Família Silveira


Por Elis de Sisti Bernardes


Ainda no século XIX, antes de 1898, mudaram-se para o Itaperiú a família de Joaquim Francisco da Silveira.

Joaquim Francisco da Silveira nasceu por volta de 1825, em Camboriú, ou São José, filho de José Francisco da Silveira e de Silvana Clara de Jesus Lima, naturais da Freguesia de São José.

Casou com Marianna Ignacia de Jesus, nascida por volta de 1828, em Camboriú, filha de José Thomas Ignacio de Lemos, ou de Espindola, e Maria Joaquina de Jesus, naturais da Armação de Itapocoroy, Penha.

Mudaram-se para a Freguesia de Barra Velha por volta de 1860, assim como a família da irmã de Joaquim, Maria Infância de Nazareth, casada com Fructuoso Soares da Costa. Joaquim foi negociante. Moraram no Itapocú, antes de 1860 até 1892 e no Itaperiú, antes de 1898. 

Joaquim Francisco da Silveira faleceu com 74 anos, no dia 04 de março de 1899, no Morro Grande, distrito do Itapocú.

Mariana Ignacia de Jesus faleceu com 79 anos no dia 05/08/1907, no Morro Grande, às 11 horas do dia, em sua casa, de febre. Foi sepultada no Itapocú. 



Filhos:



1. José Leocadio da Silveira (*~1846, Camboriú +Entre 1892-1907). Morou em Jaraguá.
Casou com Margarida Isabel de Jesus (*~1870, Paraty), moradora no Jaraguá, filha de Bento Francisco Alves e Isabel Fernandes de Jesusno dia 07/12/1892, na Matriz de Barra Velhano dia 08/12/1892, no cartório de Barra Velha. Foram testemunhas: André Frederico Breneisen, 46 anos, lavrador, nesta Freguesia; Gregorio Gonçalves de Souza, 33 anos, lavrador, no Itaperiú; e Maria Luiza da Graça, 42 anos, lavradora, no Itaperiú. Também estavam presentes: Nazario Caetano da Silva; Miguel Antonio de Freitas; Antonio Frederico Breneisen; José Antonio de Moura.
Filhos:

- Mariana (*05/06/1892)





2. Marcelina Ignacia da Conceição (*~1850 +Após 1907)
Casou com seu primo Mariano Soares da Costa (*~1847, Itajaí), filho de Fructuoso Soares da Costa e sua tia paterna Maria Infância de Nazareth. Mudaram-se para a Freguesia de Barra Velha e moraram por um tempo na Freguesia de Gaspar (01/1875-03/1876), mudaram-se novamente para a Freguesia de Barra Velha, em 1896 moravam na Corveta, no atual município de Araquari.
Filhos:






3. Candido Francisco da Silveira (*~1854, Itajaí ou Camboriú +Após 1907). Morou na Freguesia de São Pedro Apóstolo de Gaspar (1875). 
Casou com Rosa Gomes de Lima (*30/08/1858, Itajaí Bat. 12/09/1858, Itajaí Padr: Jorge José e Rosa Idalina Gomes +Antes 1910), filha de José Joaquim Gomes e de Pulqueria Rosa da Conceição, moradora em Gaspar, no dia 26/07/1875, em Gaspar. Foram testemunhas: Manoel Gomes do Carmo e José André Soares, ambos casados e moradores nesta freguesia. Morou em Penha do Itapocoroy (1897-1898).
Casou com Anna Maria da Silva (*~1860, Itajaí), filha de Pedro Francisco da Silveira e Maria Silveira da Paixão, viúva de Antonio João Sant'Anna, no dia 18/05/1911, na Capela de Escalvados, em Itajaí.
Filhos:

- Bernardina Roza da Silveira (*14/01/1881, Barra Velha Bat. 11/12/1881, Penha Padr: Joaquim Francisco da Silveira e Marianna Ignacia de Jesus)
Casou com Pedro Philippe Borges (*~1878), filho de Philippe José Borges e Perpetua Maria de Souza, moradores nos Escalvados, no dia 28/05/1906, na Capela de Santa Luzia, nos Machados.

- Marcellino Candido da Silveira (*31/09/1884 Bat. 11/02/1885, Barra Velha Padr: Marcellino Silveira da Catharina e Libana Francisca da Silveira)
Casou com Julia Francisca de Santhiago (*~1890, Itajaí), filha de Ignacio Lourenço de Santhiago e Maria de Jesus, no dia 15/02/1910, na Capela do Escalvado, em Itajaí. 

