Família de Sisti


Por Elis de Sisti Bernardes


1. Da Europa para Luiz Alves

Filippe de Sisti nasceu no dia 25/05/1820, em Buchenstein, região então pertencente ao Império Austro-Húngaro, hoje denominada Livinallongo del Col di Lana, comuna italiana da região do Vêneto, na província de Belluno, filho de Joahnnes Baptista De Sisti e de Clara De Soratroi.

A família de Sisti se estabeleceu em Buchenstein antes de 1650, onde seu sobrenome, originalmente  Siest, foi italianizado, passando a ser registrado como De Sisti. A vila mais remota de todo o Tirol, tinha seus nobres senhores, entre eles, os Sisti de Sisthofen e os Soratroi, considerados Condes do lugar.

O local onde moravam fica à beira de uma encosta, em frente a altas montanhas arborizadas, próximo a desfiladeiros verdes, onde abaixo da pequena vila há um grande abismo, em que corre o rio Cordevole. Por todo o lugar não há sinal de lugares planos. Ao redor da vila havia campos de milho que se perdiam na encosta íngreme das montanhas. A vila consistia em uma dúzia de casas, incluindo pousadas. Na praça, ficava uma grande casa cinzenta, antiga e com frontão, a mais imponente da vila, com janelas medievais de cima para baixo, esta era a Casa dos Sisti de Sisthofen.

Na propriedade da nobre família De Sisti havia uma igreja denominada Pian di Salesei, onde hoje encontram-se sepultados 5.404 soldados mortos durante a guerra. Dentre estes, 685 eram soldados italianos e 19 soldados austro-húngaros, cujos nomes estão escritos nas lápides e 4.700 permanecem desconhecidos. A casa De Sisti em Pian di Salesei data de 1609.

Um Johannes Baptista de Sisti foi padre de Buchenstein entre 1673 e 1683 e foi sucedido por um parente de mesmo nome, padre do local entre 1683-1688, doutor em teologia. Ele criou uma instituição que tinha a tarefa de instruir os jovens da localidade, de leitura e escrita, além de boas maneiras.

Filippe casou com Maria Catterina Crepaz, nascida no dia 08/04/1822, filha de Felix Crepaz e Maria Theresia Sorarui. O casal morou em Livinallongo, onde nasceram seus 18 filhos, dos quais nove deles morreram com menos de dois anos de idade.

Devido às condições geomorfológicas e climáticas, Buchenstein estava economicamente em uma situação difícil. A região passava por uma fase difícil, as recentes guerras pela independência e unificação do país assolavam a população que enfrentava a escassez de mantimentos, o clima rigoroso, além do medo das constantes guerras. A tensão aumentou e a Itália criou um forte embargo aos produtos tiroleses, ocasionando a crise no campo e a grande imigração. A população era composta por agricultores e os poucos artesãos e proprietários de terras, bem como as três famílias aristocráticas - Sisti, Grones e Varda - viviam principalmente da agricultura. A família de Sisti decide então deixar sua terra e partir para o Brasil.

Partiram no dia 18 de outubro de 1877, do Porto de Gênova, na Itália, a bordo do Vapor Colombo, Filippe de Sisti e sua esposa Catharina Crepaz, junto com os nove filhos: Luigi, de 33 anos; Tiziano, de 28 anos; Rodolfo, de 26 anos; Lodovico, de 23 anos; Costanti, de 21 anos; Luigia, de 19 anos; Adelaide, de 18 anos; Achille, de 17 anos; e Giulietta, de 11 anos de idade.

Família de Sisti na lista de passageiros do Vapor Colombo

No dia 11 de novembro, a família chegava no Porto do Rio de Janeiro. Do Rio de Janeiro foram conduzidos para o Estado de Santa Catarina, desembarcando no Porto de Itajaí e de lá foram encaminhados para a recém criada Colônia Luiz Alves. Eram épocas difíceis, a colônia ainda estava se estabelecendo e não possuía estrutura para receber as centenas de imigrantes que chegavam.

Em Luiz Alves, a família recebeu um lote de terras no Braço Direito, onde se estabeleceram. 

Filippe de Sisti faleceu antes de 16/10/1904. Catharina faleceu antes de 25/11/1915.


Filhos de Filippe e Catharina:

- Luigi Massimiliano de Sisti (*02/08/1844, Livinallongo, Itália +Após 31/08/1883)

- Paolina M. Antonia Sisti (*01/07/1845, Livinallongo, Itália +05/09/1845, Livinallongo, Itália)

- Carolina Sisti (*01/06/1846, Livinallongo, Itália +10/08/1846, Livinallongo, Itália)

- Clemente Sisti (*05/05/1847, Livinallongo, Itália +27/07/1846, Livinallongo, Itália)

- Pio Giusto Sisti (*20/01/1848, Livinallongo, Itália +04/02/1849, Livinallongo, Itália)

- Tiziano de Sisti (*15/12/1849, Livinallongo, Itália +13/05/???? ou Após 1877)

- Giulio Sisti (*23/11/1850, Livinallongo, Itália +??/05/1879, Livinallongo, Itália)

