhas Mathias Michels e José Felicio Bittencourt.

Deste segundo casamento teve oito filhos.

1.2.10.2.1² João de Oliveira.
Casou com Umbelina Lussoli.

1.2.10.2.2² João Bernardino de Oliveira nasceu no dia 25/06/1900. Foi batizado no dia 19/10/1901, na Matriz de Itajaí, pelo padre João Baptista Peters, como filho ilegítimo, pois os pais ainda não era casados, nem civilmente, nem religiosamente. Foram padrinhos Joaquim José de Oliveira e Pulcheria Maria de Oliveira.
Casou com Albertina Julia de Sousa, em 19/01/1927.
Albertina nasceu no dia 30/04/1908, filha de Agostinho Francisco de Sousa e de Júlia Isidra de Melo.

1.2.10.2.3² Maria nasceu no dia 15/05/1902. Foi batizada no dia 18/04/1903, em Itajaí.
Casou apenas aos 60 anos de idade.

1.2.10.2.4² Domingos de Oliveira nasceu no dia 07/07/1903. Foi batizado no dia 02/02/1904, em Itajaí.
Casou com Maria Francisco Moreira no dia 18/09/1926.

1.2.10.2.5² Bernardina de Oliveira nasceu no dia 27/08/1904. Foi batizada no dia 14/05/1905, em Itajaí.
Casou com Amaro Francisco Cordeiro no dia 13/12/1931, nos Machados, em Navegantes.
Tiveram dois filhos:
1. Francisco Cordeiro. Morou em Blumenau.
2. Ana Leticia Cordeiro. Casou com Johan Sauer, com quem teve a filha: 1. Cecília Sauer.

1.2.10.2.6² José de Oliveira nasceu no dia 25/05/1907?. Foi batizado no dia 18/11/1908, em Escalvados, Navegantes.
Casou com Olídia Maria Souza, filha de Antonio de Souza, no dia 29/07/1933, em Itajaí, com quem teve um filho:
1. Manoel Oliveira
José morou em Barra do Sul com o filho Zinho.

1.2.10.2.7² Teodora Anna de Oliveira nasceu no dia 11/09/1908, em Itajaí. Foi batizada no dia 02/01/1909, em Escalvados, Navegantes.
Casou com Pedro Carmo Zimmermann, no dia 10/09/1927, em Escalvados, Navegantes. Foram testemunhas Vendelino Zimmermann e Rodolfo Francisco de Souza.
Pedro nasceu dia 16/07/1897, em Gaspar, filho de Antônio Carlos Zimmermann e Gertrudes Vieira Haendchen. Pedro foi ferreiro e morou em Gaspar.
O casal teve um filho:
1. Hilton Zimmermann nasceu dia 25/08/1928, em Itajaí. Morou em Blumenau. Trabalhou como torneiro mecânico, foi político e importante dirigente sindical na cidade de Blumenau, onde participou das lutas pelas reformas de base, nos anos 60, que resultou em sua prisão como comunista por ocasião do golpe militar de 1964. Casou com Maria Ramos da Silva, no dia 02/08/1950, em Blumenau. Maria, a Nina, nasceu em 01/04/1927, na Ilhota, filha de Pedro Benjamim Carvalho e Clara Maria da Silva. O casal teve quatro filhos, entre eles: 1. Pedro Airton Zimmermann, nascido em 07/05/1951, em Blumenau, casou com Maria Mercedes Mazani Filizola, no dia 09/09/1972, em Curitiba, cursou Direito em Curitiba, foi militante, preso e torturado pela DOPS na Ditadura, estabeleceu-se como empresário em Curitiba, formou-se advogado, quando em 10/11/1983, foi assassinado por assaltantes na porta de sua empresa. 2. Dagmar; 3. Clara; 4. Paulo Airton que faleceu no dia 06/10/1980, encontrado enforcado dentro do quartel em Cuiabá. A família morou em Curitiba. Apesar de ser perseguido, preso e torturado, Hilton continuou na militância em defesa dos direitos humanos, participando da fundação e militância do Grupo Tortura Nunca Mais do Paraná. Hilton faleceu aos 76 anos, no dia 04/12/2003, às 23 horas, no Hospital Cajurú, em Curitiba, PR, vítima de um ataque cardíaco, no mesmo dia em que seu processo seria julgado pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e foi adiado.
Pedro Carmo Zimmermann morreu esmagado por uma caçamba.