Idalina Rosa de Lima (*Gaspar)
Casou com Manoel Domingos Silveira (*Itapocú), filho de Eufrasio Francisco Silveira e Maria Silveira, no dia 06/08/1903, na Matriz de Penha.
Filha:
          - Libania (*28/05/1912 Bat. 25/12/1912, Penha)

- Bernardino Candido da Silveira (*~1890, Gaspar)
Casou com Maria Militana Onofre (*~1900, Itajaí), filha de Jose Onofre e Militana Onofre no dia 17/10/1919, na Capela de São Braz, em Itajaí.

- Roza Candida da Silveira (*~1893, Gaspar)
Casou com José João da Silva (*~1889, Gaspar), filho de João Manoel da Silva e Maria Escolastica da Silva, morador de Gaspar, no dia 12/06/1916, na Capela de Escalvados, em Itajaí.

- Amaro Candido da Silveira (*~1894, Gaspar) Casou com Maria Amelia de Borba (*~1898), filha de Wenceslau da Costa Paz e Amelia Francisca de Borba, no dia 30/04/1924, na Capela de São Braz.

- José Candido (*01/11/1896, Itajaí  Bat. 10/10/1897, Penha Padr: Emygdio Joaquim da Silveira e Nossa Senhora representada por Rita Jesuina da Costa)
Casou com Helena Schäfer (*~1900, Brusque), filha de Augusto Schäfer e Theresa Schneider, no dia 10/09/1921, na Capela do Braz.

- Pedro (*16/12/1899 Bat. 21/05/1899, Penha Pad. Amandio Alberto de Borbae Amelia Vieira)

- Candido (*22/07/1900 Bat. 10/11/1900, Penha Padr: Braz Antonio d'Oliveira e Francisca Maria de Borba)





4. Maria Francisca da Silveira (*Camboriú +Entre 1890-1892)
Casou com Vicente Gonçalves de Souza (*~1849, Camboriú +Entre 1928-1936), filho de Joaquim Gonçalves de Souza e Anna Joaquina de Jesus, por volta de 1871. Moraram no Itaperiú (1894-1910).
Filhos:





5. Raymundo Rosa da Silveira (*~1858, Barra Velha +Entre 1925-1931). Foi "artista" e Juiz de Paz na Freguesia de Barra Velha (1908-1909).
Casou com Maria Laurinda Duarte (+Entre 1912-1914), filha de Demiciano José Duarte e Laurinda Maria da Conceição, no dia 20/09/1884, na Igreja de Barra Velha. Foram testemunhas: Manoel Jacintho Duarte e Vicente Gonçalves de Souza. Moraram no Itaperiú. 
Viúvo, casou com Maria Roza de Bittencourt (*~1876), filha de Chrysanto Felicio Bittencourt e Roza Felisbina dos Santos, no dia 07/11/1914, na Matriz de Penha.
Filhos:

- Libania Maria da Silveira (*06/09/1885, Barra Velha +10/11/1964, Joinville Sep: Joinville). Aprendeu a escrever.
Casou com Leopoldo Olegario de Lima Brenneisen (*31/08/1877, Barra Velha +19/08/1939 Sep: Joinville), artista, morador em Barra Velha, filho de João Olegario da Silva e Maria Urçula Brennaisen, no dia 21/09/1907, na casa de Gabriel Coelho da Rocha, no Itaperiú. Ela morou em Joinville.
          - [+5 filhos]
          - Paulino de Lima Brenneisen (*02/12/1906 +10/07/1979 Sep: Joinville)
          Casou com Cecilia de Oliveira, no cartório de Itapocú. Filhos: Nerino, Hermes, Enéas, Celia, Helcio, Silvio, Raquel e Solange.
          - Antonio Brenneisen (*10/05/1925 +22/02/2002)

- Bernardo Rosa da Silveira (*20/08/1887 Bat. 07/04/1888, Barra Velha Padr: Galdino Domiciano Duarte e Clarinda Maria da Conceição +26/07/1925, Itaperiú, Paraty, de gripe Sep: Itapocú). Morou no Itaperiú. Foi negociante e "artista". No dia 04/06/1926, Bernardo recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de uma área de 50.000m², em Barra Velha.
Casou com Maria Justina Duarte Moreira (*~1886), filha de Justino Duarte de Souza e Carolina Duarte Moreira, no civil dia 28/12/1912, no Itapocú. Moraram no Itaperiú.
          - Ilda
          - Cilda
          - Gilda
          - Maria Sebastião
          - Aurea Nita
          - Emmanoel
          - José da Silveira

