Família Gulart


Por Elis de Sisti Bernardes


Ainda no século XIX, antes de 1900, mudaram-se para a Freguesia de Barra Velha a família de Thomas José Gulart, estabelecendo-se no Ribeirão do Salto, no Itaperiú.

Thomas José Gulart nasceu por volta de 1830, na Freguesia de Santo Antonio e era filho de José Pedro Goulart e Anna Maria da Conceição, naturais da Freguesia de Santo Antonio. Seu pai foi Furriel e se casou no dia 21/11/1822, em Desterro, atual Florianópolis. Era neto paterno do Alferes Pedro Jose Gularte e Eugenia Maria da Encarnação e materno de Francisco Antonio de Souza e Maria da Conceição.

Thomas aprendeu a escrever e morava no Mato Grosso, em Penha, quando casou com Florinda Ignacia Vieira, no dia 18/06/1864, na Capela de Penha de Itapocoroy. Foram testemunhas: José da Silva Mafra e José Maria de Souza, naturais de Itajaí.

Florinda nasceu em março de 1835, em Penha, e era filha do Capitão André Caetano Vieira e Ignacia Rosa de Santa Ana, naturais de Armação de Itapocoroy e moradores no Mato Grosso. Neta paterna de Manoel Caetano Vieira, natural da Freguesia de Nossa Senhora das Necessidades, de Santo Antonio de Lisboa, e de Maria das Neves, natural da Freguesia de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão, ambas em Florianópolis, e moradores da Praia das Piçarras. Neta materna de Ignacio José da Cunha, natural da Freguesia de Santa Bárbara, na Ilha de Santa Maria, nos Açores, e de Joaquina Rosa de Santa Anna, natural da Lagoa da Conceição, em Florianópolis.

Florinda faleceu após pouco tempo de casados e Thomas casou-se em segundas núpcias com Julia Nunes do Espírito Santo, ou Julia Martinha, no dia 04/05/1868, na Igreja de São Pedro Apostolo, em Gaspar. Foram testemunhas: João Silva e José Maria de Sousa. Julia era natural de Blumenau, ou Itajaí, e era filha de Joaquim Nunes e Maria Florencia de Jesus.

Thomas e Julia residiram em Blumenau, no Rio Morto, onde nasceram as filhas Remoalda Julia Gulart e Thomazia Julia Gulart. Antes de 1900 a família mudou-se para o Ribeirão do Salto, na Freguesia de Barra Velha.

Também mudaram-se para o Itaperiú a família de sua cunhada, Joaquina Nunes de Jesus, que era casada com Jacob Theiss, e depois de viúva, no Itaperiú se casou com o também viúvo, Joaquim José Vicente de Mello.

Thomas José Gulart faleceu entre setembro de 1900 e junho de 1904. Julia faleceu após 1904.


Filhos com Julia Nunes do Espirito Santo:



1. Remoalda Julia Gulart (*~1884, Blumenau). Não aprendeu a escrever.
Casou com João Francisco de Borba (*~1879, Barra Velha), filho de José de Borba Coelho e Antonia Ignez de Jesus, moradores no Itaperiú, no dia 09/09/1900, na casa de Thomas José Gulart, no Ribeirão do Salto. Foram testemunhas: Fructuozo Pereira Soares, 35 anos; Roberto de Don Gulart, 23 anos; e Joaquina Nunes, 30 anos; lavradores, moradores no Itaperiú. Estavam presentes: Thomas José Gulart; Orlando Valerio de Maçaneiro; Placido Pereira de Miranda; Eufrazio Preconio de Avis; e José de Borba Coelho.
Filhos:

- [Ver filhos em Família de José de Borba Coelho]





2. Thomazia Julia Gulart (*~1887, Rio Morto, Blumenau)
Casou com Benjamim Lidovino dos Santos (*~1881, Camboriú), morador no Itaperiú, filho de Ledovino José dos Santos e Rita Felesbina da Costa, no dia 04/06/1904, na casa de Rita Felesbina dos Santos, no Itaperiú. Foram testemunhas: Ignacio José d'Ávila, 52 anos; José Francisco Garcia, 46 anos; Camilla Maria de Souza, 23 anos; João José de Ávila, 44 anos; lavradores, no Itaperiú. Também estavam presentes: Amaro José d'Ávila, João Vicente de Mello e Norberto José Coelho.
Filhos:

- [Ver filhos em Família de Ledovino José dos Santos]





Referências

- CARTÓRIO CIVIL. Livros de registros.
- IGREJA CATÓLICA. Livros de registros
- MAFRA, Inacio da Silva. Famílias Mafra. Genealogia.
- TOMIO, Telmo. Genealogia e História.