1.2.10.2.8² Joaquina Olga nasceu no dia 20/05/1910. Foi batizada no dia 19/03/1911, na Capela de Escalvados, Navegantes. Foram padrinhos Antonio de Souza e Maria Mafra.
Casou com Antonio Marçal.

Bernardino faleceu após 1910. Após ficar viúva, Anna da Silva Mafra se casou com Sebastião Cabral, com quem teve mais um filho.


1.2.10.5 Francisco José de Oliveira da Conceição nasceu dia 08/12/1844, em Porto Belo. Recebeu o sufixo Conceição em seu nome, por ter nascido no dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Foi batizado no dia 11/03/1845, na Matriz de Itajaí, pelo padre Francisco Hernandez, pois não havia vigário em Porto Belo. Foram seus padrinhos Francisco Antonio de Borba e Roza Maria.

Casou com Maria Celsa de Santa Ana, no dia 07/12/1868, na Freguesia de Porto Belo, na Igreja Matriz de Porto Belo, pelas dez horas da manhã, na presença do padre Antonio de Jezus Collares e das testemunhas Jeremias Francisco Garcia e João Machado Airozo dos Santos.

Maria Celsa nasceu no dia 10/02/1847, na Freguesia de Porto Belo, onde foi batizada, filha de Crispim José de Santa Anna e de Maria Joaquina da Conceição.

Tiveram quatro filhos.

1.2.10.5.1 Ignacia Maria da Conceição nasceu no dia 01/02/1870, na Tapera, em Porto Bello, hoje Itapema. Foi batizada no dia 31/07/1870, em Porto Belo.
Casou com José Jacinto dos Santos, no dia 24/06/1893, em Gaspar.
José Jacinto nasceu por volta de 1869, em Camboriú, filho de José Jacinto dos Santos e Leonida Sérgia Pacheco.

1.2.10.5.2 Julia nasceu no dia 21/07/1871, na Tapera, em Porto Bello, hoje Itapema, e foi batizada no dia 08/05/1872, em Camboriú.

1.2.10.5.3 Candido Francisco de Oliveira nasceu no dia 09/06/1874, em Gaspar, onde foi batizado no dia 28/06/1874, em Gaspar.
Candido Francisco de Oliveira faleceu no dia 08/05/1908, em Gaspar.

1.2.10.5.4 Maria nasceu no dia 15/05/1876, em Gaspar, onde foi batizada no dia 16/09/1876, na Igreja Matriz de São Pedro Apóstolo, pelo Padre Henrique Matz. Foram padrinhos, José Crispim de Santa Anna e Joaquina Maria de Santa Anna, ambos solteiros e moradores de Porto Belo.


1.2.10.6 João Antonio de Oliveira nasceu por volta de 1847, em Camboriú, onde foi batizado.

Casou com Maria Infancia da Silva, no dia 22/02/1879, em Gaspar. Foram testemunhas: Benigno Jozé d'Oliveira e Joaquim Francisco dos Santos, ambos de Gaspar. Ele com 32 anos e ela de 16 anos.

Maria Infancia nasceu e foi batizada na freguesia de Porto Belo, filha de Porcino Luiz da Silva e de Infância Maria da Conceição.

Maria Infancia faleceu. Viúvo, João casou pela segunda vez com Maria Cypriana da Conceição, no dia 19/11/1887, em Gaspar, então com 39 anos. Foram testemunhas: Bernardino José de Oliveira e Carlos P. Hoeschl.

Maria Cypriana tinha 24 anos, nasceu e foi batizada na Freguesia de Porto Belo, filha de Anacleto José Garcia e de Cypriana Maria da Conceição.



1.2.11 JOAQUINA IGNACIA DE BORBA COELHO

Joaquina Ignacia de Borba Coelho nasceu no dia 20 de dezembro de 1805, na Praia Brava, em Itajaí, recebendo o mesmo nome de sua madrinha de batismo. Foi batizada no dia 12 de janeiro de 1806, na Capela de São João Batista, em Armação de Itapocoroy, pelo Padre Manoel Alves de Toledo. Seus padrinhos de batismo foram José Gonçalves Lourenço e sua mulher Joaquina Ignacia.

Casou com Joaquim José Pereira, nascido no dia 09 de janeiro de 1808, em Armação de Itapocoroy, Penha, filho de José Pereira da Silva e Leonor Francisca de Jesus, naturais de Armação de Itapocoroy, por volta de 1827. Com o casamento ela passou a ser chamada de Joaquina Pereira do Nascimento.