- Maria Catharina da Silveira (Maria Laurinda da Silveira) (*11/03/1895 (conforme registro de nascimento) (ou 24/09/1895), Barra Velha +10/08/1931, Itaperiú Sep: São João do Itaperiú) 
Casou com Geroncio Floriano de Borba (*09/05/1895, Penha 27/04/1951, Barra Velha Sep: São João do Itaperiú), filho de Floriano Antonio de Borba e Anna Maria Pereira, no cartório de Barra Velha.
          - [Ver filhos em Família de Floriano Antonio de Borba]

- Lidia Maria da Silveira (*~1900, Barra Velha)
Casou com Attanasio Rodrigues Barboza (*08/07/1891, Campo Bello, Lages +Após 1920), morador no Itaperiú, filho de João Rodrigues Barboza e Maria Lucinda Barboza, no dia 29/04/1916, cartório de Barra Velha.
          - [Ver filhos em Família Barbosa]


- José Raymundo da Silveira (*28/12/1904, Barra Velha)
Casou com Francisca Maria de Borba (*28/03/1907, Barra Velha +14/09/1982, Joinville), moradora no Itaperiú, filha de Jacintho José de Borba e Maria Mathildes Pereira, no dia 12/04/1925, no Itaperiú. Desquitaram-se em 1960.
Filho:
          - Maria (*~07/1925 +17/09/1925, Itaperiú, de febre Sep: Itapocú)





6. Emygdio Joaquim da Silveira (*20/03/1860, Tabuleiro, Barra Velha Bat. 26/04/1860, Penha Padr: João José de Massaneiro e Anna de França, residentes no Itapocu +19/09/1923, Morro Grande, Itapocú, de icterícia Sep: Barra Velha). Morou no Itapocú, em Barra Velha, onde foi negociante.
Casou com Porfiria Maria de Oliveira da Maia (*14/02/1872, Itapocú +Após 1924), filha de Vicente Fernandes da Maia e Anna Maria de Oliveira, moradores no Itapocú, em Barra Velha, no civil dia 14/04/1900, na casa de Anna Maria de Oliveira, no Itapocú e no dia 28/08/1900, na Capela do Morro Grande. Foram testemunhas do civil: Perfeito Manoel de Aguiar e Augusto Julio dos Passos; e do religioso: Perfeito Manoel de Aguiar e Justino Vieira Rebello. Moraram no Morro Grande, Itapocú.
No dia 23/02/1906, Emygdio recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de 259.600m² de terras no Itaperiú.
Filhos:

- Athanazio Emygdio da Silveira (*~1900 +03/10/1902, Morro Grande, Itapocú, Paraty, de malina Sep: Barra Velha)

- Olivio Emygdio da Silveira (*~08/1902 +15/10/1902, Morro Grande, Itapocú, Paraty, de malina Sep: Cemitério da Lagoa de Barra Velha)

- Candida Porfiria da Silveira (*14/10/1901, Morro Grande +Após 1923) 
Casou com Hormino João Machado (*01/08/1898, Morro Grande), filho de João Claudino Machado e Maria Theodora dos Santos, morador no Morro Grande, no dia 03/09/1921, na Capela do Morro Grande e no civil no mesmo dia às 3 da tarde, na casa de Emygdio, no Morro Grande, no Itapocú.

- Maria Porfiria da Silveira (*24/04/1904, Morro Grande +Após 1924)
Casou com Adelino Vieira Rebello (*02/10/1898), filho de Manoel Vieira Rebello e Luiza Francisca Rosa, no dia 12/04/1924, no Morro Grande, pelo cartório do Itapocú.

- João (+Após 1923). Solteira em 1923.





