Família Ferreira Fagundes


Por Elis de Sisti Bernardes


Ainda no século XIX, estabeleceu-se no Itaperiú a família de José Ferreira Fagundes.

José Ferreira Fagundes nasceu no dia 05/04/1868, filho de Gabriel Lopes Fagundes e Jacintha Joaquina de Azevedo, naturais de Camboriú e moradores em Itajaí. Neto paterno de Joaquim Lopes Correia e Joaquina Rosa Fagundes e materno de José Joaquim de Azevedo, natural de Porto, Portugal, e de Maria Custódia de Amorim, natural de Porto Belo.

José foi batizado no dia 04/07/1869, na Matriz de Itajaí. Foram seus padrinhos: José Pereira Liberato e Maria Hipólita de Moraes. Foi alfabetizado, e perdeu a mãe ainda antes de seus 16 anos. Mudou-se com o pai e sua irmã Adelaide da Conceição Fagundes, casada com Norberto da Costa Flores, para a Freguesia de Barra Velha em 1884. José foi sapateiro, profissão denominada nos registros civis como "artista".

Casou aos 23 anos com Alminda Joaquina Pereira, ou Arminda Apollinaria da Cunha, de 25 anos, moradora no Itaperiú. Alminda nasceu em outubro de 1866, em Barra Velha, filha de João Antonio da Silva Appolinario JuniorJoaquina Pereira do Nascimento. Neta paterna de João Antonio da Silva Appolinario e de Felisbina Maria da Cunha e materna de Joaquim José Pereira e Joaquina Pereira do Nascimento. Foi batizada no dia 12 de dezembro de 1866, em Barra Velha. Foram seus padrinhos, Jose Joaquim Pereira e Anna Pereira da Silva, ambos solteiros. Aprendeu a ler e a escrever, e se assinava "Alminda", apesar de constar em seus registros como "Arminda".

O casamento civil ocorreu no dia 08/08/1891, na casa do Escrivão de Paz, João Olegario da Silva, em Barra Velha. Foram testemunhas, Norberto da Costa Flores, de 38 anos, ferreiro, morador na Freguesia de Barra Velha; João Manoel de Aguiar, de 25 anos, lavrador, morador no Itaperiú; e Maria Lina dos Reis, de 24 anos, lavradora, moradora no Itaperiú. Também estava presente, Perfeito Manoel de Aguiar.

Já o casamento religioso ocorreu no dia 04/12/1892, na Matriz provisória de Barra Velha e foi realizado pelo Padre Vicente d'Argenzio. Foram testemunhas: Norberto da Costa Flores, cunhado do noivo, e Miguel Antonio de Freitas.

Moraram no Itaperiú, onde nasceu a filha Isaura em 1895, e em 1896, o filho Olympio. José Ferreira Fagundes foi 4º Juiz de Paz do Distrito de Barra Velha em 1910.

José Ferreira Fagundes faleceu entre 1910 e 1919. Arminda faleceu após 1928.


Filhos:


Isaura Appolinaria Fagundes (*15/04/1895, Itaperiú, Barra Velha)
Casou com Geraldo Henrique Ferreira (*~1875), viúvo, negociante, morador no Itapocú, filho de Bento José Ferreira e Maria Roza de Lima, moradores no município de Joinville, no dia 29/03/1919, no cartório do Itapocú.



Olympio Ferreira Fagundes (*19/06/1896, Barra Velha +Após 1928). Recebeu o mesmo nome do tio paterno. Sabia escrever. Foi sapateiro e negociante.
Casou com Maria Augusta dos Passos (*27/06/1889, Itapocú, Barra Velha +21/09/1925, Itaperiú, com 36 anos, num parto laborioso, após sofrer por 3 dias Sep: São João do Itaperiú), filha de Augusto Julio dos Passos e Lidia Rosa da Silveira, no dia 01/03/1924, na casa do sogro, no Itaperiú. Moraram no Itaperiú.
Viúvo, Olympio casou com Ibrantina Julia Passos (*11/02/1900, Itaperiú, Barra Velha +Após 1941), irmã de Maria Augusta, filha de Augusto Julio dos Passos e Lidia Rosa da Silveira, no dia 07/07/1928, na casa do sogro, no Itaperiú.





Referências

- CARTÓRIO CIVIL. Livros de registros.
- IGREJA CATÓLICA. Livros de registros.
- MAFRA, Inacio da Silva. Famílias Mafra. Genealogia.