O casal teve os seguintes filhos: Manoel Joaquim Pereira, Raulino José Pereira, Felisbina Pereira do Nascimento, Leonida Pereira da Silva, João Pereira da Silva Catharina, Joaquina Pereira da Silva, Maria Pereira da Silva, Clara Pereira da Silva e José Joaquim Pereira.

No dia 06 de setembro de 1835, em Itajaí, foram padrinhos da filha de Silvano, irmão de Joaquina, que recebeu o mesmo nome da madrinha.

O casal mudou-se com os filhos para a Freguesia de Barra Velha ainda antes de 1860, estabelecendo-se no Itapocú, localidade localizada na margem direita do rio de mesmo nome.

Joaquim faleceu antes de 1871. Em 1891 Joaquina morava no Escalvado.

Joaquim teve uma escrava mulata de nome Felicia, que teve os filhos: Antonio, Andre e a filha Margarida, nascidos em Barra Velha.
- Antonio, mulato, nasceu em 23/03/1864 e foi batizado no dia 25/12/1864, em Barra Velha. Foram seus padrinhos, Vicente Gonçalves da Luz e Maria Roza de Jesus. Antonio foi declarado livre por seus senhores na pia batismal, sendo testemunhas Miguel Soares da Rocha e Lourenço Antonio de Souza Rachadel e o Padre Manoel Julio de Carvalho.
- Andre nasceu em dezembro de 1866 e foi batizado no dia 12/12/1866, em Barra Velha. Foram seus padrinhos, Fructuoso Soares da Costa e Maria Jose do Espirito Santo, solteira.
- Margarida nasceu no dia 12/02/1873 e foi batizada no dia 25/07/1873, em Barra Velha. Foram seus padrinhos, José Felicio de Borba, sobrinho de Joaquina, e Maria Joaquina.


Ver filhos em Família de Joaquim José Pereira e Joaquina



1.2.12 LUIZA MARIANA

Luiza Mariana nasceu no dia 15 de agosto de 1808, na Praia Brava, em Itajaí. Foi batizada no dia 04 de setembro de 1808, em Armação de Itapocoroy, na Penha, pelo Padre José Antonio Martins. André Borges Pitta foi seu padrinho.

Casou com Manoel Luis Pereira, nascido no dia 29 de junho de 1807, na Freguesia da Lagoa da Conceição, em Desterro, atual Florianópolis, filho de Luís Pereira Jorge, natural da Freguesia de Nossa Senhora das Necessidades, em Santo Antonio de Lisboa, Desterro, e de Jacinta Rosa da Encarnação, natural da Freguesia da Lagoa da Conceição. Neto paterno de Lourenço Pereira Jorge e de Francisca de Jesus, naturais da Freguesia de Santo Antonio, e neto materno de Matias José e Maria de Jesus.

Manoel foi batizado no dia 14 de junho de 1807, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa, pelo padre Joaquim José Jaques Nicos. Foram padrinhos, Mateus Luiz Silveira e Joaquina Rosa, solteiros.

O casal morou em Itajaí, onde tiveram oito filhos: Anna, Ignacia, Florinda, Joaquim, Francisca, Margarida, Luiza, e Maria Luiza.

Luiza Mariana faleceu após 1846.

1.2.12.1 Anna nasceu no dia 07/01/1831, em Itajaí, onde foi batizada no dia 15 do mesmo mês. Foram seus padrinhos, seus tios, Felicio de Borba Coelho e sua mulher Thomazia Francisca.


1.2.12.2 Ignacia nasceu no dia 15/06/1835, em Itajaí, onde foi batizada no dia 10/08/1835, na Igreja Matriz. Foram seus padrinhos José Coelho da Silveira e Custodia Rosa.


1.2.12.3 Florinda nasceu no dia 02/04/1838, em Itajaí, onde foi batizada no dia 02/06/1838, na Igreja Matriz, pelo padre Francisco Rodrigues. Foram seus padrinhos Bernardo Nunes e Florinda Rosa, sendo que ela recebeu o mesmo nome de sua madrinha.


1.2.12.4 Joaquim nasceu no dia 15/02/1840, em Itajaí.


1.2.12.5 Francisca nasceu no dia 22/12/1840, em Itajaí, onde foi batizada no dia 25/12/1840, pelo padre Francisco Rodrigues.
Foram seus padrinhos. Francisco Antônio de Borba e Rosa Maria.