7. Marcellino Silveira Catharina (ou Marcellino Catharina da Silveira) (*~03/1862, Barra Velha Bat. 16/12/1862, Barra Velha Padr: José Felício de Borba e Anna Maria de Borba +Entre 1907-1924). Aprendeu a escrever. Foi lavrador e negociante. Morou no Itaperiú.
Casou primeiro com Clarinda Maria Duarte (*~Itapocú +27/12/1897, Itapocú, no parto Sep: Itapocú), filha de Demiciano José Duarte e Laurinda Maria da Conceição, moradores no Itapocú, no civil no dia 17/04/1897, no Itapocú, e no dia 19/06/1897, na Matriz de Barra Velha.
Filho:

- Manoel (*26/12/1897, Itapocú)

Viúvo, Marcellino casou com Clara Francisca de Souza (*12/08/1877, Barra Velha +Entre 1924 e 1935), moradora no Itaperiú, filha de Manoel José de SouzaFrancisca Maria da Conceição, no dia 28/05/1898, na casa de Manoel José de Souza, no Itaperiú. Foram testemunhas: Candido Francisco da Silveira, 44 anos, lavrador, no Itapocoroy; João Raulino Pereira, 44 anos; e Eduarda Maria da Conceição, 32 anos; ambos lavradores, no Itaperiú. Também estavam presentes: João Francisco de Souza; José Joaquim Pereira e Emygdio Joaquim da Silveira. Moraram no Itaperiú.
Filhos:

- Antonia Clara da Silveira (*03/08/1900 +19/05/1935, Itaperiú Sep: Santo Antonio)
Casou com Tertulino João de Espindola (*21/04/1894 (ou 27) Sep: Santo Antonio), filho de João Maria de Espindola e Maria do Carmo de Azevedo, no dia 07/01/1922, na Capela de Santo Antonio e no civil em 21/04/1924. Moraram em Santo Antonio.

- Mariana Clara da Silveira (*05/07/1904, Barra Velha). Sabia escrever.
Casou com Luiz Maximiliano Caviquioli (*~1899, Brusque), filho de Maximiano Caviquioli e Maria Ferrari, morador no Itaperiú, no dia 26/01/1924, na casa da mãe, pelo cartório de Barra Velha, e no dia 12/09/1924, na Capela de Santo Antonio de Itaperiú.





8. Silvana Francisca da Silveira (*~1864, Barra Velha +Após 1907). Morou no Itapocú.
Casou com Galdino Demeciano Duarte (*18/04/1869, Barra Velha), morador no Itapocú, filho de Demiciano José Duarte e Laurinda Maria da Conceição, no dia 07/12/1892, na Matriz de Barra Velha e no cartório de Barra Velha. Foram testemunhas: José Galdino da Rocha, 50 anos, lavrador, nesta Paróquia; Raymundo Rosa Silveira, 34 anos, lavrador, nesta Paróquia; e D. Libania Francisca Silveira, 26 anos, nesta Paróquia. Também estavam presentes: Miguel Leal de Souza Nunes; Marcellino da Silveira Catharina; Vicente Gonçalves de Souza; e Manoel Jacintho Duarte. Moraram no Itapocú.
Filhos:

- José Galdino Duarte (*19/09/1895, Itapocú)

- Manoel Galdino Duarte (*18/07/1905, Penha +07/09/1984 Sep: Joinville)
Casou com Verginia Bernardina da Rocha (*20/06/1913, Itaperiú +12/09/1944, Ribeirão do Salto Sep: Santa Cruz), filha de Idalicio Cypriano da Rocha e Bernardina Maria de Jesus, no dia 30/07/1932, pelo cartório de Barra Velha.
          - Santina Verginia da Rocha (*~1933)
          - Maria Verginia Duarte (*~1937)
          - Nair Verginia Duarte (*~1939)





9. Libania Francisca da Silveira (*~1866, Barra Velha +Após 1915).
Casou com José Antonio Galdino da Rocha (*~1842 +20/01/1915, Morro Grande, Itapocú, de moléstia do estômago Sep: Cem. da Lagoa de Barra Velha), filho de Galdino Antonio da Rocha e Ignacia Rosa de Jesus. Moraram no Itapocú (1889-1896), no dia 14/02/1885, em Barra Velha. Foram testemunhas Antonio Ignacio dos Santos e Luiz Rodrigues do Carmo. Moraram no Morro Grande, no Itapocú (1890-1915).
Filhos:

- [Ver filhos em Família Rocha]







Referências

- APESC. Índice geográfico dos processos de terras da secretaria da agricultura e do abastecimento - Coordenação de Legitimação e Cadastramento de Terras Devolutas - COLECATE. Florianópolis, mar. 2010.
- CARTÓRIO CIVIL. Livros de registros.