- Rodolfo de Sisti (*17/10/1851, Livinallongo, Itália +Após 1877)

- Ludovico de Sisti (*13/01/1854, Livinallongo, Itália +Após 1877)

- Constanti de Sisti (Costantino Sisti) (*29/05/1856, Livinallongo, Itália +26/11/1931, Braço Direito, Luiz Alves Sep: Vila, Luiz Alves)

- Vito Sisti (*31/07/1857, Livinallongo, Itália +08/09/1857, Livinallongo, Itália)

Maria Luigia de Sisti (Luiza) (*17/03/1848, Livinallongo, Itália +Após 14/09/1887) 

- Vittore Sisti (*16/06/1858, Livinallongo, Itália +21/10/1860, Livinallongo, Itália)

- Adelaide de Sisti (*09/06/1859, Livinallongo, Itália +Após 18/07/1894, Brasil) 

- Achille de Sisti (Aquiles) (*29/06/1860, Livinallongo, Itália +17/07/1940, casa de Simão Dal Ri, Sede, Luiz Alves Sep: Sede, Luiz Alves). 
Não se casou.

- [Um menino] (*+14/03/1861, Livinallongo, Itália)

- [Uma menina] (*+06/06/1862, Livinallongo, Itália)

- Giulia de Sisti (Julietta) (*07/08/1866, Livinallongo, Itália +16/10/1904, Luiz Alves)
Casou com Simão Dal Ri, filho de Archangelo Dal Ri e Vittoria Maria Weber, e tiveram 6 filhos. 





2. Costantino de Sisti

Costantino de Sisti, o Constanti, nasceu no dia 29/05/1856, em Livinallongo del Col di Lana, na província de Belluno, na Itália. Aos 21 anos mudou-se com a família para a Colônia Luiz Alves, estabelecendo-se no Braço Direito. Em Luiz Alves conheceu a jovem Maria Violante Margherita Dal Ri, com quem se casou por volta de 1885.

Maria Dal Ri nasceu no dia 18/08/1865, em San Biagio, em Nanno, Trento, na Itália, filha de Archangelo Dal Ri e Vittoria Maria Weber. Neta paterna de Agostino Dal Ri e Lucia Luchi e materna de Simone Weber e Vittoria Weber, todos italianos. Seus pais também imigraram de Trento para a Colônia Luiz Alves em 1877.

O casal morou no Braço Direito, em Luiz Alves e tiveram os seguintes filhos:

- Catharina de Sisti (Catina) (*02/10/1886, Luiz Alves)
Casou com José Marangoni. Moraram em Luiz Alves e mudaram-se para Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul.

- Paulina de Sisti (*09/12/1886, Braço Direito, Luiz Alves)
Casou com Ivo Parise e moraram no Primeiro Braço do Norte, em Luiz Alves, hoje Massaranduba. 

- João Baptista de Sisti (*22/04/1888, Braço Direito, Luiz Alves)
Casou com Elvira Alma Kleis e mudou-se para São João do Itaperiú.
Viúvo, casou com Ignez Bompani (*17/09 +29/08/1963 Sep: São João do Itaperiú). Moraram em São João do Itaperiú.

- Victoria de Sisti (*12/11/1889, Luiz Alves)
Casou com Miguel Marangoni e mudaram-se para Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul.

- Antonio de Sisti (*03/01/1891, Luiz Alves)
Casou com Rosina Lunelli e moraram no Braço Direito em Luiz Alves.

- Lucia de Sisti (*14/12/1892, Luiz Alves)
Casou com Ricardo Antonio Spezia e moraram no Braço Alberto, em Luiz Alves.

- Romeu de Sisti (*14/03/1894, Luiz Alves) 
Não se casou e mudou-se para Joaçaba-SC, onde foi Inspetor Escolar.

- Maria Deciste (*02/08/1895, Luiz Alves)
Não se casou e mudou-se com as irmãs para Jaraguá do Sul, onde faleceu.


Maria Dal Ri faleceu no dia 18/08/1895, em Luiz Alves, deixando os oito filhos ainda pequenos, com menos de 8 anos e a pequena Maria com apenas 16 dias de vida.

Constanti faleceu no dia 26/11/1931, no Braço Direito, em Luiz Alves. Foi sepultado no Cemitério São Vicente em Luiz Alves. 





3. João Baptista de Sisti


João Baptista nasceu no dia 22/04/1888, no Braço Direito, em Luiz Alves, filho de Constanti de Sisti e de Maria Dal Ri, italianos, naturais de Trento e moradores no Braço Direito. Neto paterno de Filippe de Sisti e Catharina Creparsi e materno de Arcangelo Dal Ri e Vittoria Weber.

Foi batizado em Luiz Alves no dia 04/11/1888, pelo Padre Angelo Sabbatini. Foram seus padrinhos o tio materno Simão Dal Ri e a tia paterna Julietta De Sisti, que eram casados.

Cresceu junto aos irmãos em Luiz Alves, onde com apenas sete anos, perdeu a mãe. Aprendeu a ler e a escrever.

Com a morte da mãe, João Baptista foi criado pela família do tio materno João Baptista Dal Ri, que por volta de 1910 passou a morar no Itaperiú.