1.2.12.6 Margarida nasceu no dia 22/07/1842, em Itajaí, onde foi batizada no dia 22/10/1842, pelo padre João Baptista Ramoino. Foram padrinhos: José Antônio de Oliveira e Maria Ignacia.


1.2.12.7 Luiza nasceu no dia 16/05/1846, em Itajaí, onde foi batizada no dia 11/07/1846, pelo padre Francisco Hernandez. Foram padrinhos: Manoel Machado e Jacinta Luísa.


1.2.12.8 Maria Luiza nasceu em Itajaí, onde foi batizada.

Casou com Faustino Manoel Pereira, no dia 21/01/1865, na Igreja Matriz de Itajaí, em cerimônia realizada pelo Padre Antonio Francisco Nobrega. Foram testemunhas, Francisco Napoleão? Casas? e Gregorio Joaquim Coelho.

Faustino Manoel Pereira nasceu e foi batizado na Freguesia de São Miguel, filho de Manoel Pereira e de Graciana Rosa.



1.2.13 ANNA IGNACIA DA PAIXÃO

Anna Ignacia da Paixão nasceu no dia 29 de março de 1812, na Praia Brava, em Itajaí. Recebeu o mesmo nome da irmã de seu pai, Anna, o segundo nome, Ignacia, herdou da mãe, já o sufixo da Paixão, foi por ter nascido durante as comemorações da Paixão de Cristo.

Anna foi batizada no dia 12 de abril de 1812, em Armação de Itapocoroy, na Penha, pelo Padre José Antonio Martins. Foram seus padrinhos Manoel Antonio da Silva e Bárbara Ignacia de Jesus.

Casou por volta de 1831, com Julião José Machado de Espindola, nascido por volta de 1810, em Itajaí, filho de José Machado de Espindola e Anna Pereira de Jesus.

Moraram em Itajaí onde tiveram treze filhos: Sabina Maria de Jesus Machado, Marcelina Rosa Machado, Maria Josepha da Glória, Cândida Rosa do Amor Divino, Felicidade Perpétua da Glória, Deolinda Maria Machado, Damásio, Francisco Antonio da Conceição, José Julião Machado, João Julião Machado, Aniceto Machado de Espindola, Maria Júlia da Silva, e Romão Julião Machado de Espindola.

Anna Ignacia faleceu antes de 1859.

Julião José se casou novamente com Joaquina Maria de Jesus, natural de Armação de Itapocoroy, no dia 26 de junho de 1859, em Itajaí. Tendo mais uma filha, Maria Joaquina de Espindola, nascida em maio de 1861, em Itajaí. Joaquina Maria faleceu em 28 de agosto de 1862, em Itajaí.

Julião se casou pela terceira vez, com Lina Maria da Silva, viúva de José Antonio Correia, no dia 02 de maio de 1864, na Igreja Matriz de Itajaí, em celebração realizada pelo padre João Domingues Alvares da Veiga. José Maria Couto e Antonio de Freitas Cabral foram testemunhas.

Julião José Machado de Espindola faleceu entre 1869 e 1885.


1.2.13.1 Sabina Maria de Jesus Machado nasceu por volta de 1832, em Itajaí.

Casou com João Francisco de Borba, filho de seu primo materno, Francisco Antonio de Borba e Rosa Maria de Jesus, com quem teve nove filhos: Maria Francisca da Glória, Francisca Sabina de Borba, João Francisco de Borba, Apolinário, Francisco, Hermenegilda Rosa de Jesus, Deolinda Sabina de Borba, Domingos João de Borba e Maria.

Sabina faleceu em 1864, em Itajaí.

1.2.13.1.1 [Ver filhos em 1.2.1.1.2 João Francisco de Borba]


1.2.13.2 Marcellina Rosa Machado nasceu no dia 07/04/1834, em Itajaí, onde foi batizada no dia 28/06/1834, pelo padre Francisco José de Souza. Foram seus padrinhos Manoel ... da Cunha e Anna Pereira, solteiros.

Falecida em 14/10/1858, em Itajaí.


1.2.13.3 Maria Josepha da Glória nasceu no dia 16/09/1835, em Itajaí, onde foi batizada no dia 31/01/1836, pelo padre Joaquim Serrano. Foram seus padrinhos Felício José Borges e Joaquina Pereira.

