Família Cunha de Souza


Por Elis de Sisti Bernardes


A família de Manoel Cunha de Souza já morava no Itaperiú antes de 1889.

Manoel Cunha de Souza nasceu por volta de 1840, em Camboriú, filho de João da Cunha de Souza e Anna Joaquina de Jesus.

Casou com Victalina Felesbina da Costa, ou Victalina Francisca da Costa, filha de Manoel José da Costa e de Felisbina Francisca de Jesus, no dia 17/02/1855, na Matriz de Porto Belo. Neta paterna de Floriano José da Costa, natural da Enseada de Brito, e Isabel de Santa Rosa, natural de Santo Antônio de Lisboa, em Desterro, e neta materna de Francisco Antonio Cardoso, natural da Lagoa da Conceição, em Desterro, e de Francisca Rosa de Jesus.

Victalina nasceu no dia 02/01/1838, em Camboriú e foi batizada no dia 03/05/1838, na Igreja de Itajaí. Foram seus padrinhos: José Tomás da Costa e Genoveva Maria.

O casal morou em Camboriú e mudou-se com os filhos para o Itaperiú antes de 1889. A irmã de Manoel, Clementina Rosa de Souza, casada com João Felicio de Borba já havia se mudado para a Freguesia de Barra Velha, em 1865.

Victalina Felesbina da Costa faleceu entre 1890 e 1898.

Manoel Cunha de Souza faleceu com 60 anos, no dia 09/02/1900, às 12 horas da noite, em sua própria residência, vítima de influenza. Foi sepultado no Itapocú. 


Filhos: 



1. Maria (*~1857)





2. Anna (*1858 Bat. 26/03/1858, Porto Belo Padr: Manoel Coelho e Ignacia Francisca da Costa)






3. Jose (*28/03/1866, Sertão, Camboriú +31/03/1866, Sertão, Camboriú, de "congestão" Sep: Camboriú)





4. Josefa Cunha de Souza (*13/05/1864, Camboriú Bat. 24/09/1864, Camboriú Padr: Venancio José Thomaz e Josefa Genoveva)
Casou com seu primo João Ledovino dos Santos (*~1863, Camboriú), morador no Itaperiú, filho de Ledovino José dos Santos e de sua tia materna Rita Felesbina da Costa.
O casamento religioso ocorreu no dia 04/01/1890, às dez horas da manhã, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, na Freguesia de Barra Velha, e foi realizado pelo Padre Vicente de Argenzio. Foram testemunhas: Francisco de Borba Coelho e José Ledovino dos Santos.
O casamento civil ocorreu no dia 10/01/1890, no cartório de Barra Velha. Foram testemunhas: Francisco de Borba Coelho, lavrador, residente na Freguesia de Barra Velha; e José Ledovino dos Santos, lavrador, residente no Itaperiú. Também estavam presentes: Norberto da Costa Flores; José Ferreira Fagundes; Pedro Francisco de Borba; José Antonio de Moura.

- [Ver filhos em Família de Ledovino José dos Santos]





5. João Manoel da Cunha (*24/03/1867, Sertão, Camboriú Bat. 22/09/1867, Camboriú Padr: Jesuino José da Silva Bitencourt e Joana Verissima Lopes da Silva +27/07/1901, Ribeirão do Salto, Barra Velha, de febre)
Casou com sua prima Margarida Thomazia da Costa (*~1866, Camboriú), filha de João Felisberto Pereira e de sua tia materna Thomazia Felesbina da Costa, por volta de 1890, oficializando no civil no dia 30/12/1900, às duas horas, no cartório de Barra Velha. Foram testemunhas: João Olegario da Silva, que era o Escrivão; Ambrozio Manoel da Cunha, de 23 anos; e Maria Francisca Borges, 22 anos, ambos lavradores, no Itaperiú. Moraram no Itaperiú. No dia 23/01/1913, Margarida Thomazia recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de 44.000m² no Itaperiú.
Filhos:

- Virgilia (Verginia) (*~1891)

- Isabel Margarida da Cunha (*~1896)
Casou com Belmiro André dos Reis (*13/11/1896, Itaperiú), filho de André Francisco dos ReisFelicidade Maria Roza, no dia 14/07/1917, na casa de Euzébio Benigno de Campos, no Ribeirão do Salto.

- Eliodora (*~1897) 

- Maria (*~1899) 





6. Zozina Victalina da Cunha (ou Maria Zozina) (*~1868 +Após 1946)
Casou com Miguel Ledovino dos Santos (*08/05/1876, Camboriú +19/12/1946, Santo Antonio Sep: Santa Cruz), filho de Ledovino José dos Santos e de sua tia materna Rita Felesbina da Costa, lavrador, morador no Itaperiú. (Possivelmente não oficializaram a união no civil nem no religioso). Moraram no Itaperiú.
Filhos:

- [Ver filhos em Família de Ledovino José dos Santos]





7. Rosa Victalina da Cunha (*13/07/1869, Sertão dos Alemães, Camboriú Bat. 17/01/1870, Camboriú Padr: José Pereira da Cunha e sua mulher Maria de Jesus +16/10/1898, Itaperiú Sep: Itapocú)
Casou com José Claudino Narciso (*Camboriú +Entre 1922-1957), lavrador, filho de Claudino Antonio Narcizo e Maria Felesbina da Silva, na Igreja Matriz de Camboriú. Ele sabia escrever. Moraram no Itaperiú (1889-1917).

