Família Nunes Theiss


Por Elis de Sisti Bernardes


Ainda no século XIX, antes de 1900, estabeleceu-se no Itaperiú a família de Jacob Theiss e Joaquina Nunes.

Jacob Theiss nasceu no dia 20/08/1845, na Colônia Belchior, em Gaspar, filho de Jacob Theiss, natural de Mains, na Alemanha, e de Damiana Maria da Silva. Era neto paterno de Jacob Theiss e Catharina Maria Scherer, naturais da Alemanha, e neto materno de Agostinho Correia e Eufrasia Maria da Silva. É provável que seu pai tenha servido o Exército Brasileiro, assim como seu tio Valentin. Estabeleceram-se inicialmente na Colônia de São Pedro de Alcântara e seu pai e seu tio Valentin mudaram-se para a Colônia Belchior, em Gaspar, por volta de 1840. Jacob foi batizado no dia 29/11/1845, na Capela de Itajaí. Foram seus padrinhos: João Müller e Anna Maria. 

Entre 1865 e 1868, Jacob e Simon Theiss participaram como Voluntários da Pátria da Guerra do Paraguai contra o ditador paraguaio Francisco Solano Lopez e estiveram em campo de batalha no Paraguai com um grupo com cerca de 96 voluntários blumenauenses.

Joaquina Nunes de Jesus nasceu no dia 04/04/1859, em São Miguel, filha de Joaquim Nunes e Maria Florencia de Jesus, naturais de São Miguel. Neta paterna de Jose Nunes e Alexandrina Rosa e neta materna de Polidorio José Linhares e Francisca Rosa. Foi batizada no dia 01/10/1859, na Matriz de Tijucas. Foram seus padrinhos, João Justino Regis e Candida Francisca Linhares.

Foram lavradores. Moraram em Blumenau e antes de 1900, a família de Jacob e Joaquina Nunes mudaram-se para o Itaperiú. Também mudou-se para o Itaperiú a família da irmã de Joaquina, Julia, casada com Thomas José Gulart.

Jacob Theiss faleceu em 1900, antes de outubro.

Viúva, aos 40 anos, Joaquina casou pela segunda vez com Joaquim José Vicente de Mello. Joaquim nasceu por volta de 1834, em Camboriú, filho de José Vicente de Mello e Camilla Rosa de Jesus, naturais de Camboriú, lavrador, viúvo de Maria Rosa de Jesus, morador no Itaperiú, com nove filhos.

O casamento civil ocorreu no dia 17/09/1904, às 2 horas, na residência do noivo, no Itaperiú. Ignacio José de Ávila era o Juiz de Paz e João Olegario da Silva, o Escrivão. Foram testemunhas: Vicente Gonçalves de Souza, de 56 anos, lavrador; Epiphanio Vieira Leal, de 36 anos, fazendeiro, na zona contestada Rio Negro; João Leal da Silva, de 41 anos, negociante no distrito de Barra Velha; e Etelvina Lucinda Silveira, de 33 anos, negociante, no mesmo distrito. Também estavam presentes os filhos de Joaquim, Mariano Vicente de Mello e Cypriano Vicente de Mello.

Joaquim José Vicente de Mello faleceu com mais de 75 anos, no dia 29/10/1918, em sua própria residência, no Itaperiú, de morte natural. Foi sepultado no Cemitério público do distrito de Itapocú.



Filhos de Jacob Theiss e Joaquina Nunes:



1. Maria Joaquina de Jesus (*~1887, Rodeio?, Blumenau Bat. Rodeio +Após 1951). Não aprendeu a escrever.
Casou com José Gonçalves Maria (*~1881, Barra Velha +02/04/1951, São João do Itaperiú Sep: Santo Antonio), filho ilegítimo de José Ignacio de Sant'Anna e natural de Maria Laurinda de Jesus, morador no Itaperiú, no dia 05/02/1904, na casa de Domingos José de Borba, no Itaperiú. Foram testemunhas: Ignacio Antonio Forte, 50 anos, lavrador; Domingos José de Borba, 47 anos, lavrador; João Mathias de Souza, 37 anos, lavrador; Francisca Paula da Conceição, 28 anos, lavradora; todos no Itaperiú. Também estavam presentes: Leopoldo Olegario Lima Breneisen; e Maria Magdalena Brenneizen. O casamento religioso ocorreu dia 24/02/1921, na Capela do Morro Grande, com o Padre José Schmitz. Foram testemunhas: Alexandre Lucas Machado e João Vieira da Conceição. Moraram em São João do Itaperiú. No dia 10/12/1923, José Gonçalves Maria recebeu do Estado de Santa Catarina a concessão de 293.550m² de terras em São João.
Filhos:

- Antonio José Gonçalves (*03/09/1911, Barra Velha +04/09/1988, Barra Velha)
Casou com Clarinda Custodia Soares (*06/10/1911, Barra Velha +28/02/1984, Hospital Marieta Konder Bornhausen, Itajaí Sep: São João do Itaperiú), filha de José Soares de Braga e Custodia Maria de Souza, no dia 15/01/1944, no cartório de Barra Velha.
Filhos:
          - Osvaldina Gonçalves (*25/04/1938)
          Casou com Anovo Severo de Souza, no dia 08/09/1962, em Joinville
          - Saturnino (*29/11/1939)
          - José (*05/02/1941 +Antes 1984)
          - Alberto Antonio Gonçalves (*07/08/1945 +25/10/2006 Sep: São João do Itaperiú)
          Casou.
          - Bento Antonio Gonçalves (*24/01/1950 +18/11/1963, Itaperiú Sep: São João do Itaperiú)
          - Osnilda Gonçalves (*~1951)

- Jacob Jozé Gonçalves (*08/05/1913, Barra Velha +17/08/1997, Joinville)
Casou com Luiza Fernanda de Sousa (*25/03/1915, Barra Velha), filha de José Germano de Souza e Fernanda Luiza Catharina, no dia 30/07/1936, no cartório de Barra Velha.

- Basilio José Gonçalves (*~1914)
Casou.

- Maria Joaquina (*~1918)

- Geraldina Gonçalves (*~1919)

- José Gonçalves Filho (*~1921)
Casou.

- Pedro José Gonçalves (*~10/1924 +11/02/1930, São João)





2. Candida Joaquina de Jesus (*~1892, Blumenau). Não aprendeu a escrever.
Casou com José Damazio de Souza (*11/12/1887, Freguesia de Barra Velha), filho de José Gonçalves de Souza e Maria Luiza da Graça, morador no Itaperiú, no dia 10/09/1910, na casa de seu padrasto Joaquim Vicente de Mello, no Itaperiú. Foram testemunhas: Vicente Gonçalves de Souza, 62 anos, lavrador; José Jeremias Bernardes, 38 anos; Theophila Margarida Coelho, 16 anos e meio; lavradores; todos no Itaperiú. Também estavam presentes: Mariano Vicente de Mello; Amaro Coelho de Bella Cruz; Antonio Joaquim Borges; e João Gonçalves da Silveira.
Filhos:

- [Ver filhos em Família Gonçalves de Souza]





3. Catharina (*~1894 +01/05/1900, São João, de inflamação Sep: Itapocú)





4. Damiana (*~1899 +10/10/1900, São João, Barra Velha, de malina (malária) Sep: Itapocú)





Referências

- CARTÓRIO CIVIL. Livros de registros.
- IGREJA CATÓLICA. Livros de registros.