Casou com Julião José Machado da Silva, filho de José Machado Espindola e Januaria Maria de Ramos, com quem teve filhos.

1.2.13.3.1 Manoel nasceu no dia 24/08/1857, em Itajaí. Foi batizado no dia 27/09/1857, na Matriz de Itajaí. Foram padrinhos João Francisco de Borba e Sabina Maria de Jesus.

1.2.13.3.2 Zosimo nasceu no dia 04/04/1859, em Itajaí. Foi batizado no dia 14/05/1859, na Matriz de Itajaí. Foram padrinhos Antonio Machado de Espindola e Ignes Maria Gertrudes.
                                                  

1.2.13.4 Cândida Rosa do Amor Divino nasceu por volta de 1837, em Itajaí.


1.2.13.5 Felicidade Perpétua da Glória nasceu dia 11/05/1839, em Itajaí, onde foi batizada no dia 29/06/1839, pelo padre Francisco Rodrigues. Foram seus padrinhos, Felicio Borges e sua tia Joaquina Pereira.

Casou com Laurentino José de Andrade Leite, nascido e batizado em Itajaí, filho de José Francisco de Andrade e Luísa Antonia, com quem teve quatro filhos. Moraram no Rio Morto, em Blumenau, já antes de 1874.

Felicidade faleceu por volta de 1877 e foi enterrada no cemitério do Encano. Após a morte de Felicidade, Laurentino casou com Maria Jorge no dia 21/03/1878, no Rio Morto, em Blumenau.

1.2.13.5.1 Anna Thomasia de Jesus nasceu por volta de 1857, em Itajaí onde foi batizada. Morou de Rio Morto, em Blumenau.
Casou aos 19 anos, com Manoel Ignacio da Rocha, no dia 19/10/1876, na capela de São Paulo Apóstolo, em Blumenau. Foram testemunhas Francisco Luis de Andrade Leite e Manoel de Joze Leite.
Manoel tinha 25 anos, nascido em Porto Belo e batizado em Itajaí, filho de Ignacio José da Rocha e Ricarda Candida do Amor Divino.
Tiveram dois filhos:
1. Jose da Rocha nasceu no dia 17/05/1878. Foi batizado no dia 06/07/1878, na matriz de São Paulo, em Blumenau. Foram padrinhos Isidoro Manuel dos Anjos e Angela Diolinda Rodriguez.
2. Maria da Rosa nasceu no dia 14/07/1879. Foi batizado no dia 02/12/1879, na Colônia Italiana do Salto Pilão, em Blumenau, pelo Padre Pietro. Foram padrinhos Bernardino Philippe Santige? e Maria Josepha Leites.

1.2.13.5.2 Margarida nasceu no dia 15/04/1872. Foi batizada no dia 18/01/1874, em Blumenau. Foram padrinhos Antonio Machado e Laurinda Roza de Jesus.

1.2.13.5.3 João nasceu no dia 09/04/1874. Foi batizado no dia 27/07/1874, na Capela provisória da sede da Colônia Blumenau. Foram padrinhos Francisco José Leite e sua mulher Florinda Rosa da Conceição.

1.2.13.5.4 Manoel Andrade Leite nasceu no dia 17/06/1876. Foi batizado no dia 26/09/1876, na capela de São Bonifácio do Encano, em Blumenau. Foram padrinhos Manoel Souza Leite e Candida Rosa do Amor Divino.


1.2.13.6 Deolinda Maria Machado nasceu em 25/09/1840, em Itajaí, onde foi batizada no dia 22/11/1840, pelo padre Francisco Rodrigues. Foram seus padrinhos, Alberto Antônio de Borba e Maria Rosa de Jesus.

Deolinda faleceu aos 18 anos, no dia 31/10/1858, em Itajaí.


1.2.13.7 Damásio nasceu dia 11/12/1842, em Itajaí, onde foi batizado no dia 02/07/1843, pelo padre Francisco Hernandes. Foram padrinhos, Joaquim Pereira e Anna Matildes.

Damasio faleceu com 16 anos, no dia 15/12/1858, em Itajaí.


1.2.13.8 Francisco Antonio da Conceição, ou Francisco Julião Machado, nasceu por volta de 1844, em Itajaí, onde foi batizado.