Filhos:

- [Ver filhos em Família Narciso]





8. Ambrozio Manoel da Cunha (*08/12/1873, Alemães, Camboriú Bat. 08/12/1874, Camboriú Padr: Antonio Floriano da Costa, solteiro e Maria da Silva Appolinario, viúva)
Casou com Maria Francisca Borges (*~1878, Barra Velha), viúva de José Sabino dos Santos, filha de Norberto José Coelho e Francisca Maria Borges, moradores no Itaperiú, no dia 03/06/1900, às duas horas, na residência de Pedro de Borba Coelho Sobrinho, em Barra Velha. Foram testemunhas: Marcellino Silveira Catharina, de 38 anos, lavrador; João José de Ávila, 40 anos, lavrador, no Itaperiú; e Anna Joaquina de Jesus. Também estavam presentes: Pedro Francisco de Borba Coelho; Calisto Silveira da Costa; José Chrissanto da Silva. No dia 23/01/1913, Ambrozio recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de 44.000m² de terras no Itaperiú. Moraram no Morro dos Monos (1924).

Filhos:

Antonio Ambrozio da Cunha (*13/02/1902, Barra Velha +11/05/1975, Hospital São José, Joinville Sep: Santa Cruz)
Casou com Maria Victoria de Avis (*26/02/1904, Barra Velha +07/08/1985, Joinville Sep: Santa Cruz), filha de Camillo Marcial de Aviz e Vergina Izidia da Rosa, moradores no Morro dos Monos, no dia 27/12/1924, na casa de Domingos Francisco Linhares, no Itinga. Moraram no Morro dos Monos, em Santa Cruz. Antonio era um homem de posses e conseguiu criar os filhos com fartura. Após a morte de Antonio, Maria Victoria morou em Joinville.
     - Alcidino (*~1926)
     - Maria (*~1927)
     - João Ambrosio da Cunha (*08/07/1930 +03/02/2007)
     Casou com Anastacia Soberanski, no dia 21/08/1964, em Barra Velha.
     - Geraldina da Cunha (Nóca) (*13/11/1928, Morro dos Monos, Santa Cruz, São João do Itaperiú)      Casou com Manoel Pedro Ramos (Nene) (*15/10/1925, Guaramirim), filho de Pedro Bernardino Ramos e Francisca Emília Ramos, no dia 21/04/1945. Manoel trabalhou por mais de duas décadas em uma serraria e assim conseguiu criar os filhos, sempre com a ajuda da fiel companheira que muito trabalhou para ajudar o marido. Moraram em Santa Cruz, onde tiveram uma casa comercial, o Bar e Comércio Santa Cruz que se tornou o principal ponto comercial daquela região. Mudaram-se para o bairro Icaraí, em Barra Velha. Filhos: Saul, Osmar, Pedro, José, Paulo, Maria, Gilberto, Marlene, Marília e Renato.
     - Antonio (*~1932)
     - Florgenia (*~1933)
     - Verginia (*~1935)
     - Donzilia (*~1936)
     - Ozorio Antonio (*~1937)
     - Eronildes da Cunha (*~1939)
     Casou com Romeo Melchioretto, no dia 25/07/1964, em Barra Velha.
     - Celia Maria da Cunha (*~1947)

- Francisca Maria Coelho (*~1905, Itaperiú) 
Casou com Arsino Marcelino Faustino do Nascimento (*~1908, Itaperiú), filho de Marcelino Faustino Nascimento e Maria Vieira, no dia 03/02/1923, na Capela de Santo Antonio no Itaperiú.





9. Maria Victalina da Costa (*~1875, Camboriú)
Casou com seu primo Cassimiro Manoel da Silva (*22/04/1871, Sertão dos Alemães, Camboriú +26/04/1902, Barra Velha, de febre Sep: Itapocú), filho de Manoel Raymundo da Silva e de sua tia materna Maria Felesbina da Costa, naturais de Camboriú e moradores no Itaperiú, no Ribeirão do Salto, no dia 18/06/1898, à uma hora, na residência de Manoel Raymundo da Silva, no Ribeirão do Salto. Foram testemunhas: Henrique Manoel da Silva, de 38 anos, lavrador, no Ribeirão do Salto; José Pereira de Miranda, 49 anos, artista; e Anna Mauricia da Silva, 45 anos, lavradora, no Itaperiú. Também estavam presentes: Orlando Varelio de Maçaneiro; João José de Ávila; Silvestre da Silva Chaves e Placido Pereira de Miranda.
Filhos:

- João (*~1895 +01/08/1897 Sep: Itapocú). Registrado como filho natural, ou por ter nascido antes dos pais oficializarem a união, ou por ser filho apenas de Maria.





10. Pedro (*~1880 +Após 1900)





11. Antonio (*24/11/1882, Sertão dos Alemães, Camboriú Bat. 15/01/1883, Camboriú Padr: Flotero Felicio Pereira e Alexandrina Luisa da Silva +Após 1900)






Referências

- APESC. Índice geográfico dos processos de terras da secretaria da agricultura e do abastecimento - Coordenação de Legitimação e Cadastramento de Terras Devolutas - COLECATE. Florianópolis, mar. 2010.
- CARTÓRIO CIVIL. Livros de registros.
- IGREJA CATÓLICA. Livros de registros.