Em Luiz Alves conheceu a jovem Elvira Alma Kleis. Elvira nasceu em Luiz Alves no dia 21 de abril de 1902, filha de João José Kleis e de Anna Teresa Graf, moradores no Braço Miguel e posteriormente no Braço Belga. Neta paterna de Paulo Kleis, natural de Weiswampach, Luxemburgo e de Ernestina Werner, natural de Wesstein?, Prússia. Seus bisavós, Hilário Kleis e Susanna Sunen, oriundos de Luxemburgo, e João Guilherme Werner e Joanna Carolina Körner, protestantes, da Prússia, estabeleceram-se na Colônia de Itajaí, entre 1840 e 1869. Neta materna de Augusto e Sophia Graf. 

João Baptista e Elvira se casaram no dia 09 de novembro de 1929, no Cartório de Luiz Alves. Foram testemunhas, a prima do noivo, Othilia Dal Ri com o marido Anthero Domingos da Silva, moradores na Sede, e José Luciani com a esposa Olga Luciani, moradores em Canoas. 

Após o casamento, o casal passou a morar em São João do Itaperiú, onde no ano seguinte, no dia 17 de dezembro de 1930, Elvira faleceu. Após apenas treze dias do nascimento do primeiro filho do casal, Ary de Sisti. Foi sepultada no Cemitério São João Batista, em São João do Itaperiú.

Viúvo, João Baptista se casou com Ignez Bompani, viúva de João Chiodini e moradora no Primeiro Braço do Norte, em Luiz Alves, hoje Massaranduba. Ignez era filha de João Bompani e Santina Santinelli, moradores no Primeiro Braço do Norte. Neta paterna de Luigi Bompani e Maria Zanichelli, naturais da Lombardia, na Itália, e materna de Luigi Santinelli e Giovanna Guerini, naturais de Bérgamo, na Itália. Seus avós, paternos e maternos, mudaram-se da Itália com os filhos, estabelecendo-se na Colônia Luiz Alves entre 1878 e 1880.

O casamento ocorreu no dia 28 de janeiro de 1933. Tiveram os filhos Alacrino e Anivaldo, que faleceu com apenas dois anos.

Ignez Bompani faleceu no dia 29 de agosto de 1963. Foi sepultada no Cemitério São João Batista, em São João do Itaperiú.

João Baptista faleceu com 82 anos, no dia 02 de agosto de 1970, às 21 horas e 30 minutos, em São João do Itaperiú. Foi sepultado no Cemitério São João Batista, em São João do Itaperiú.


Filho com Elvira Alma Kleis:


1. Ary de Sisti (*04/12/1930, São João do Itaperiú +São Paulo)
Não se casou e não teve filhos.



Filhos com Ignez Bompani:


2. Alacrino de Sisti (*12/03/1933, São João do Itaperiú +26/02/2012, Joinville Sep: São João do Itaperiú)
Casou com Eulalia Delmonego (*07/05/1939, São João do Itaperiú), filha de Fortunato Delmonego e Luiza Borba, moradores em São João do Itaperiú, no dia 09/06/1961, no cartório de Barra Velha. Moram em São João do Itaperiú.
Filhos:

- Maria Eliani de Sisti (*14/11/1961)
Casou com Ercio Bernardes, filho de Alzerino Bernardes e Nerilda Maria Bernardes, e se separou.
Filhos:
          - Elis de Sisti Bernardes (*14/03/1989)
          - Eloise de Sisti Bernardes (*04/02/1993)
          - Elcio de Sisti Bernardes (*11/04/1995)

- Janete de Sisti (*12/05/1966)
Casou com Lindomar de Jesus Borges, filho de Moises Joaquim Borges e Hilaura Adelia Borges.
Filhos:
          - Jean Carlos Borges (*05/09/1989)
          - Jackson de Sisti Borges (*09/02/1999)

- João Batista de Sisti (*10/07/1969)
Casou com Selma Machado, filha de Pedro Eduardo Machado e Olibia Moraes.
Filho:
          - João Batista de Sisti Junior (*15/10/1991)
          Casou com Samara Vegini, em 05/2017.
                    - Luiz Alacrino de Sisti (*23/10/2017)

- Andrei Alacrino de Sisti (*01/06/1980)
Casou com Flavia de Aquino, filha de Rosa Emilia Alves de Aquino.
Filho:
          - Rafael de Aquino de Sisti (*26/01/2009)



3. Anivaldo de Sisti (*02/1936 +22/04/1936, São João do Itaperiú)





Referências

- CARTÓRIO CIVIL. Livros de registros civis.
- CRAFFONARA, Lois. Der salzburger hofmaler Jakob Zanusi (1679?-1742), ein unbekannter Buchensteiner.
- Fotos do Acervo da Família de Sisti de São João do Itaperiú.
- IGREJA CATÓLICA. Livros de registros da igreja católica.
- LE NUOVE DEL PAIS. Anno LIV, n. 2, maio-jun 2019.
- STEUB, Ludwig. Drei Sommer in Tirol. Munique, 1846.