Casou com Cypriana Caetana de Jesus, no dia 18/02/1865, na Igreja Matriz de Itajaí. Padre Antonio Francisco Nobrega celebrou a união. Foram testemunhas Francisco Antonio de Borba e José Francisco Garcia.

Cypriana nasceu na Freguesia de São José e era filha de Silverio Antonio Coelho de Andrade e Maria Caetana de Jesus.

O casal morou no Rio Pequeno, em Itajaí e teve três filhas.

1.2.13.8.1 Anna.

1.2.13.8.2 Maria.

1.2.13.8.3 Josefa nasceu no dia 25/03/1864, no Rio Pequeno, em Itajaí. Foi batizada no dia 16/05/1864, na Igreja Matriz de Itajaí. Foram padrinhos, José Antonio da Cunha e sua filha Maria Josefa da Cunha, moradores no Rio Pequeno.


1.2.13.9 José Julião Machado, também chamado José Juliano, nasceu dia 27/08/1846, em Itajaí, onde foi batizado, no dia 07/12/1846, pelo padre Francisco Hernandez. Foram seus padrinhos, José Francisco Garcia e Anna Maria Garcia.

Casou com Joanna Josepha da Conceição Avila, no dia 20/11/1869, na Igreja Matriz de Itajaí. Padre Miguel Ruggiero celebrou o casamento e José Francisco Garcia e Julião Machado da Silva foram testemunhas, Manoel Galdino da Silva também estava presente.

Joanna Josepha, ou Joanna Escolastica, nasceu e foi batizada na Freguesia de São Miguel e era filha de José Ludovino de Avila e de Escolastica Luiza do Nascimento.

O casal teve seis filhos e a família morou no Rio Morto em Itajaí (1878), no Itaperiú (antes 1896) e mudou-se para Massaranduba (antes de 1900).

1.2.13.9.1 Pedro Machado nasceu no dia 17/08/1877. Foi batizado no dia 16/09/1877, na capela de São Bonifácio d'Encano, em Blumenau. Foram padrinhos Joaquim Jerimã? da Silva e Maria Teresa de Jesus.

1.2.13.9.2 Carolina Machado nasceu no dia 16/11/1879. Foi batizada no dia 02/12/1879, na Colônia Italiana do Salto Pilão, em Blumenau, pelo Padre Pietro. Foram padrinhos Francisco da Silva e Maria da Conceição.

1.2.13.9.3 Norberto nasceu no dia 26/11/1883, em Itajaí?.

1.2.13.9.4 Anna nasceu no dia 15/08/1885, em Itajaí?.

1.2.13.9.5 Davina nasceu no dia 28/11/1887, em Itajaí?.

1.2.13.9.6 Bentina nasceu no dia 07/09/1892, em Itajaí?.


1.2.13.10 João Julião Machado nasceu por volta de 1848, em Itajaí, onde foi batizado.

Casou com Maria José da Conceição, no dia 17/01/1871, na Igreja Matriz de Itajaí, em cerimônia realizada pelo Padre Miguel Ruggiero. Foram testemunhas, Pedro Lopes de Mello e Joaquim de Souza.

Maria José da Conceição nasceu no dia 12/02/1855, na Freguesia de São Miguel, e era filha de José Ludovino de Avila e de Escolastica Luiza do Nascimento, e irmã de sua cunhada Joanna, mulher de seu irmão José Julião.

1.2.13.10.1 José nasceu no dia 24/03/1874, em Itajaí.

1.2.13.10.2 Elpidio nasceu 20/08/1893, em Boa Victoria, em Itajaí, onde foi batizado no dia 01/11/1893, na Igreja Matriz. Foram padrinhos, Pedro Ferreira e Silva e Malvina Rosa do Nascimento, solteiros.


1.2.13.11 Aniceto Machado de Espindola nasceu por volta de 1850, em Itajaí.


1.2.13.12 Maria Júlia da Silva nasceu por volta de 1851, em Itajaí, onde foi batizada.

Casou com José Felício de Bittencourt, no dia 07/09/1869, na Igreja Matriz de Itajaí. Padre Miguel Ruggiero celebrou o casamento. Foram testemunhas, Manoel Machado d’Oliveira e Felicio José Borges.

José Felicio nasceu e foi batizado na Penha, era filho de Joaquim Felício de Bittencourt e Francisca Gertrudes de Jesus de Souza.

O casal teve dois filhos nascidos em Itajaí, na região da atual cidade de Navegantes.

1.2.13.12.1 Gertrudes nasceu no Saco Grande, em Navegantes.

1.2.13.12.2 Júlio nasceu no dia 26/02/1889, nos Machados, em Navegantes. Foi batizado no dia 06/07/1889, em Itajaí.


1.2.13.13 Romão Julião Machado de Espindola nasceu por volta de 1854, em Itajaí.

Casou com Anna Maria da Veiga, com quem teve filhos.

1.2.13.13.1 Manoel nasceu no dia 10/09/1882, em Itajaí. Foi batizado apenas com 23 anos, no dia 27/09/1905, na Matriz de Itajaí, pelo Padre Ludovico Coccolo. Foram seus padrinhos, o mesmo padre e Nossa Senhora da Conceição.



1.3 ANNA MAURICIA DA ASSUNÇÃO

Anna Mauricia da Assunção nasceu por volta do ano 1770, também na Freguesia de São José da Terra Firme, em São José. 

Casou-se por volta de 1793 com Manoel Lourenço da Luz, natural da Freguesia de São José, filho de Lourenço Machado da Luz e Margarida da Conceição, naturais da Ilha Terceira. 

O casal morou em Armação do Itapocoroy, atual cidade de Penha, onde nasceram as filhas Rita, em 1798, e Maria Joaquina, em 1802. Na Igreja de Armação do Itapocoroy, Manoel e Anna, foram padrinhos de batismo de muitas crianças. 

No dia 12/04/1795, foram padrinhos de duas meninas, Thomazia, filha de Laurianno Ferreira de Melo e Luiza Ignacia de Jesus; e Anna, que recebeu o mesmo nome da madrinha, filha de Lourenço de Moura e Joanna Roza de Jesus. 

No ano seguinte, também foram padrinhos de Anna, que também recebeu o nome da madrinha, filha de Domingos Gonçalves Lamim e Domingas Vieira, batizada no dia 16/04/1796. No dia 01/09/1800, batizaram João, filho de Victorino Goncalves da Silva e Floriana Roza. Nicolao, filho de Manoel Antonio de Miranda e Anna Enriques, batizado no dia 13/12/1803, também foi afilhado do casal. Manoel e Anna faleceram após 1803. 

1.3.1 Rita nasceu no dia 15/03/1798, em Armação do Itapocoroy, sendo batizada no dia 31 do mesmo mês, em Armação do Itapocoroy. Seus padrinhos foram os tios maternos Silvestre de Borba Coelho e sua mulher, Ignacia Marianna. 

1.3.2 Maria Joaquina nasceu no dia 04/10/1802, em Armação do Itapocoroy, sendo batizada no dia 24 do mesmo mês, em Armação do Itapocoroy. Seus padrinhos foram os tios maternos Miguel de Borba Coelho e sua mulher Úrsula Rosa. Casou com Victorino de Sousa Machado. O casal morou na Enseada das Garoupas, Porto Belo, onde nasceram seus filhos: Luiza Rosa de Jesus, José e Manoel. 

1.3.2.1 Luiza Maria Rosa de Jesus casou com Alexandre Albino de Sousa, filho de Albino José de Sousa e Leocádia Maria. O casal morou na Freguesia de Barra Velha e teve muitos descentes que moraram em São João do Itaperiú.

1.3.2.1.1 José Alexandre Albino nasceu dia 26/11/1848, na Freguesia de Porto Belo, onde foi batizado no dia 06/01/1849. Foram padrinhos Flauzino de Souza e Ritta Rosa de Jesus. Casou com Leopoldina Sebastiana de Sousa, filha de Manoel Antônio dos Santos e Sebastiana de Sousa, no dia 24/07/1873, na Capela Provisória de Barra Velha. Foram testemunhas Joaquim José Thomaz e Antonio José Duarte. Também estava presente Manoel Joaquim de Quadros. Moraram em Barra Velha, onde tiveram o filho: 
1. Venancio nasceu dia 18/11/1877, em Barra Velha, onde foi batizado, no dia 01/12/1877. Foram padrinhos João Luis dos Santos e Escolastica de Sousa de Jesus. 

1.3.2.1.2 Maria Luiza do Nascimento nasceu no dia 25/11/1849, em Porto Belo, onde foi batizada no dia 04/03/1850. Foram padrinhos, José Tobias da Costa e Alexandrina Rosa de Jesus. Casou com João Ignacio da Silva, natural da Penha, filho de Ignacio da Silva Coutinho e Jacinta Rosa de Jesus, no dia 18/09/1865, em Barra Velha. Foram testemunhas, Jose Albino de Souza e Jose Ignacio da Silva. 

1.3.2.1.3 Francisco nasceu no dia 21/01/1854, em Porto Belo, onde foi batizado no dia 25/02/1854. Foram padrinhos, José Albino de Souza e Anna Maria de Souza. 

1.3.2.1.4 Constância Rosa de Jesus nasceu em Porto Belo. Casou com seu primo paterno Antônio Luiz de Sousa, filho de seu tio Luís Albino de Sousa e de Custódia Claudina, no dia 02/06/1874, em Barra Velha, Foram testemunhas, seu cunhado João Ignacio da Silva e Germano Luis de Sousa. 

1.3.2.1.5 Martinho nasceu dia 12/11/1864, em Barra Velha, onde foi batizado no dia 22/12/1864. Foram padrinhos J... Luiz de Souza e Maria Roza de Jesus, ambos solteiros e residentes em Barra Velha.

1.3.2.2 José nasceu no dia 04/08/1821. 

1.3.2.3 Manoel nasceu no dia 29/05/1823. 



1.4 FLORIANA ROSA 

Floriana Rosa nasceu por volta do ano 1775 e se casou com Francisco da Rocha, filho de Bartolomeu da Rocha e Anna Rosa, naturais da Ilha Terceira. 



2. Outras famílias Borba em Barra Velha 

Além da família Borba Coelho, mencionada acima, também viveu na Freguesia de Barra Velha, por volta de 1887, Gregorio Jacintho de Borba, escravo de Fructuoso Soares da Costa. Provavelmente adotou o sobrenome Borba por conviver com os Borba.

- Ver mais sobre a família de Gregorio Jacintho de Borba


Referências 

Para esta pesquisa usou-se como base um texto escrito pelo pesquisador Acacio Gasino de Borba Coelho, descendente dos Borba Coelho, em que ele conta a história dos Borba Coelho com relatos contados pelos seus antepassados, além de pesquisas genealógicas dos historiadores e pesquisadores Telmo Tomio e Ignacio da Silva Mafra e pesquisas nos registros da igreja católica e registros do cartório civil e em jornais antigos. 

APESC. Índice geográfico dos processos de terras da secretaria da agricultura e do abastecimento - Coordenação de Legitimação e Cadastramento de Terras Devolutas - COLECATE. Florianópolis, mar. 2010.

ARQUIVO NACIONAL. Sesmarias. Santa Catarina. Praia Brava, Itapacuruçú. Requerente: Coelho, Felício de Borba. 

BORBA COELHO, Acacio Gasino de. Barra Velha “Colônia Açoriana”. 

BORBA COELHO, Acacio Gasino de. História dos Borba Coelho e sua vinda para Barra Velha. Disponível em: <http://julianobernardes.blogspot.com.br/2012/05/historias-de-barra-velha.html>. 

EMENDÖRFER FILHO, Victor. A primeira história de Guaramirim. 1ª ed. Jaraguá do Sul. Ed. Correio do Povo, 2001.

IGREJA CATÓLICA. Registros da Igreja Católica. 1714-1977. 

JORNAL A REGENERAÇÃO. Desterro. 1868-1889. JORNAL CONSERVADOR. Desterro. 1884-1889. 

JORNAL O ARGOS DA PROVÍNCIA DE SANTA CATHARINA. Desterro. 1856-1861. 

JORNAL O CRUZEIRO. Desterro. 1860. JORNAL O MERCANTIL. Desterro. 1861-1868. 

MAFRA, Inácio da Silva. Famílias Mafra. Disponível em: <http://www.mafra.com.br/genealogia>. Acesso em: 05 jan. 2015. 

NASCIMENTO, Antonio Roberto. Antigos povoadores da Praia Brava. In: Blumenau em Cadernos, Blumenau-SC, n. 10, out. 1991, pp. 305-308.

SANTA CATARINA. Registros dos Cartórios Civis. 

TOMIO, Telmo. Telmo Tomio: Genealogia e história, catarinense e familiar. Disponível em: <http://telmotomio.pro.br>. Acesso em: 05 jan. 2015. 

TOMIO, Telmo. Telmo Tomio: Genealogia e história. Disponível em: <http://telmotomio.blogspot.com.br/>. Acesso em: 05 jan. 2015.